terça-feira, 4 de outubro de 2011

Rafinha Bastos procurou e achou

Quero falar em poucas linhas, e sob dois pontos de vista, a respeito do caso do humorista Rafinha Bastos, polêmica da semana, afastado do programa CQC desta segunda-feira por ter feito há 15 dias uma piada mais do que grosseira sobre Wanessa Camargo. Disse ele sobre a cantora, que está grávida: “comeria ela e o bebê”.

1) Minha avó Emiliana costumava dizer: “quem procura, acha”. Incauto (duvido) ou consciente da influência das pessoas com quem mexeu, o humorista apenas deu continuidade à série de grosserias (e a intenção não é recordá-las aqui) que lhe servem como marketing, pois bobo ele não é e a imagem do post mostra que suas polêmicas estão de acordo com seus conceitos de humor. Só que a piada que motivou seu afastamento atingiu alvos mais poderosos do que seu objeto, pois Wanessa Camargo é casada com Marcus Buaiz, muito amigo e sócio de Ronaldo (ele mesmo, o Fenômeno). Daí à interferência de Ronaldo, garoto propaganda da Claro, uma das grandes anunciantes do país, é apenas uma consequência óbvia.

É claro que aí tem a questão cultural para a qual algumas pessoas chamaram a atenção no Twitter, como a advogada Regina Sampaio (@BrazilPalestine), que escreveu nesta terça, 4: “Enfim aprendi com o caso @rafinhabastos q vc pode tudo desde q ñ mexa com quem o capital acha importante”.

Verdade. Mas é também verdade que a insolência, a prepotência, as grosserias e a falta de respeito de Rafinha Bastos em algum momento tinham que esbarrar em alguma oposição. E, se é verdade que a cultura do “você-sabe-com-quem-está-falndo” é retrógrada e nefasta, é também verdade que, como dizia dona Emiliana, “quem procura, acha”. E ainda bem que o humorista achou algo para frear sua falta de limites.

2) O segundo ponto de vista é mais profundo e diz respeito à terível influência da televisão nos hábitos e gostos da sociedade, vulgarizando-os, destruindo as culturas originais e enchendo as salas com os mais perniciosos programas. Pier Paolo Pasolini escreveu há quase 40 anos: “O fascismo, no fundo, não foi capaz nem de arranhar a alma do povo italiano: o novo fascismo, através dos novos meios de comunicação e informação (especialmente a televisão) não só a arranhou, mas a dilacerou, violentou, contaminou para sempre”.

Não vou repetir o que já escrevi a respeito, ao falar sobre um programa que é o paradigma do papel nocivo da TV na vida das pessoas. Neste link: A excrescência chamada Big Brother Brasil.

5 comentários:

Felipe Cabañas da Silva disse...

Parece que esse humor apelativo e antiético está ganhando cada vez mais adeptos no Brasil, algo que creio ter começado com o Pânico (não todos os quadros, alguns até acho bons) e que parece que esse tal de Rafinha Bastos está levando ao extremo.

Além dessa grosseria absurda com a Wanessa Camargo, outro dia mesmo ele fez a piada sobre o estupro, que achei muito mais grave do que esse caso de agora.

E o pior é ver um sujeito como esse apelando ao discurso da liberdade de expressão, como se absolutamente tudo devesse ser tolerado sob essa bandeira. Liberdade de expressão tem limites. No entanto, esse humor "sem noção" também sobrevive porque tem gente que o apóia e sustenta. Saudades do Mussum e do Zacarias... rs.

Paulo M disse...

Lembro dessa frase. Acho que o tal do rafinha teve até bem menos do que merecia. Falar assim ao público é coisa de pulha. É, de certa maneira, banalizar e até incentivar a condição da mulher num país em que, estatisticamente, morrem duas assassinadas a cada hora, em média. O fato é que estamos condenados à mídia tecnólogica, e ela vai intervir cada vez mais na vida de todos. Que seja pra "queimar", como foi nesse caso, as merdas que dizem os rafinhas da vida, não para nutri-las.

Reginna Sampaio disse...

Realmente o Rafinha Bastos aprendeu como ninguém a "arte do insulto " e faz tempo vem deliberadamente insultando a todo tipo de pessoa . Lembro de um insulto que ele fez no dia das mães referindo-se aos orfãos que me deixou muito constrangida . Achei boa a punição ao Rafinha bastos pq realmente era preciso uma atitude . Porém questiono o motivo real da punição . Ele foi punido pelo que disse ou pq o que ele disse ofendeu o marido que é sócio de alguém que é muito influente junto ao patrocinador ...isso me chama atenção pelo fato do Marcos Luque que na hora da paida riu bastante, isso está gravado, e depois do dedinho mágico do patrocinador fez uma nota de repúdio ...que o Rafinha Bastos tinha que ser um dia punido tinha , mas pelas tolices que diz e não por causa do patrocinador ... ele já ofendeu orfãos, negros,mulheres, nordestinos,cariocas e etc ...mas esses grupos não tem ligação intima com o patrocinador então ficou por isso mesmo e tal...

Belinha disse...

Interessante que o Rafinha ofende até mesmo seus conterrâneos... É impressionante como existe uma massa muito mais favorável as baboseiras que ele diz do que julgando, criticando ou repudiando(detalhe , era fã do rafinha até ele começar a se exibir com essa ARTE DO INSULTO) se é que insulto agora virou arte... O cara brinca até com o nome de Deus, comparando INRI Cristo com o proprio jesus... Afastar foi pouco, ainda bem que se demitiu, debochado, sínico, e sem humor nenhum ele até prestava antes, no inicio, foi só dar a mão que já quis tudo..SÓ tocando no assunto do Marco Luque, ele riu sim, mas não foi gargalhada, foi ate sem graça, no momento vc nem pensa, acho que nao deveriam julga-lo tbm nao, Marco Luque é um ator antigo assim como Tas, muito competente e ele sim faz humor... Quem assiste CQC3.0 na net depois do programa ir ao ar pode ver na ultima segunda Andreoli, Tas e Luque falando desse assunto .. respondendo a uma pergunta e responderam com naturalidade convicção e imparcialidade pois pela etica n podem sair metralhando o colega o que seria beneficio so para ele , o rafinha porque geraria mais mídia...

Edu Maretti disse...

Belinha, como disse o Felipe Cabañas em comentário acima, "esse humor sem noção também sobrevive porque tem gente que o apóia e sustenta". Concordo com isso, esse é o grande problema.

Seja como for, pelo menos desta vez a "arte do insulto" entrou pelo cano.

abs