terça-feira, 30 de março de 2010

Devassa continuará proibida

O Conar (Conselho de Autorregulamentação Publicitária) manteve nesta terça-feira, 30, a proibição da veiculação da propaganda da cerveja Devassa na TV. O comercial havia sido tirado do ar liminarmente no início de março. A propaganda foi autorizada a ser transmitida pelo rádio. No julgamento desta terça-feira, 30, 12 conselheiros mantiveram por unanimidade a decisão anterior.

A Devassa é fabricada pela Schincariol. Na propaganda da agência Mood, a socialite Paris Hilton é fotografada por um voyeur em cenas sensuais enquanto desfila com a lata de cerveja.

As polêmicas continuam as mesmas.

1) seria procedente a alegação que pipocou aqui e ali de que a proibição atenderia interesses da AmBev, “maior cervejaria da América Latina e 4ª maior do mundo”? (as aspas são do site da própria Ambev).

2) a argumentação da defesa da agência Mood, responsável pela propaganda, citou a "Boa", da Antarctica, com Juliana Paes, para argumentar que a proibição é incabível porque "não é a primeira vez que se vê uma menina com uma lata de cerveja na mão dançando em um comercial de cerveja".

3) A proibição da Devassa atende ao argumento de que o anúncio é “desrespeitoso para mulheres e abusa de sensualidade”. Na minha opinião, "desrespeitoso para mulheres" soa muito politicamente correto para o meu gosto. E "abusa" de sensualidade é subjetivo. O que é "abusar" da sensualidade quando sabemos que na TV tudo pode? Se qualquer pessoa for ao site do Conar, verá que entre seus preceitos básicos está o seguinte: todo anúncio "deve ser preparado com o devido senso de responsabilidade social, evitando acentuar diferenciações sociais".
Independentemente de sexo e sensualidade, este preceito torna-se uma piada se você assistir a uma miríade de anúncios televisivos quaisquer, que incentivam o consumo desenfreado, a velocidade dos carros potentes, a voracidade das crianças por produtos comestíveis nocivos à saúde etc.

Isso para não ir além e lembrar que a novela da noite da Globo e o pernicioso Big Brother são liberados para horários em que as salas estão cheias de crianças. OK, novelas e programas não têm nada a ver com o Conar, órgão não governamental e de autorregulamentação, criado pelo próprio mercado publicitário. A questão fica colocada apenas para reflexão.

Enfim, para quem não viu, o comercial proibido está abaixo. Cada um que faça seu juízo.

[atualizado à ooh10]


Um comentário:

Felipe Cabañas disse...

é uma hipocrisia sem tamanho... até porque propaganda de cerveja é a lata de lixo do mundo da publicidade... que já é um lixo por si só, mas volta e meia produz propagandas muito inteligentes... em propaganda de cerveja é sempre a mesma coisa: bunda, bunda, mulher, "sensualidade" (para quem sabe o que é sensualidade é difícil ouvir calado que o que tem na propaganda de cerveja é sensualidade)... é impressionante que para mim propagandas de cerveja têm o efeito exatamente contrário: tenho vontade de nunca mais botar um gole de cerveja na boca...

agora, de fato arrumaram um bode expiatório nessa propaganda da devassa... a televisão brasileira, não só nas propagandas, despeja toneladas de lixo sobre as nossas cabeças todos os dias e ontem um sujeito estúpido, imbecil, que afirmou ao vivo que aids não se pega por homens heterossexuais e tem uma suástica tatuada no braço ganhou o big bosta com votação recorde... no fundo, cada povo tem a televisão que merece! FUI!