quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Kassab, ovada e PT


Hoje, 25 de janeiro, o prefeito de São Paulo, atualmente com péssima avaliação da população, foi hostilizado e levou ovada de manifestantes nas comemorações do aniversário da cidade, no centro da capital. No mesmo dia, noticia-se sobre a cada vez mais possível coligação do PSD de Gilberto Kassab com o PT. Seguem abaixo dois trechos de matérias (do iG e da Agência Brasil).

Não é por nada, mas tenho para mim que uma eventual aliança PT-Kassab pode ser, talvez, o maior tiro no pé que o partido de Lula terá dado em sua história conhecida.


Kassab lamenta violência em manifestação contra operação na Cracolândia e no Pinheirinho
25/01/2012 - 16h28

São Paulo – O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, lamentou a violência no protesto que enfrentou hoje (25) após assistir a missa de comemoração dos 458 anos da cidade, na Catedral da Sé. “Lamentamos os que usam de violência. Violência não é o caminho para as manifestações. Violência não é o caminho para construir um país mais justo, mais igual”, disse após participar de outro evento.


Na saída da missa, manifestantes atiraram ovos e bateram no carro do prefeito em protesto contra as ações policiais na Cracolândia e na reintegração de posse do Pinheirinho, em São José dos Campos (SP). A Polícia Militar usou gás de pimenta para reprimir a ação. (Da Agência Brasil)

xxxxxxxxxxxx


PT vai liberar negociação com Kassab em São Paulo

25/01/2012 19:11


Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr - 12/08/2011
O conselho político da campanha do pré-candidato petista à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, vai se reunir neste sábado para avaliar a possibilidade de coligação com o PSD do prefeito Gilberto Kassab.


Segundo dirigentes do partido em São Paulo, a tendência é que o partido se dobre às pressões do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e libere as negociações com Kassab.

"
Não vamos fugir de uma discussão que está colocada”, disse o vereador Antonio Donato, presidente do diretório municipal do PT.
Apesar das pressões de Lula, boa parte do PT da capital resiste à aproximação com Kassab. O PT é o principal partido de oposição à prefeitura na Câmara Municipal. Haddad assumiu a candidatura adotando um discurso de críticas a Kassab.



Além disso, os petistas acreditam que o prefeito pode estar fazendo um jogo combinado com o ex-governador José Serra (PSDB), principal adversário do PT em São Paulo. Do iG, São Paulo.

xxxxxxxxxxxx

Nota do blogO agora ex-ministro da Educação, Fernando Haddad, candidato de Lula à prefeitura de São Paulo, não confirma nem desconfirma o possível acordo com Kassab. Ainda citando o iG (dia 23):  “A gente tem de discutir o que está acontecendo. Não uma eventualidade. Houve um gesto de aproximação, que é real. Mas esse gesto tem tantos condicionantes, que é o PSDB não lançar o [José] Serra, o PSDB se recusar apoiar o candidato do prefeito [Afif Domingos]”, disse Haddad.

7 comentários:

Silvia disse...

Penso que a indignação deve tomar as ruas, pois na minha memória de cidadã, pouco engajada nos movimentos sociais, lembro-me de atos recentes de arbítrio que remontam ao nosso entulho autoritário e que se reproduzem, cada vez mais rapidamente. Na minha percepção, com apoio silencioso de parte da sociedade paulistana. A mesma, que silenciosamente assistiu aos muitos crimes cometidos durante a ditadura militar.

Polícia espancado estudantes secundaristas que protestavam pelo aumento do transporte coletivo...Proibição da livre manifestação pela discriminação da maconha, posteriormente liberada ... Ocupação e repressão aos estudantes da USP... Cracolância... Pinheirinho...

A proposito, sábado passado estive no churrasco contra os atos de barbárie cometidos contra os usuários de crack. Bonita manifestação, apesar do baixo número de participantes. Quem sabe eles tenham percebido que alguém se importa, é pouco? Sim, talvez apenas melhor que nada... Nesse dia, um fato me chamou atenção, eles estavam lá, a polícia tranquilamente filmando os manifestantes. A mesma que bate e espanca sob os olhos dos cidadãos civilizados.

Mayra disse...

Como já comentei com você, se essa aliança nefasta rolar, não voto no PT.

Felipe Cabañas da Silva disse...

Simbólicamente, esse seria o ato que viria para divorciar definitivamente o PT dos ideais da esquerda, para colocá-lo de vez dentro do centrão interesseiro e fisiológico. O Kassab é um Malufinho. É pior que Sarney, Renan Calheiros e Michel Temer juntos.

Dificilmente eu voltarei a votar no PT nessas condições. A indignação diante da cidade anti-democrática, cada vez mais cara, desigual e desorganizada que o Malufinho dos deixa é muito grande para aceitar passivamente um quadro político como esse. Definitivamente se aliar às forças mais conservadoras não é o melhor caminho para voltar ao poder em São Paulo.

E, diante dessas condições, tenho de dizer isso: duvido que Marta Suplicy permitisse tal situação. Fernando Haddad vai ter que mostrar que não é um mero fantoche de Lula, senão o meu voto, certamente, ele não vai ter.

Felipe Cabañas da Silva disse...

"Kassab lamenta violência em manifestação contra operação na Cracolândia e no Pinheirinho".

Eu quero perguntar ao "prefeito" se ele sente a mesma indignação diante da violência da polícia no Pinheirinho, na cracolândia, na USP, na marcha da maconha ou nas manifestações de professores.

Paulo M disse...

O PT vai ter um prejuízo imenso se fizer a aliança com o Kassab, pois a população de São Paulo tende para a direita, e a balança vai pender pra esse lado. Mesmo do ponto de vista estratégico, me parece burro aliar-se ao PSD (e olha que não sou essas coisas em estratégia política). Talvez a Marta tenha sido preterida justamente porque não permitiria essa situação, como disse o Felipe Cabañas. Lembrando que a Erundina, recentemente, disse que deixaria o PSB no caso de o partido se aliar a Kassab. Não há melhor do que levar até o fim seu ideal.

Felipe Cabañas da Silva disse...

Pra complementar a mensagem do Paulo: a Erundina é uma das lideranças mais respeitáveis que temos no Brasil, e em SP em particular. Diante da mediocridade que está tomando conta, conserva a personalidade e a lucidez.

Kassab é uma "força claramente conservadora", como disse a Erundina nessa mesma declaração que o Paulo citou, e com forças "claramente conservadoras", para quem nasceu e vicejou defendendo os ideais da esquerda, não deve haver negociação. O PT vem negociando. E eu continuei votando no PT. No entanto, governabilidade e real politik têm limites. KASSAB NÃO!

Edu Maretti disse...

Não sei se vocês viram, mas José Dirceu comentou hoje em seu blog sobre a situação, que, nas palavras dele, "é uma equação nada simples". No post, ele afirma que "há um longo caminho a percorrer no debate e na busca de um consenso em torno de uma aliança com o PSD e o prefeito, um caminho cheio de pedras e perigos". No link:

http://www.zedirceu.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=14351&Itemid=2