domingo, 8 de abril de 2012

Futebol: os campeonatos estaduais não têm mais sentido como são atualmente


Após a 18ª rodada da fase de classificação do desanimador e chato Campeonato Paulista deste ano, os 8 classificados já estão definidos. Desde a semana passada, aliás. Corinthians e São Paulo disputam a liderança. Independentemente da 19ª e última rodada, é certo que nas quartas-de-final um jogo será Timão versus Bragantino ou Ponte Preta, e o outro será, inversamente, Tricolor versus Ponte Preta ou Bragantino. Como o Santos deve bater a já rebaixada Catanduvense na Vila na rodada final e ficar com o 3° lugar, pegará o sexto colocado, que poderá ser Guarani, Palmeiras ou Mogi Mirim. O duelo entre o quarto e o quinto colocados é ainda indefinido.

Foto: Wander Roberto/ Vipcomm
Na fase de classificação, Corinthians 1 x 0 São Paulo no Pacaembu.
Timão e Tricolor lideram o estadual na penúltima rodada

É preciso reconhecer que os campeonatos estaduais se esgotaram. E digo isso com toda tranqüilidade, já que sempre os defendi. Mas o Paulistão de 2012, o carioca, o mineiro, o gaúcho, o baiano e todos os outros são hoje um completo fracasso.

Como sou paulista, vou me deter no campeonato daqui. Bom seria se a Federação Paulista de Futebol tivesse coragem de fazer um estadual mais enxuto, para ser o que é realmente: uma pré-temporada. Digamos com 16 times. Querem manter a fórmula atual? Pode-se mantê-la: todos contra todos em turno único, somando no total 15 rodadas. E depois mata-matas com os quatro melhores times nas semifinais.

Semifinais:

1° contra o 4°
2° contra o 3°

... em jogos únicos num fim de semana, com mando e vantagem do empate para o 1° e o 2°. Na final, a mesma coisa, em um jogo só, no fim de semana seguinte. Pronto, racionalmente o Campeonato Paulista ocuparia 17 datas, enquanto hoje ocupa 23. Com seis datas a menos (e não é pouco), os clubes que estão na Copa do Brasil e Libertadores teriam mais fôlego. Por que não? Os estaduais não podem continuar ocupando tanto calendário; como estão, não têm mais razão de existir.

Paralelamente, os times da segunda divisão estadual disputariam uma competição bem organizada durante a temporada, com o objetivo de manter o futebol do interior do Estado em atividade e vivo (se é que já não é tarde demais), classificando dois times para a Série A (contra dois rebaixados) e com algum critério para classificar outros à Copa do Brasil.

Lá vem a Lusa, descendo a ladeira

Lusa ficou no 2 a 2 com Linense
A nota melancólica é a Portuguesa, que subiu para a série A do Brasileiro com tanta autoridade, mas já no estadual demonstra que é um dos principais candidatos a mais uma vez cair para a segunda divisão do Brasileirão em 2012: no fraquíssimo Campeonato Paulista deste ano, a Lusa ocupa uma lamentável 15ª posição. No sábado de Aleluia, a equipe Rubro-verde ficou no 2 a 2 com o Linense no Canindé, com 1.181 testemunhas no estádio, e renda de R$ 22.700,00.

Comercial e Catanduvense já caíram. O Guaratinguetá está virtualmente rebaixado. A última vaga para o degredo está entre Portuguesa, XV de Piracicaba e Botafogo de Ribeirão Preto.

Principais resultados da 18ª e penúltima rodada (7 e 8 de abril de 2012) ) da fase de classificação do Paulistão 2012

São Paulo 2 x 0 Mogi Mirim
Portuguesa 2 x 2 Linense
Guarani 3 x 1 Palmeiras
Corinthians 1 x 0 Paulista
São Caetano 2 x 1 Santos

2 comentários:

Felipe Cabañas da Silva disse...

"1181 testemunhas"... hehehehe... Adorei essa. Mas seria cômico se trágico não fosse... A Lusa, que viveu lampejos de glória na década de 1990, disputando campeonato estadual e nacional de igual para igual com os grandes clubes do país, não consegue se levantar mesmo. É uma pena. Seria muito triste ver a Lusa rebaixada no campeonato paulista. Torcerei muito para isso não acontecer.

Sobre o campeonato, concordo totalmente com uma fórmula mais enxuta. Mas acho que nesse país continental sempre vai fazer todo o sentido ter campeonatos regionais. Nós, torcedores dos grandes clubes do país, muitas vezes desdenhamos, chamamos de paulistinha, pedimos para os técnicos colocarem reservas para preservar os times para os torneios nacionais ou internacionais, não sentimos a importância, mas há clubes no Brasil que dependem dos torneios estaduais para se manterem de pé (inclusive clubes muito tradicionais, como Remo, Paysandu, ABC, CRB, Náutico e outros). É a desigualdade econômica que se reflete nos relvados. Os estaduais atenuam o isolamento e a falta de perspectivas de muitos clubes no Brasil. Para os torcedores dos grandes clubes de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais é uma mera pré-temporada. Mas tem clube que só tem isso.

Edu Maretti disse...

Não discordo em nada de vc, Felipe, principalmente sobre a importância dos estaduais para os interiores do Brasil, de SP etc. Como disse no título do post, "os campeonatos estaduais não têm mais sentido como são atualmente".

Os times do interior paulista, por ex., têm de ter campeonatos importantes durante o ano. A maioria deles não faz mais nada depois do estadual. E parece que não interessa à FPF e CBF fazer importantes e bem organizados campeonatos pra que eles não morram, como séries C e D do Brasileiro de fato competitivas...

Enfim, é um papo longo.

abs