sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Elano é vítima de um esquema tático que sacrifica o talento


A notícia de que o meia Elano estaria em “rota de colisão” com o treinador Muricy Ramalho pode não se confirmar, mas também pode ser o primeiro sinal de que as coisas já não estão tão bem no relacionamento de Muricy com o elenco. Além disso, o atleta estaria chateado por saber que, supostamente, teria sido oferecido pela diretoria santista (especulação?) em uma eventual negociação com o meia Douglas, do Grêmio, que acabou indo para o Corinthians.


Foto: Ricardo Saibun/Santos FC
No time de Muricy, meia é reduzido a um marcador

É verdade que Elano não rendeu no segundo semestre do ano passado o que dele se esperava (mas quem rendeu, fora Neymar?), e neste blog eu o critiquei seguidamente. É também verdade que o jogador custa caro, tendo um dos maiores salários do clube (seriam R$ 500 mil). E, como se sabe, ele teve problemas pessoais no ano passado, como todo mundo tem, o que prejudicou seu futebol.

Limitação tática

Por outro lado, vou sair aqui em defesa de Elano, bicampeão brasileiro (2002 e 2004), paulista e da Libertadores pelo Santos em 2011.

Parece-me que o desconforto de Elano passa muito pela limitação tática do esquema de Muricy Ramalho. Vejamos por exemplo o empate em 1 a 1 com o Oeste, ontem. Enquanto jogou (embora limitado a uma faixa de campo – porque Muricy exige que ele marque, marque e marque, mesmo com dois volantes – Arouca e Henrique –  contra um adversário defensivo), Elano deu alguns passes longos de precisão cirúrgica, o que não é pouco num time que tem nos erros de passe (diga-se: sintoma de treinamento deficiente) um de seus principais problemas, bateu escanteios venenosos e, numa cobrança de falta, mandou uma bola na forquilha, que bateu no travessão.

O jogador pediu para sair, embora aparentemente sem nenhum problema físico. O treinador justificou dizendo que ele ainda está sem ritmo de jogo e não conseguia se adaptar à marcação no setor que já tinha Pará. Ora, com Muricy, o habilidoso, versátil e ofensivo Elano é reduzido a uma função medíocre de marcar e cobrir o lateral direito, mesmo com a equipe já tendo dois volantes (Henrique e Arouca).

Marcação, marcação e mais marcação

Incrivelmente, o meia não foi sequer escalado na final contra o Barcelona, com toda a bagagem, experiência e categoria que tem. Muricy insiste na nulidade que responde pelo nome de Henrique, enquanto sacrifica um meia como Elano (que também joga de volante, mas cria) para marcar e marcar e marcar... o Oeste!, que só entrou em campo ontem para destruir, e inclusive com deslealdade (Neymar apanhou muito contra esse timinho de Itápolis).

Apesar de não estar em sua melhor forma física (e quem está, no time titular?), Elano não é bobo, e enxerga a aberração defensiva do treinador. Provavelmente isso esteja na raiz de seu comportamento contra o Oeste. O esquema de Muricy sacrifica o talento. Ele reclama do elenco (que segundo ele precisa de reforços), mas não tem coragem de escalar um volante de muito talento, Ânderson Carvalho, que é jovem, porque seu titular é Henrique. Deixa o artilheiro do campeonato (Alan Kardec) no banco em nome do seu esquema. Kardec cabe, sim, no time, com Neymar e Borges (que ontem, aliás, jogou muito mal e perdeu três gols feitos).

Em minha modesta opinião, quem ganha jogos e títulos são os jogadores, e um grande treinador já faz muito quando não atrapalha. O Santos tem elenco para disputar todos os títulos em 2012, mas com esse espírito (e espero queimar a língua) vai ser difícil.

Santos x Palmeiras

O próximo jogo do Peixe é contra o Palmeiras em Presidente Prudente, domingo. O treinador já avisou: “Não estamos preparados para jogar um clássico, a parte física nossa não está ideal”. Claro, Muricy, isso ficou claro no segundo tempo de ontem, quando o time pregou completamente. Mas, para o grande "professor", uma eventual derrota já está de antemão justificada.

4 comentários:

Glauco disse...

Edu, acho que o Elano pode e deve conversar com o técnico a respeito do seu posicionamento. Mas o tipo de atitude é que chateia e mostra que ele continua instável emocionalmente. Quando perdeu o pênalti cobrado de forma grotesca contra o Flamengo, foi vaiado e, por causa da torcida, ameaçou sair. Não precisava fazer esse tipo de declaração...

Parece que o meia está sempre com os nervos à flor de pele e, num time de futebol, isso pode ser fatal. Tem sua dose de razão, mas vai perdendo a dose que tem com a postura que apresenta. Devia pegar um pouquinho da seriedade e humildade do Neymar emprestadas, hehe. Abraço!

Felipe Cabañas da Silva disse...

Eu nunca gostei do estilo de futebol de Muricy Ramalho. Essa atual crise com o Elano mostra que o discursinho que o Muricy tentou sustentar depois do mundial, de que o resultado contra o Barcelona não afetaria em nada o elenco do Santos, está muito longe da realidade. O Santos começa 2012 em crise, e vejo em muitos santistas um sentimento dúbio em relação ao Muricy: ao mesmo tempo a gratidão por ele ter arrumado o time que se sagrou tri da Liberta, e o rancor pelo fiasco que foi o mundial. Esse discurso de que o Barcelona é o melhor time da história e que qualquer time ali tomaria aquela "aula de futebol" não cola. O Santos tinha time pra segurar o Barcelona, tentar vencer, ou ao menos pra perder de 2 x 0, 2 x 1 ou 1 x 0, o que seria muito mais honroso. Não muda nada?? Eu acho que muda muita coisa. Futebol é um esporte que envolve intensos sentimentos honoríficos. Eu preferia muito mais ter perdido para o Once Caldas a pré-libertadores do ano passado do que para o Tolima. Seria bem menos traumático.

A maneira como se deu a vitória do Barcelona colocou em xeque o trabalho do Muricy, na minha modesta opinião "imparcial" de torcedor rival... rsrs
E não vai ajudar nada o cara sair disparando contra o time, contra as categorias de base, contra a política do clube. Só vai tornar a situação dele mais insustentável. Vejo que o Santos tem amplas possibilidades novamente de trocar de técnico durante a Libertadores, o que já deu certo uma vez. Será? Tem um certo Vanderlei Luxemburgo dando sopa por aí... rsrs

Edu Maretti disse...

Não, não. Vira essa boca pra lá. Luxemburgo não volta com Luis Alvaro à frente do clube, por 3 anos. A diretoria, que mudou totalmente a forma de gerir o SFC, desceu o cacete no Vanderlei quando tomou posse.

Agora, dizer que "o Santos começa 2012 em crise" é exagero. Existe uma crise com um jogador. Se é um "sinal de que as coisas já não estão tão bem no relacionamento de Muricy com o elenco", como eu especulei no post, isso só o tempo dirá. E o clube está do lado do técnico. Parece que o elenco está alheio ao problema, até porque a instabilidade emocional do Elano (como disse o Glauco) prejudicou muito a imagem dele na Baixada.

Por mais que eu e muitos santistas critiquemos o Muricy com seu futebolzinho feio e conservador, acho que ele não sai da Vila tão cedo não, Felipe...

Felipe Cabañas da Silva disse...

Especulações servem pra isso: passar o tempo... hehehehe