domingo, 5 de fevereiro de 2012

Palmeiras bate Santos em Presidente Prudente de virada com gol contra de Maranhão



Por Paulo Maretti

Em jogo válido pela quinta rodada do Campeonato Paulista 2012, o Palmeiras venceu o Santos por 2 a 1, de virada, nos cinco minutos finais da partida, em Presidente Prudente.

O Palmeiras entrou em campo decidido, nos primeiros 20 minutos, a invadir a praia adversária, mas, como sempre, esbarrou na defesa rival e num futebol limitado pelas atuações fracas de seus homens de frente, Luan e Fernandão. O Santos, defensivo e cauteloso nesse início, sentiu mais o calor da região oeste paulista e o ar seco longe do mar.

Depois dos 20 minutos do primeiro tempo, o time alvinegro saiu pro jogo, procurou espaços e encontrou os pés (e a cabeça) de Neymar, que faria seu centésimo tento na carreira, à queima-roupa, e aos 20 anos, após cobrança de falta de Paulo Henrique.

Mas isso foi aos 25 da segunda etapa. Antes, no intervalo, Muricy tirou Borges, com dores, e pôs o bom Alan Kardec. Não sei se por razão ou engano meu, vendo o jogo, achei que o Kardek estava fora de posição, e rendeu pouco pela esquerda, ou bem menos do que o vejo fazer quando enfiado no meio da área.



E o jogo estava esmorecendo, esmorecendo, do começo de um segundo tempo fraco até esses 25 minutos, quando eu já quase dormia e Neymar testou a bola pras redes palmeirenses. O garoto reacendeu a vitalidade histórica do clássico e me fez pensar: “Começou a peleja.” Daí pra frente, mais na base da vontade do que da técnica, o Santos x Palmeiras ficou aberto e ganhou emoção, até que, aos 41, Ibson, o substituto de Elano, levou o segundo amarelo e deixou a equipe praiana com um a menos. Fernandão empatou de cabeça, em escanteio cobrado por Marcos Assunção, e Maranhão (contra) virou para o Palmeiras.

Na saída para o intervalo, Neymar reclamou, com sobras de razão, do calor excessivo: “Muito quente, tá difícil jogar.” Ao final da partida, reclamou da arbitragem, pra mim, sem razão. Ou Ibson, que antes levou cartão amarelo justamente, não fez a falta por trás em Daniel Carvalho?

O erro da arbitragem no jogo foi ter “esquecido” os cartões no vestiário antes do primeiro tempo. A falta bizzarra de Cicinho em Neymar, depois de um drible de craque do atacante santista, era até pra cartão vermelho se o juiz fosse rigoroso. E o pontapé de Ganso em Valdívia pelas costas (que por consequência pode ter sentido a contusão que o tirou de campo) era, idem, merecedor de punição com amarelo. Ou será que o chileno está mais é sentado num salário que o exime de compromissos com o clube (diz ele) de seu coração? O fato é que Daniel Carvalho o substituiu e jogou, jogou melhor, acima do peso, mas com vontade de decidir.

6 comentários:

Edu Maretti disse...

Acho que não dá pra dizer que o juiz determinou o resultado do jogo. Mas ele foi tendencioso a favor do Palmeiras.Neymar reclamou com razão, na minha modesta opinião. Sofreu várias faltas não marcadas.Uma delas redundou num contra-ataque do Palmeiras que o Daniel Carvalho não fez pq São Rafael salvou.

Mas tudo bem, antes de o Palmeiras virar, após aquela falta tola de Ibson (Êh, Ibson, que beleza), eu falei: o Santos merece perder. Com Henrique e Ibson (que entrou no lugar de Elano), não dá. Foi até bom Ibson ter sido expulso, pra queimar ainda mais o filme dele. Pra ficar claro que entre ele e Elano, Elano joga mais.

O Santos jogou com 2 laterais pavorosos: Maranhão e Pará. Parece aula de geografia. Ainda bem que na direita já terá o uruguaio Fucile (recém-contratado, jogador da seleção uruguaia), porque Maranhão não dá pra jogar nem no time C do Santos. A zaga do Santos é muito ruim (com Dracena piora).

E, fora isso tudo, o Peixe jogou como time pequeno, à la Muricy. O tempo todo na defesa esperando um contra-ataque. Isso não é o Santos.

João disse...

mais uma pra cadernetinha hem Maretti.

saudações palestrinas!

Felipe Cabañas da Silva disse...

Assisti o jogo inteirinho ao lado do meu querido tio santista, seu Zé Arlindo, e até os 25 do segundo tempo, como bem colocou o Paulo, ele não estava nem dando bola pro jogo, mudava toda hora pra ver dança contemporânea na TV SESC...rsrs... Parecia um duelo Catanduvense x XV de Piracicaba... hehehe...

Aí vem a cabeça do Neymar, e sua dancinha mequetrefe, e o Palmeiras vai pra cima... Foi uma interessante virada, fazia tempo que não via uma virada tão inesperada. O Palmeiras foi levemente melhor, e terminou merecendo, na minha modesta opinião chorintiana...rsrs

Edu Maretti disse...

Abraços ao tio Zé Arlindo, Felipe. Pelo menos tem alguém sensato na família - hehe.

Paulo, eu disse no comentário acima sobre Neymar ter sofrido várias faltas não marcadas. Quanto às marcadas, ele sofreu 5 SÓ nos primeiros 20 minutos, algumas desleais, inclusive uma cotovelada clara (acho que é esse o lance que vc menciona no post...).

O lance da expulsão do medíocre Ibson... achei, no mínimo, um exagero. Vendo melhor, acho que inclusive não foi falta. Se foi, com certeza não era pra amarelo. Teve muuuitas piores do que essa no Neymar. Repare nas duas pernas e nos dois pés do camisa 9 palmeirense, no replay da jogada, por volta dos 15 minutos do vídeo abaixo. Ele visivelmente se jogou. Esse árbitro Luiz Flávio Oliveira (registre-se o nome) é um dos piores que existem. Talvez só o irmão dele seja pior.

http://www.youtube.com/watch?v=tUd-sy00_x0

abraços

Paulop M disse...

É que a falta do Ibson foi por trás, e, nesse caso, independentemente da violência do lance, manda a regra que se aplique o cartão amarelo. Acho que aí o árbitro acertou. Agora, se o Ibson acertou o adversário realmente, não sei, rs. Mas também não vi falta no lance que originou o gol do Santos, não. Alguém chega junto do Neymar, encosta nele (futebol é jogo de contato), ele dá ainda três ou quatro passos e cai. E o Santos não apanhou sozinho, bateu tanto quanto. O cartão vermelho foi por falta de experiência de um jogador rodadinho já, que agiu como quem vem chegando da Copa São Paulo. Um jogo meio ruim tecnicamente, mas com boa adrenalina depois do gol do Santos. Espetacular vitória esmeraldina, no final, he he.

alexandre disse...

Grande virada!Digna de Palmeiras e Santos.; Dizem que esse jogo é a receita miojo...cozimento em três minutos. O Neymar teve que deixar a festa pra fazer em casa, hahaha.
Consegui assistir ao jogho a partir do segundo tempo. Foi uma partida com muitas faltas, não tendo uma boa arbitragem, prejudicando as duas equipes. Não foi realmente um jogo técnico, mas deixando claro que nessas horas surge a estrela do Felipão, quando falta técnica, vai na raça. E o Palmeiras foi melhor no jogo. Dá-lhe Verdão.