quarta-feira, 18 de abril de 2012

Há 130 anos, nascia Monteiro Lobato


O escritor nasceu em 18 de abril de 1882, em Taubaté. Foi criador do magnífico Sítio do Pica-Pau Amarelo, fonte de inspiração e poesia, fantasia e criatividade inigualáveis para quantos o leram.

Quando criança, embora adorasse infinitas brincadeiras, principalmente jogar bola, não era com infelicidade que eu recebia as manhãs chuvosas ao invés das ensolaradas. Assim, podia ficar na cama lendo encantado as aventuras de Emília, Narizinho e Pedrinho, Visconde de Sabugosa, a sabedoria Tia Anastácia, Dona Benta e tantas outras criaturas a encarnar a cultura brasileira.

Minhas férias, então, eram tão mais ricas com as Reinações de Narizinho!

A felicidade era completa quando eu ficava doente, de cama, e além de ler as aventuras, podia faltar na escola e ficar de cama, a ler, e recebendo os cuidados de minha mãe, Leila, como se eu mesmo fosse um daqueles personagens.

Fica então esse singelo registro da efeméride, dos 130 anos do criador desse mundo mágico, fruto da cultura que o escritor incorporou de sua terra e eternizou numa obra imensa, para que os brasileiros nunca a esquecessem. Monteiro Lobato morreu em 4 de julho de 1948, aos 66 anos, em São Paulo.

E eu, apesar de ter lido e me encantado com os personagens e histórias do escritor, não sou e nunca fui racista.

Leia também: Monteiro Lobato, pasmem, é a nova vítima do politicamente correto

2 comentários:

Mayra disse...

E eu acho que o Lobato também não era racista, não!

Não li Lobato na infância...

Edu Maretti disse...

Quanto à pessoa Monteiro Lobato, suas opiniões etc., não entrei nesse debate porque o que importa é a obra (como Caetano Veloso,que tem uma obra grandiosa mas quando resolve dar entrevista só fala merda). E a obra infantil de ML é maravilhosa.