sábado, 23 de março de 2013

O preço da Copa do Mundo


Sérgio Cabral vai entrar para a história como comandante da tropa de choque que promoveu a ação para desocupar o antigo Museu do Índio, no bairro do Maracanã.



Fotos: Tânia Rêgo/ABr










Notícia do jornal inglês Daily Mail

"Tumulto no Maracanã! Policia brasileira dispersa irado protesto
como parte das preparações para a Copa do Mundo"






2 comentários:

Paulo M disse...

Ingênuo quem, como eu, acreditou que a Copa no Brasil pudesse servir de alavanca para impulsionar a "ociedade" brasileira, melhorar serviços de transporte, urbanizar favelas e ser motivo de inserção social. Nada. Ao contrário, a farsa que começou com a ocupação dos morros do Rio pela polícia carioca continuou em São Paulo com a estranha sequência de incêndios em favelas e a "retirada" dos moleques drogados da região da Luz pelo Kassab. A Copa do Mundo está escancarando o fascismo do interesse pela exclusão social, desde sempre conveniente a não tão poucos assim: a burguesia e a classe média que lhe dá sustento. Enquanto isso, o governo Alckmin, na calada da noite, está retirando das escolas (acho que de período integral) as aulas de História e Geografia. Gente, estamos virando gado sem nos darmos conta!
Acho que o mundo está mudando rapidamente desde os anos 80, com o fim da URSS e a abertura de caminho pro advento da Nova Ordem Mundial. A solução para o povo brasileiro, ao menos por enquanto, é muito simples: votar certo.

Edu Maretti disse...

É mesmo. Votar certo.