domingo, 4 de março de 2012

Peixe bate o Timão em jogo camarada


Peixe e Timão fizeram um jogo em ritmo de treino na volta do Peixe à Vila Belmiro após a reforma do gramado. Resultado: Santos 1 x 0 Corinthians, gol de Íbson, aos 12 minutos do segundo tempo.

Sem vários titulares (Liédson, Danilo, Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Paulinho – que entrou no segundo tempo), o Timão fez valer o conjunto para tentar quebrar o óbvio favoritismo da equipe santista, com sua força máxima.

Só que a impressão que deu o clássico é que havia um acordo tácito, como se um time tivesse dito ao outro: quarta-feira tem Libertadores, vamos fazer um treininho sem drama! E assim foi.



O Santos fez uma partida de segurança. Neymar teve a atuação mais apagada de que tenho lembrança. Quem desequilibrou, cadenciando, dando inteligência e armando o time, foi Ganso. Foi dele o passe magistral para Íbson definir o placar aos 12 minutos do segundo tempo.

Enquanto o Corinthians fez seu jogo tradicional, pragmático, em que os desfalques parecem fazer menos efeito do que fariam se o time não tivesse um padrão de jogo tão definido como tem, goste-se dele ou não. Resumindo, foi um prélio de compadres, com poucas faltas duras (como têm sido os encontros entre os dois times nos últimos tempos) e uma gentileza de parte a parte de irritar torcedores que gostam de rivalidade e jogo pegado.

Na quarta-feira, 7, o Peixe tem partida importantíssima e difícil com o Internacional pela Libertadores na Vila precisando ganhar, já que perdeu do The Strongest na estréia (2 a 1). O Timão – que começou empatando com o Táchira na Venezuela (1 a 1) – enfrenta o Nacional do Paraguai no mesmo dia, no Pacaembu.

O clássico vovô de hoje foi mais importante como estatística do que como jogo ou classificação, num campeonato de regulamento político feito para classificar os grandes e mais quatro pequenos. Mas ganhar um clássico é bom até em jogo de botão. Então, está valendo, nação santista.

A última vitória do Corinthians sobre o Santos foi justamente na fase de classificação do Paulista do ano passado, por 3 a 1. Já são cinco jogos (links abaixo) sem vitória do Alvinegro do Parque São Jorge sobre o Alvinegro da Vila.

2011

Corinthians 3 x 1 Santos (Paulistão, primeira fase)

Corinthians 0 x 0 Santos (Paulistão, final - jogo de ida)

Santos 2 x 1 Corinthians (Paulistão, final - jogo de volta: Santos campeão)

Santos 0 x 0 Corinthians (Brasileiro, 1° turno)

Corinthians 1 x 3 Santos (Brasileiro, 2° turno)

2012

Santos 1 x 0 Corinthians (Vila Belmiro - Paulistão – primeira fase)

Ficha Técnica

Santos 1 x 0 Corinthians
Vila Belmiro, Santos, 4/3/2012
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Assistentes: Herman Brumel Vani (SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
Renda/ público: R$ 284.240/ 12.818
GOL: Ibson 12′/2T (1-0)
Santos: Rafael; Fucile, Edu Dracena, Durval e Juan; Arouca (Felipe Anderson 44′/2T), Henrique, Ibson (Elano 25′/2T) e Ganso; Neymar e Borges (Alan Kardec 28′/2T). Técnico: Muricy Ramalho
Corinthians: Julio Cesar; Welder (Paulinho 34′/2T), Marquinhos, Wallace e Fábio Santos; Ralf, Edenilson, Willian (Ramírez 13′/2T) , Alex, Jorge Henrique; Adriano (Elton 24′/2T). Técnico: Tite



7 comentários:

Felipe Cabañas da Silva disse...

Hahahaha... Gostei da alcunha clássico "vovô", e, acompanhando o ritmo de camaradagem, você fez um comentário bastante polido, sem chutar a pança do adversário derrotado. Fato é que porrada entre Santos x Corinthians nos últimos anos só esse episódio lamentável de hoje do lado de fora da Vila, uma confusão que, é bom dizer, tem toda a cara de ter sido armada por corintianos que chegaram armados e emboscaram os santistas. Dentro de campo, o Santos é um time que joga o futebol arte, e o Corinthians é um time de organização tática e jogo limpo. Cada vez mais, vou gostando do estilo de futebol do Tite que, apesar de excessivamente racional, tem seu lado positivo, e um deles é jogar esse futebol limpo, "no pé", "sem falta".

Creio que se Corinthians e Santos se enfrentarem num mata-mata de Libertadores, a tendência é assistirmos a dois jogos espetaculares. Tomara que aconteça. Se o Corinthians quer ganhar esse diabo dessa Libertadores vai ter de começar a enfrentar de peito aberto qualquer bicho-papão. Um abraço ao santista cordial Edu Maretti...

Edu Maretti disse...

Bom, já que estamos em cordialidades!, foi mais do lamentável os bandidos armados com barras de ferro e outros artefatos agredirem santistas. Foi também muito feio as cusparadas que, segundo Tite, lhe foram dirigidas durante o jogo.

É por essas e outras que eu não vou mais a estádios ver clássicos.

Sobre futebol propriamente dito, foi a sétima vitória seguida do Santos, que nessa série enfiou meia dúzia na Ponte Preta e 2 a 0 no Guarani em Campinas, além de ontem ter acabado com a invencibilidade corintiana.

O Santos está retomando seu grande futebol campeão dos últimos dois anos na hora certa.

Leandro disse...

O único clássico em que ainda tomo alguma coragem p/ ir é justamente contra o Santos, quando jogam no Pacaembu.
Mas ultimamente até entre estas duas torcidas o pau tem quebrado sem dó. Assim me afasto deste, também… Lamentável…
Quanto ao jogo. Bom, eu gostaria de entender porque o Tite insistiu num Alex em clara má jornada e deixou Douglas e Danilo sentados no banco para, quando tentou resolver, já bem tarde, tentou por meio do Paulinho.
Vai gostar de volante assim lá no RS.

Paulo M disse...

Gostei do jogo, bem movimentado. Vitória santista justa, mas pra mim poderia ter sido uns 3 a 1 ou 3a 2. O Santos me deu hoje um almoço grátis em aposta com um companheiro corintiano, he he. Tenho que apelar pros outros, posto que já estou cansado de pagar almoço apostando no Verdão. Devo apostar com santistas, já que o Palmeiras tem ganhado a maioria dos clássicos contra o time da Vila, mas sempre temo a Lei de Murphi. Se eu apostar, perde. É a vidinha...

Felipe Cabañas da Silva disse...

O Paulo me deu uma excelente ideia. Vou começar a apostar almoço no Fasano toda vez que tiver Corinthians x São Paulo. Vou tirar a barriga da miséria, e nesse caso quase não tem lei de Murphi... he he

Edu Maretti disse...

Felipe, por melhor que seja uma ideia, a lei de Murphy estará sempre à espreita. O Paulo é mais sensato - hehe. Aconselho-te cautela. Para não correr um risco muito grande, aposte algo mais modesto, tipo um jantar no Buca Romana ali de Pinheiros ou no "Bar das Putas" (que no mundo politicamente correto de hoje infelizmente virou "Sujinho"), ali na Consolação, que tem uma chuleta da hora!

E, Paulo, se nos pegarmos no mata-mata, eu topo uma aposta!

Paulo M disse...

Combinado, Palmeiras x Santos no mata-mata.