domingo, 7 de fevereiro de 2010

Neymar e Robinho contra Rogério Ceni é demais

O que se pode fazer, Rogério Ceni? No primeiro gol, você cai sentado, no pênalti que Neymar bateu. Você disse, Ceni, em entrevista no intervalo, que esse lance no qual você ficou sentado (diria o povo, caiu de bunda) é algo típico de Brasil, pois na Europa, onde Neymar deve jogar, segundo você, não se faz esse tipo de jogada, a da paradinha.

No segundo, você ajoelha, diante da letra de Robinho. Faz parte, Rogério Ceni, faz parte. Sentar diante de Neymar e ajoelhar diante de Robinho. Faz parte.

Vem aí a Libertadores, e quarta-feira tem o time reserva do Monterrey, que dá mais valor ao campeonato mexicano do que à Libertadores.

Deixa o Paulistinha pra lá. Como no ano passado, quando o grande Tricolor não ganhou nem Libertadores, nem Brasileiro, nem Paulistinha. Mas o fato é que os lances históricos serão históricos para sempre.

Boa noite, vou tomar uma cerveja.

11 comentários:

Felipe Cabañas disse...

meu... eu queria saber porque o tricoflor do morumbicha sempre fica com os grupinhos mais ridículos da libertadores... primeira fase pros bambis é sempre uma mamata...

algum palpite?

Edu Maretti disse...

velho, o único palpite é que não acho que o São Paulo vá ganhar nada em 2010. Falo como jornalista, e não como torcedor...

abraços

Gabriel Megracko disse...

A pior coisa pra um sujeito é ter ressaca no domingo à noite sem tomar sequer uma gota de álcool. É daquelas noites que o cara pensa em acabar a carreira: "não sirvo mais pra isso". Mas amanhã ele vai acordar e enfrentar a vida, como todo mundo, até encontrar de novo o brasileiro subdesenvolvido, o Neymar, da paradinha, e seu orador, Robinho, das letras.

Flávio Fraschetti disse...

O mais legal é pensar como os santistas vivem de Robinho, vivem de passados. Melhor respeitar os sonhos de quem não tem presentes.

Anônimo disse...

hoje o rogério sentou pra esperar e rodou de bunda, ajoelhou pra rezar, mas quando ele viu, o diabo da bola passou.

Gabriel Megracko disse...

Hahaha! É disso que eu gosto, quando o cara perde até a noção do tempo: se hoje não é presente pra vocês, foi um presente pra nossa torcida e algo que vocês desejariam esquecer o quanto antes, mas no futebol o presente pra uns é pra outros o desejo de apagar aquela imagem que a gente até desliga a tevê pra não ver de novo.
Se o Neymar não é presente, então acho que o Rogério Ceni viu um fantasma; Se o Robinho não é um presente, então acho que o Rogério Ceni vai precisar de um psicólogo.

Flávio Fraschetti disse...

é óbvio que nem liguei a TV hoje. rs

Creisu disse...

Hahaha, ainda bem que vc ia ser fino,político e não ia sacanear geral!! Ótimo post. Se fosse eu apavorava muito mais...Abraço e até os gramados.

Tiago Ferreira

Glauco disse...

Citando Vanzolini, "um homem de moral não fica no chão". Rogério Ceni, além de ter ficado no chão duas vezes, resolveu continuar rolando na relva com suas declarações chorosas. Acho que uma cerveja só não vai adiantar...

Edu Maretti disse...

Então, Glauco, mas "uma" cerveja era uma ... metonímia, digamos assim. Foram várias antes, e algumas depois. Na soma total, foi UMA. Um Pênalti, uma letra, uma cerveja!

Célio disse...

rogerio fala que a paradinha é vergonhosa mas ele proprio ja deu 2 paradinhas... agora vem com esse papo... realmente paradinha é uma vergonha mas ele falar do ki ja fez.. alem do mais nao é goleiro é batedor de falta mais nada pq pegar ki é bom nao vejo nada.