sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Dilma, Congresso do PT e Jorge Ben Jor

Elza Fiúza/ABr
O Partido dos Trabalhadores realiza esses dias seu 4° Congresso Nacional, que vai se encerrar no sábado e aclamará Dilma Rousseff como candidata à presidência da República nas eleições deste ano como a escolhida do presidente Lula.

A oficialização do nome da ministra chefe da Casa Civil não poderia ocorrer em melhor momento para ela. Como se não bastassem as boas notícias da economia (por exemplo, o país registrou recorde na criação de empregos em janeiro – 181 mil novas vagas), pesquisa Ibope/Diário do Comércio, divulgada na quinta, 18, mostra importante queda na diferença entre ela e o provável candidato da oposição, o governador José Serra. O tucano tinha 38% em dezembro, e agora caiu para 36%. Dilma subiu de 17% para 25%.

O astral do Congresso PT vai continuar alto até o fim, pois será encerrado com um show de Jorge Ben Jor, no sábado. Segundo li no Blog do Rovai, o músico teria feito uma exigência para se apresentar: ficar 15 minutos a sós com o presidente Lula.

Curioso contraponto com Caetano Veloso, que no final do ano passado deu uma entrevista polêmica ao Estadão em que chamou o presidente Lula de analfabeto (episódio já abordado aqui). Afinal, não só Caetano, mas vários outros grandes artistas brasileiros consideram Ben Jor um gênio musical popular, o que de fato é.

5 comentários:

Felipe Cabañas disse...

Enquanto Lula fortaleceu sua imagem e popularidade, fazendo um governo de centro-esquerda com programas de transferência de renda que têm forte apelo popular, enfraqueceu o PT a ponto de sua única opção ser uma candidata fraca que só teve ascensão no segundo mandadato... os grandes caciques do partido, Dirceu, José Genoino e outros, estão curtindo ainda seu ostracismo depois do mensalão, por terem pago toda a conta do escândalo para salvar o presidente... das duas uma: ou a Dilma vence, hipótese que creio dará a Lula ainda grandes poderes no governo e no partido, ou a Dilma perde, hipótese que dará a Lula a possibilidade de voltar depois de 4 anos nos braços do povo, como Getúlio Vargas...
de qualquer forma Lula continuará sendo a principal referência da esquerda brasileira, e o que virá depois dele ninguém sabe: Ciro Gomes (é difícil dizer que esse é de esquerda, mas enfim), Marina Silva, Heloísa Helena acho que no final das contas terminam representando velhas idéias... algo novo terá que surgir do marasmo... Abrá!

Edu Maretti disse...

Grande Felipe, boa noite!
Vou imitar meu amigo Anselmo, em comentário ao post “Muricy já era”, neste blog:

Sou contra:

- dizer que Lula enfraqueceu o PT (o PT é mais forte hoje do que era em 2002, justamente graças a Lula);
- dizer que Dilma é uma candidata fraca (se não fosse uma candidata forte, não teria apoio de Lula. Nem estamos ainda em época de campanha oficial, e ela não pára [desculpem, não consigo evitar esse acento agudo] de crescer nas pesquisas, enquanto o desgovernador nem sabe ainda se será candidato. Como personagem da máquina executiva, Dilma já demonstrou grande competência, registrada pela imprensa internacional, inclusive);
- acreditar no “escândalo do mensalão” como acredita Eliane Catanhêde, por exemplo;
- acreditar em Marina Silva e Heloísa Helena, pessoas ressentidas e pobres inocentes úteis da velha direita brasileira, coitadas.

Para terminar, acredito que Lula voltará a ser eleito em 2014, se ele quiser e se estiver vivo até lá. Para mim, será um prazer votar nele de novo.

abraço!

Emerson Lopes da Silva disse...

Além do Muricy, o Caetano também já era, aliás, sempre foi alguém que deveria se limitar apenas a compor, tocar e cantar. Falando, o filho de Dona Canô sempre vai ladeira abaixo. E, agora, sem Paula Lavigne, pra desacelerar a descida, tá cada vez mais difícil....

Felipe Cabañas disse...

Edu... impossível negar que havia um esquema de corrupção envolvendo gente grande do governo, o braço direito do presidente incluso... Não dá pra dizer que é tudo uma invencionice da imprensa burguesa... Já que citou a Eliane Cantanhêde, cito outro jornalista, mais importante na minha opinião, que é Clóvis Rossi, que também criticou e ainda critica o governo Lula no que ele tem a ser criticado...
Nem falo da Dilma enquanto gestora, ou competência técnica... falo mais como liderança... Pelos quadros do PT o candidato podia ser melhor... Tarso Genro e Mercadante são caras que eu gostaria de ver com mais pretensões, mas não sei se ainda estão muito ofuscados pelo lulismo...
Meu voto no primeiro turno era Marina Silva... No entanto, já estou começando a sentir uma certa repulsa por este partideco perdido chamado PV... Para mim ela continua uma grande e respeitável personalidade política, que nasceu ideológicamente ao lado de Chico Mendes... nem o Lula tem uma história de vida tão respeitável quanto ela... Mas creio que terminarei votando na Dilma nos dois turnos, mas definitivamente não é a candidata que eu gostaria... Abraços!

vera maria Galhardi - jornalista disse...

Pela primeira vez o Brasil está diante de uma possibilidade real de ter uma mulher no comando na nação. Isso não é pouco, aliás é muito num país ainda mergulhado no preconceito.
Por isso é mais fácil dizer que Dilma é uma candidata fraca, etc e tal do que admitir que a nação está mudando e mudando pra melhor.
Só não ve quem não quer. Dilma não só é uma mulher preparada para governar como também é protagonista dos avanços do país, desde a época da ditaduta. Dilma é sinônimo de coragem, lealdade e comprometimento com o povo brasileiro.
Quanto ao episódio do "mensalão" queria lembrar o fato mais importante de todo esse episódio que deveria ser motivo de reflexão, principalmente dos meus colegas jornalistas. Nada do que foi denunciado foi provado e os réus estão se defendendo na justiça.
José Dirceu já foi absolvido em quase todas as denúncias, assim como o deputado João Paulo Cunha teve suas contas aprovadas pelo TCU.
A verdade prevalecerá e o PT continuará seu projeto de reconstrução do país, agora pelas mãos de mulher. Já tava na hora!