terça-feira, 9 de março de 2010

Caetano deslumbra Buenos Aires

Se a rivalidade entre Brasil e Argentina existe no futebol (aliás, ótima fonte de renda para a imprensa e particularmente adorada por Galvão Bueno), em questões musicais o bom senso fala mais alto.

Outra observação: se Caetano Veloso deveria fugir de falar de assuntos políticos, quando se trata de música continua a ser o velho mestre de sempre.

Junto neste post alhos com bugalhos para comentar a repercussão do show Zii e zie, que o autor de "Sampa" apresenta em turnê pela América Latina. Os dois maiores jornais argentinos não economizam elogios sobre as duas apresentações do músico no Teatro Gran Rex, onde deverá se apresentar de novo este sábado, 13, data em que iria tocar em Santiago do Chile, abalada por um terremoto.

"Um 'trio elétrico' (guitarra, baixo e bateria, em alusão à banda Cê), um trovador sessentão, uma asa delta como cenografia e uma sucessão de canções em aparente estado selvagem, como breves explosões de magmas musicais, pontuadas pela sofisticação de sua arte: é Caetano Veloso surfando com elegância e jovialidade tropicalista", diz o jornal diário La Nación, de Buenos Aires.

O concorrente El Clarín, em matéria sob o título "Um contraponto de alto vôo", aborda o show afirmando que o brasileiro e seus músicos (o guitarrista Pedro Sá, o baixista Ricardo Dias Gomes e o baterista Marcelo Callado) "deslumbraram o teatro Gran Rex". De acordo com o Clarín, o "som elétrico [de Zii e Zie], cru e distorcido, é o melhor contraponto para a sofisticação de Caetano Veloso", analisa.

A turnê de Caetano segue, depois, para México e Estados Unidos, segundo o site oficial do artista.

3 comentários:

Alexandre disse...

é sempre bom saber de Caetano, quando anda pelo mundo em tremores, propagando o melhor da arte tropical. Salve mestre Caê.

Anônimo disse...

Grande Caetano, mestre, arrojado e poeta!

Felipe Cabañas disse...

meu... essa rivalidade entre brasil e argentina levada para fora das quatro linhas e se tornando "questão cultural" já encheu o saco... o ser mais pernóstico da televisão brasileira, sr. galvão bueno, tem gde parcela de culpa em alastrar essas bobagens, e os brasileiros têm uma espécie de síndrome de baixa auto-estima, achando que os argentinos são arrogantes e se acham europeus, o que é uma grande mentira... o fato é que os argentinos são sérios, muito mais politizados que nós, ganham mais libertadores e também são protagonistas políticos regionais, como o Brasil, que também é um país altamente politizado e que ganha mais copas do mundo... devemos nos unir e não criar uma falsa rivalidade que no fundo serve aos interesses neocoloniais... viva Astor Piazzola, viva Maradona, viva o Boca Juniors... hehe