quarta-feira, 26 de outubro de 2011

PSD: o partido onde os ricos se encontram


Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr
Kassab, o chefe
Do site Congresso em Foco

Ele foi anunciado em março por seu criador como um partido que não é de direita, nem de esquerda, nem de centro. Sete meses após a famosa declaração do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, o Partido Social Democrático (PSD) nasce oficialmente hoje no Congresso como uma legenda de ricos e empresários. A maioria deles, ruralistas. Mais da metade da nova bancada tem na atividade empresarial sua principal ocupação. A soma dos bens declarados à Justiça eleitoral pelos congressistas do PSD também faz dele o segundo partido mais rico do Parlamento, atrás apenas do PMDB.

Entre titulares, suplentes e licenciados, o PSD havia arrebanhado 57 deputados e dois senadores até a última segunda-feira. Um número que ainda pode crescer. Desses 59 nomes, 42 (71%) são empresários urbanos ou rurais. Praticamente o mesmo número atua na defesa do agronegócio, como integrantes da bancada ruralista. Juntos, os discípulos do prefeito paulistano no Congresso acumulam um patrimônio de R$ 367,6 milhões. Ou seja, embora representem apenas 8,8% dos congressistas, eles respondem por quase 20% do total de R$ 1,94 bilhão declarado em bens pelos 667 parlamentares que exerceram mandato na atual legislatura.

O PSD abriga o parlamentar mais rico de todo o Congresso, o deputado João Lyra (AL), usineiro dono de uma fortuna declarada de R$ 240,4 milhões, acusado de trabalho escravo no Supremo Tribunal Federal (STF). Outros dois deputados do novo partido também somam mais de R$ 10 milhões em bens, Paulo Magalhães (BA) e Roberto Dorner (MT). Ao todo, 34 representantes do partido de Kassab no Congresso informaram à Justiça possuir mais de R$ 1 milhão em bens.

Leia matéria do Congresso em Foco na íntegra clicando neste link

Leia também sobre as mazelas da administração de Gilberto Kassab em São Paulo: A cidade de Gilberto Kassab

4 comentários:

mardson machado disse...

Muito bom o texto, Edu.
Abraço.

Rice disse...

É... não é um partido nem de esquerda, nem de direita, nem de centro... é um partido de bolso, mesmo.

Parabéns pelo texto, Edu!

Felipe Cabañas da Silva disse...

Uma lata de lixo política, em suma...

alexandre disse...

cheia de dinheiro...