quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Aldo é nomeado. Qual será a próxima cabeça pedida pela mídia?

Foto: Wilson Dias/ABr
Sobre o novo ministro do Esporte, Aldo Rebelo (PC do B), há prós e contras. Ele perdeu o respeito que tinha de amplos setores da esquerda pelo relatório que fez para o Novo Código Florestal. Para o sociólogo Marcelo Calazans, por exemplo, em entrevista recente à Rede Brasil Atual, os interessados em “desconstruir o Código Florestal” (e portanto aprovar o novo) “são as grandes empresas do agronegócio e os ruralistas ligados a elas. Soja, cana, gado e eucalipto”.

Eu entrevistei Aldo Rebelo para o jornal Visão Oeste no ano passado sobre o novo Código Florestal. Ele é bastante esquivo. Leia aqui.

Do ponto de vista do Esporte, Copa do Mundo, relações com a FIFA e CBF, a nomeação de Aldo pode ser positiva, se ele não estiver convertido como no caso do meio ambiente, já que, tendo presidido a CPI da CBF/Nike entre 2000 e 2001, contrariou interesses do imperador Ricardo Teixeira.

Conhecido como nacionalista, se o novo ministro se mantiver distante dos interesses da FIFA, da CBF, de Teixeira; se não capitular às investidas contra leis brasileiras para facilitar os lucros da FIFA na Copa do Mundo; se de alguma maneira estiver ao lado dos que querem ver o fim do império de Teixeira, merecerá aplausos. Mas nem por isso se deve esquecer o mal que seu projeto do novo Código florestal (em tramitação no Senado) pode fazer ao Brasil, se for aprovado.

Queda sem provas

Apesar, como já disse, de não por a mão no fogo, concordo totalmente com blogueiros e analistas para os quais a queda de Orlando Silva é inaceitável tal como ocorreu, “após mais de uma semana de acusações de desvio de verba em sua pasta”, segundo o Uol/Folha de S. Paulo. Ora, acusações, sem prova, de uma revista de direita, sem escrúpulos, com seu jornalismo marrom, agora vão pautar quem sai ou quem fica no governo Dilma? A presunção de inocência se transformou definitivamente em letra morta?

Foi por isso que, quando Antonio Palocci caiu da Casa Civil, embora Palocci esteja longe de ser um santo, eu disse que sua queda era para “satisfazer a grande mídia".

Virou moda a presidente Dilma entregar a cabeça dos que a mídia quer derrubar numa bandeja. Aguardemos qual será o próximo acusado (sem provas) que ela vai demitir como querem os chefes do Quarto Poder.

Uma verdade é indefensável. O Estado (entidade imensa de incontáveis trentáculos) é em si corrupto, seja no Brasil, na França, nos EUA, na Líbia, no Casaquistão. Um governo que prima pela cidadania e pelos interesses desse mesmo Estado deve combater a corrupção implacavelmente, afastar os bandidos, os corruptos e os incompetentes. O fato de haver corupção em qualquer ministério não é prova de que o ministro é corrupto. Se for, que pague. É simples.

Se algum dia a mídia tiver interesse em abrir a caixa de Pandora das privatizações do governo FHC – principalmente da Vale – o fedor tomaria conta do país inteiro. Mas nunca houve interesse em ir fundo nesses assuntos.

6 comentários:

Editora Limiar disse...

Depois o episódio do Novo Código Florestal tenho sinceras dúvidas sobre a capacidade de Aldo de se manter blindado às pressões/interesses que vão muito além das quatro linhas. Mas você tem razão, não dá para aceitar que o PIG derrube ministro.

Felipe Cabañas da Silva disse...

Aquele jornalista do dossiê do Aécio não estava escrevendo um livro sobre isso, "Nos porões da privataria"? Que fim levou?

Enfim, a roubalheira da privataria no governo feagacê é bem conhecida. Aqueles crimes não justificam estes, mas por que a grande imprensa foi tão leniente com a corrupção tucana e é tão virulenta com a corrupção petista?

Não sou dos que acreditam que o mensalão foi um grande factóide inventado pela midia, como já afirmei por aqui, mas a diferença de tratamento é patente. Também não sou dos que acham que a questão ética é dispensável diante de um governo que chega ao poder após um histórico de lutas progressistas, numa mentalidade maquiavélica de esquerda onde os fins (redução das desigualdades) justificam os meios (compra de parlamentares, por exemplo). Dessa mentalidade pro "rouba mas faz" malufista a distância é curtíssima, e vejo isso em muita gente que se diz de esquerda hoje. Que a máquina é suja, é. Mas é de fato dever de um governo progressista moralizar a coisa, e se a grande imprensa encontrou e ainda encontra caldo para seus factóides é porque desde Lula tem gente graúda demais no coração do poder que está se beneficiando das distorções da máquina.

Edu Maretti disse...

Boa pergunta, sobre o livro "Nos porões da privataria". Segundo post do Conversa Afiada de setembro, o livro está na gráfica...

http://www.conversaafiada.com.br/politica/2011/09/06/bomba-livro-do-amaury-revela-sistema-cerra-de-grampear/

Rice disse...

O que incomoda são as quedas antes das provas... Ainda mais quando o que move a denúncia parece mais ligado ao tamanho do cofre no qual Orlando Silva estava sentado (Copa do Mundo e Olimpiíadas) do que a defesa do bem público...
Confirmando-se ou não a ligação do ex-ministro com os desvios, acho que uma denúncia ainda não confirmada e oriunda de uma ONG condenada pelo próprio ministério de Orlando Silva a devolver o dinheiro aos cofres públicos não deveria ter força suficiente para derrubá-lo assim...

carmem disse...

Além da caixa de Pandora, o que falar do caso Alston e agora do comércio com as emendas? E todas as CPIs que que o PSDB e seus asseclas não permitiram que fossem instaladas?

Sobre o assunto deste post ouvi uma entrevista, na rádio CBN, bastante pertinente. Embora a maioria dos leitores do blogue conheça e talvez concorde com o que foi dito é sempre bom divulgar um pensamento esclarecido.

Pra quem se interessar e/ou tiver "paciência" pra ouvir, aqui está o link da entrevista com o cientista político Francisco Fonseca feita pela jornalista Cristina Coghi:

http://cbn.globoradio.globo.com/programas/cbn-noite-total/2011/10/27/A-TROCA-DE-ORLANDO-SILVA-POR-ALDO-REBELO-TRAZ-A-ESTABILIDADE-QUE-O-GOVERNO-PRECISA-NESTE-M.htm

E só pra aproveitar, cadeia por crime de racismo não é pra todo mundo? Pra mim, esse indivíduo Arnaldo Jabor tinha que ser preso pelo crime de racismo contra o ex-ministro Orlando Silva.

Luciano disse...

Aldo eh um cara que me agrada mtoooooo mas mtooooo mesmo.... Desejo mta sorte.....

nao aguento mais assistir o jornal da globo.... william wack e cristiane pelajo sao simplesmente RIDICULOS.... estao na emissora certa.