segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Faltando dez rodadas, Brasileirão chega à reta final esvaziado pela CBF

Uma constatação paradoxal. Apesar de muita gente querer o fim dos campeonatos estaduais, estes são hoje – e em parte a Copa do Brasil – o momento em que o torcedor dos grandes times podem ver a força máxima, os craques, em campo.

Foto: na seleção, não pegou Flu
Foto: Wagner Carmo VIPCOMM

O Campeonato Brasileiro, em tese, é o mais importante do país. Em tese. Na prática, fica espremido pelo calendário do segundo semestre, invadido por uma intolerável sequência de jogos da seleção brasileira, digo, balcão de negócios. A competição que deveria ser a coroação do futebol nacional é relegada pela CBF a uma quase desimportante e às vezes enfadonha sequência de jogos.

Neste domingo, a 28ª do Brasileiro, em sua reta final, com lutas renhidas em cima e em baixo da tabela, reservava um Flamengo x Fluminense empolgante, ambos lutando pelo G-4 e quiçá o título, e um Santos x Palmeiras sempre tradicional, com tabu em jogo, apenas para citar dois exemplos. Mas Neymar, Ronaldinho Gaúcho e Fred estão na seleção, assim como outros (Dedé do Vasco, Jeferson do Botafogo, Lucas do São Paulo).

Craque enfrenta maratona insana
Foto: Ricardo Saibun - Santos FC
Não à toa, com o calendário burro e (não tem outra explicação) mal intencionado, o Alvinegro da Vila não brilhou no Brasileirão das últimas duas temporadas, embora tenha levantado quatro títulos (dois paulistas, uma Copa do Brasil e a Libertadores) em 2010 e 2011. Os chefões da CBF preferem que o Brasileirão seja esvaziado e assim continuará. Na semana passada foi divulgado o calendário de 2012, que será igual ao deste ano. Em 2011, Neymar começou o ano, já em janeiro, na seleção sub-20, disputando pelo balcão de negocinhos o Sul-Americano da categoria. A maratona à qual o jovem craque é submetido é insana, mas o espetáculo (lucros da CBF, TV Globo etc) tem que continuar, não é mesmo?

E, por essas e outras, cada vez mais pessoas desprezam ou torcem contra o time que outrora se chamava Canarinho. O torcedor prefere seu clube, e os clubes são os maiores prejudicados pelo balcão de negócios que a CBF chama de seleção brasileira.

Corinthians líder

Não digo tudo para diminuir ou desmerecer a liderança conquistada pelo Corinthians após bater o bom time do Atlético Goianiense por 3 a 0, com a facilidade com que se tira o doce da mão de uma criança. Com a vitória corintiana e a derrota do Vasco para o Inter (3 a 0), o tropeço do Botafogo (2 a 2) ante o Bahia e o empate do São Paulo (3 a 3) com o Cruzeiro quarta-feira passada, o time do Parque São Jorge reassume a liderança em um momento chave. Só o Flamengo, que derrotou o Fluminense (3 a 2), que eu achava fora da briga semanas atrás, reentrou na briga.

Veja os gols da fácil vitória corintiana:




Os próximos jogos dos times que disputam o título, no meio de semana, são:

São Paulo x Internacional
Corinthians x Botafogo
Flamengo x Palmeiras
Atlético-PR x Vasco
Fluminense x Coritiba

A propósito, os clubes que têm atletas na seleção vão usá-los no dia seguinte a mais um amistoso (contra o México) sem a menor importância ou siginificado do time de Mano Menezes? Mas, enfim, deixando as consequências da politicalha de lado, o Corinthians (51 pontos) tem boa chance de aumentar a vantagem sobre Vasco (50), São Paulo (47) e Botafogo (46). O Flamengo, que pega o desmotivado Palmeiras, pode encostar, caso o Timão tropece no sempre perigoso Botafogo, que adora engrossar em São Paulo.

A julgar pela 28ª rodada, o Alvinegro do Parque São Jorge, caso aumente a vantagem na 29ª, já pode começar a ser apontado como favorito. Ou não?

Santos 1 x 0 Palmeiras e fim de tabu

E o Santos, finalmente, bateu o Palmeiras, a asa negra, após sete jogos. Desfalcados (o Peixe sem Neymar, Elano, Arouca, Felipe Anderson, Ganso e outros; o Verdão sem Valdívia, Kléber, Luan e Marcos), fizeram um jogo fraco. Mas não podia se esperar muito com o Santos cumprindo tabela e o Palmeiras quase isso. O time de Felipão, apático, não parece capz de reação a partir da derrota na Vila Belmiro.

A última vitória peixeira havia sido na semifinal do Paulista de 2009. Pelo Brasileirão, fazia cinco anos que o Alviverde não perdia do rival.

Aí abaixo, o 20° gol de Borges no Brasileiro, que acabou com o tabu



Atualizado às 15:20

6 comentários:

Nicolau disse...

Edu, sobre o calendário, concordo com quase tudo. Só acrescento que, se as coisas são assim, também é por culpa/interesse dos presidentes dos clubes, que todo ano aceitam a situação - e todo ano reclamam.

Edu Maretti disse...

É verdade, Nicolau, concordo com vc. O presidente do Santos, por exemplo, meses atrás, disse que o goleiro Rafael já estava merecendo ser convocado pela seleção... No fundo, intere$$a, para valorizar o atleta.

Talvez seja o caso de dizer "os clubes são os maiores prejudicados pelo balcão de negócios que a CBF chama de seleção brasileira" acrescentando que os clubes trabalham contra si próprios ou contra seus próprios times, que montam às vezes com grande investimento.

Glauco disse...

O problema é que o poder da CBF, além do econômico, é o do medo... Se o Santos for lembrar de 1995, por exemplo, Pelé fazia parte da diretoria e era desafeto de Ricardo Teixeira na ocasião. O resultado de tal desavença pôde ser visto não só na decisão do Brasileiro como nos julgamentos do STJD antes dela. Ou pode ter sido tudo só coincidência...

Difícil brigar com a CBF, tem clube que até finge que o faz, mas come na mão dela direitinho também.

Edu Maretti disse...

Glauco, 1995 é uma lembrança amarga. Eu tava lá, no Pacaembu, na final em que o Botafogo ganhou seu único título brasileiro da "era moderna" (pois ganhou a Taça Brasil de 68) com o auxílio inestimável de Márcio Rezende de Freitas. Antes do jogo, pelo radinho de pilha, fiquei sabendo que Pelé, esperado na final, não ia. E Ricardo Teixeira foi. Como não sou bobo nem nada, fiquei com a pulga atrás da orelha naquele momento... Não deu outra.

Coincidência não foi.

Mas o que acho incrível é que tudo se democratiza no Brasil, as instituições públicas e privadas, o Estado, se bobear até o exército, mas a CBF, não.

E os clubes são coniventes com isso tudo, como lembrou o Nicolau.

Enfim, sinceramente, tá dando preguiça de falar do campeonato brasileiro...

João disse...

maretti, vc nao acredita no Parmera? nesse brasileiro nem eu!... parabens heim... mas teve um impedimento que ia ser gol do Verdão e o juiz anulou o lance. mas blz... vcs mereceram... outros tabus virão

Felipe Cabañas da Silva disse...

É impressão minha ou já estão inventando motivos pra desmerecer o possível penta do Corinthians? Para os corintianos, bem como certamente para os vascaínos, são-paulinos, flamenguistas e botafoguenses, o campeonato brasileiro não está nada esvaziado, está é bastante interessante.