domingo, 1 de maio de 2011

Santos despacha o São Paulo no Morumbi, mais uma vez


Ganso vence Casemiro e o São Paulo/ Divulgação
 A vitória do Santos de Muricy contra o São Paulo de Carpegiani por 2 a 0, no Morumbi, com bom público de 45 mil pessoas, foi construída no segundo tempo. No primeiro, o São Paulo dominou as ações e poderia ter aberto o placar. Mas, antes de tudo, nem decorridos 5 minutos, Neymar invadiu a área pela esquerda e chutou para Rogério Ceni fazer no reflexo uma grande defesa, e a bola ainda bater na trave. Não fosse a intervenção de Ceni, a vitória santista teria começado a se desenhar já ali. Esse foi um bom augúrio para a torcida alvinegra, que veria o Peixe despachar o Tricolor mais uma vez em mata-mata em pleno Morumbi.

Por falar em goleiro, Rafael trabalhou bem na primeira etapa, por exemplo num chute de Dagoberto da entrada da área e de Ilsinho quase a queima roupa, em lances seguidos. E saiu bem em bolas aéreas.

O domínio são-paulino no primeiro tempo foi anulado no segundo. Muricy Ramalho surpreendeu ao substituir um atacante, Zé Eduardo, pelo zagueiro Bruno Aguiar, o que deixou boa parte dos santistas com a pulga atrás da orelha. Mas a alteração mudou o jogo e rapidamente convenceu a torcida alvinegra: Elano e os laterais santistas, Jonathan e Léo, além de Paulo Henrique Ganso, tiveram mais liberdade. E a alteração equilibrou as coisas numericamente até, pois Zé Eduardo era uma nulidade, não estava em lugar nenhum do campo. Tudo bem, técnico não ganha jogo, dizem. Mas a mão de Muricy foi determinante na eliminação do Tricolor do Paulista pelo Santos neste sábado.

E vamos falar de gols. No primeiro, aos 16 minutos do segundo tempo, Neymar invadiu pela esquerda e tocou para Ganso. Alex Silva perdeu a dividida logo para Paulo Henrique, dentro da área. O camisa 10 só dominou e cruzou na cabeça de Elano, que cumprimentou no contrapé de Ceni.

O segundo gol foi de feitura “magistral” (para usar um termo que ouvi do Leonardo Bertozzi, da ESPN). Ganso deu um passe em profundidade para Neymar lutar contra a defesa tricolor dentro da área. O pequeno grande craque, marcado por Xandão, parou, estudou o lance, olhou e achou o próprio Ganso entrando desmarcado, deu-lhe a bola como se desse uma tacada de sinuca e o camisa 10 não perdoou. 2 a 0.



Agora o Santos espera o combate Palmeiras x Corinthians de camarote, enquanto voa para o México onde terça-feira joga com o América por um empate ou mesmo uma derrota por um gol de diferença, desde que marque pelo menos um tento, para ir às quartas da Libertadores.

No jogo de ida, na Vila, o Peixe bateu o América por 1 a 0. Leia aqui.

5 comentários:

Victor disse...

Muito feliz, o Santos mandou e neste jogo Muricy fez a diferença. Agora é espantar o cansaço e ganhar do América no México. Arriba Peixe.

Glauco disse...

Ontem Muricy fez mesmo a diferença e só restou ao time de Carpegiani a sucessão de chuveirinhos na área. E Neymar e Ganso... esses já não surpreendem mais, né? E, como disse o Victor, é administrar o cansaço e assegurar a classificação contra os mexicanos. Abraço, Edu.

Edu Maretti disse...

É isso aí, companheiros santistas. Bora pro México. Infelizmente sem Elano, que ficará em Santos para se tratar.
abs

Felipe Cabañas da Silva disse...

Será que o Casagrande vai continuar sustentando que o São Paulo é o "time mais completo do campeonato paulista"?

Engulo meu orgulho corintiano para dizer que só tem um time completo nesse campeonato, e é o Santos. O resto está tão obviamente meia boca que só um cara pouco lúcido como o Casagrande pra achar outra coisa.

O Santos deu um banho de bola no bambiteam do Carpegiani, que culpou, pitorescamente.... o intervalo.

Luciano disse...

Tadinho do São Paulo :(