quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Santos e Corinthians homenageiam Walter Abrahão na Vila


A coisa mais importante sobre o triste episódio acontecido na Vila Belmiro nesta quarta-feira entre Santos e Corinthians é registrar que, na última segunda, 8 de agosto, morreu o narrador Walter Abrahão, aos 80 anos.

A bola ficou mais no ar do que no chão
Foto: Ricardo Saibun/ Santos FC

Quando um jogo terminava assim, sem a pelota balançar as redes, Abrahão dizia: “OXO, senhores”. “Walter Abrahão faz parte da infância, da adolescência e da juventude de algumas gerações de brasileiros”, como escreveu Juca Kfouri em seu blog. Já vi muitos 0 a 0 eletrizantes. O OXO (pronuncia-se 'ôxo') de Walter Abrahão não era isso, era mais do que um jogo sem gols, era um duelo sem emoção, sem bola na trave, sem polêmica, sem futebol, um anti-duelo como o de hoje na Vila.

Tudo bem, o Santos jogou sem Neymar, Ganso e Danilo e o Corinthians, desfalcado de Ralf, Jorge Henrique, Liedson e Julio Cesar. Mas nem isso é desculpa para o indisfarçável faz-de-conta de compadres apresentado hoje no palco verde da Vila mais famosa do mundo. Do lado santista, já está virando motivo de apostas o momento em que Muricy Ramalho fará substituições. Todo mundo sabe que antes dos 30 do segundo tempo nada acontece. Ganha quem acertar o minuto após os 30.

O meia-atacante Diogo permaneceu sendo uma nulidade até os 34 do segundo tempo, quando finalmente saiu para a entrada do bravo volante Adriano. Ibson ainda não se sabe se entrou em campo pelo Santos desde que “estreou” contra o Flamengo, dia 27 de julho. O volante Henrique (por que não Adriano?), fraco na marcação e pior ainda no apoio, ficou 90 minutos em campo.

Do lado corintiano, a tática foi dirigida para conquistar o heróico 0 a 0. Tarefa alcançada, o Timão agora é líder, com os mesmos 33 pontos do Flamengo, mas com uma vitória a mais. Do lado santista, o suado pontinho levou o time aos 15 pontos, suficientes para chegar ao 14° lugar, ultrapassando Atlético-MG e Grêmio nos critérios de desempate.

Seleção de Mano apanha da Alemanha

Enquanto isso, o destaque da seleção de Mano Menezes que perdeu da Alemanha por 3 a 2, em Stuttgart, foi o lateral esquerdo André Santos, do empresário Carlos Leite, ligado a Mano. Pura coincidência, não é mesmo? O lateral esquerdo perdeu de modo bizarro uma bola que acabou no belo gol de Schweinstegger, o terceiro dos alemães.

A derrota de 3 a 2 foi caiu do céu para o balcão de negócios da CBF, quero dizer, para a seleção brasileira. Poderia ter sido uma goleada. Com a seleção, Mano Menezes não ganhou nada até agora. Foi derrotado por Argentina e França, empatou com a Holanda, caiu diante do Paraguai nos pênaltis na Copa América e hoje sucumbiu diante do bom time germânico.

Ainda assim, Neymar fez um gol típico, o segundo. Deixaram o moleque dominar, gol. O primeiro foi de Robinho, de pênalti.

4 comentários:

Victor disse...

Realmente o jogo de ontem foi ôxo. Os jogadores estavam num clima de amizade e se não houvesse as traves do gol, não faria a menor diferença, quase todo tempo a bola ficou no meio do campo. O único do Santos que faz a diferença estava na seleção e lá fez o seu. Já tenho ouvido muita gente dizendo: Que saudades do Dunga !

Felipe Cabañas da Silva disse...

Mano Menezes tem sido uma decepção... Mas no Corinthians, quando caímos prematuramente numa Libertadores em que tínhamos chances de ir mais além, ele já foi duramente criticado justamente pelo que tem sido criticado agora: sua seleção é um balcão de negócios, e escala jogadores por interesses empresariais. É a única coisa que explica a patética escalação de Fernandinho no lugar do Ganso, pois o primeiro é do mesmo empresário do Mano. Quem é Fernandinho?????????

Sobre o mais tradicional clássico de SP, foi um jogo que não fez jus à tradição. Do lado do Santos, os desfalques, do lado do Corinthians, também desfalques importantes, mas tem o pragmatismo do Tite que às vezes é irritante. O Corinthians claramente jogou pelo empate, não se arriscou e não tentou vencer pra não perder. Fazia tempo que eu não via um clássico tão ruim. Mas só pra dar uma cornetada, o Santos não ganha do Corinthians em campeonato brasileiro desde maio de 2009. E, Edu, no post em que você comparava o Flamengo nesse estágio do campeonato com o Fluminense do ano passado, creio que você vai ter agora de fazer uma pequena correcão hein!? hehe

Edu Maretti disse...

Victor, se de fato "o único do Santos que faz a diferença estava na seleção e lá fez o seu", eu gostaria de saber por que o Muricy teima tanto em não mudar o time, nem taticamente, nem nada. Nem o seis por meia dúzia o cara faz, pô, e qdo faz é à la Parreira, no fim do jogo. E tem escalado errado.

Fernandinho é reserva do grandioso Shakthar Donetsk, Felipe! A seleção de Mano Menezes é "um balcão de negócios, e escala jogadores por interesses empresariais". Nada a acrescentar, a não ser: como pode, tão descaradamente e ninguém fala nada!

Sobre a cornetada: bom, se o Santos não ganha do Corinthians em campeonato brasileiro desde maio de 2009, este ano faz três partidas que vcs não ganham e perderam o título paulista pra nós. Ou seja, o que de fato valeu, a gente papou - haha. Tá de bom tamanho...

Sobre a correção, Felipe, vou deixar pra fazer ao término do 1° turno...

Paulo M disse...

Jogo de amigos. Desfalques e times mal escalados ou mal orientados em campo são desculpa pra parte técnica, mas faltou o mínimo de vontade. Um horror...