quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Palmeiras de Felipão à beira do precipício


Atualizo o post apenas para registrar, sem necessidade de nova postagem, que o Palmeiras não é mais "de Felipão". O treinador foi demitido hoje. Contra o Corinthians, no domingo, o técnico interino será Narciso, que já treinou times "sub" do Santos (onde fez sua carreira como atleta) e Corinthians. Sem mais, o resto do posto continua atual.
Atualizado às 02:05 de  14/09/2012



Reprodução
O destaque do futebol paulista nesta 24ª. rodada do Brasileirão é infelizmente – e digo sinceramente – o Palmeiras. Com mais uma derrota (1 a 3 contra o Vasco no Rio), o time de Felipão está na penúltima colocação no campeonato, com 20 pontos, sete a menos que o Flamengo, o 16º., último antes da zona da degola. O Verdão precisaria ganhar, pelo que se calcula, ao menos 24 pontos em 42 possíveis nas 14 rodadas restantes. Ou 57% dos pontos a disputar. Considerando que o Alviverde tem um aproveitamento de 28% até agora, ou seja, precisa dobrar isso, a situação já é dramática.

Vi o jogo do Palmeiras até o 3º. gol do Vasco. Depois mudei pra partida que terminou com a vitória do Atlético-MG sobre o São Paulo por 1 a 0. Dois comentários: estou torcendo pro Galo ser campeão, porque é um time insinuante, aguerrido, rápido, apresenta um futebol muito mais bonito do que o feio jogo do Fluminense de Abel Braga, com aquele joguinho pragmático, e porque o Galo tem Ronaldinho Gaúcho (sim, estou me contradizendo, pois já critiquei muito o jogador, mas é muito legal vê-lo em campo no Brasileirão). E ponto. E o segundo comentário sobre Galo x Tricolor: como joga bola o Rogério Ceni. Ponto.

O Santos, ufa, bateu o Flamengo por 2 a 0 com dois golaços marcados no fim do jogo. Por Victor Andrade, o novo menino, e Neymar, o experiente menino. Doze pontos atrás do 4º. colocado, o Vasco, o Peixe deve terminar na zona neutra. Muito por causa do lixo ético e futebolístico chamado seleção brasileira, que nos tira Neymar (e eventualmente outros atletas) durante grande parte do torneio, e também devido ao trabalho sofrível de Muricy Ramalho, que deixa muito a desejar, embora ainda haja quem o considere um grande técnico (não é o meu caso: acho que o ano do Santos é tão medíocre que até a torcida deixa a desejar, porque ela deveria estar clamando no estádio um “fora Muricy” bem sonoro, mas está meio amortecida como o clube e a gestão do segundo mandato de Luis Álvaro Ribeiro).

Quanto ao empate do Corinthians no Pacaembu com a Ponte Preta por 1 a 1, com gol do Timão ao seu estilo, nos estertores da partida, nada a comentar. O Alvinegro faz um campeonato protocolar, esperando o Chelsea em dezembro. Embora, nesse contexto, o time de Tite esteja fazendo um papel mais decente do que o Santos de Muricy no ano passado.

12 comentários:

Felipe Cabañas da Silva disse...

Estou com sentimentos conflitantes quanto à situação do Palmeiras. Por um lado, obviamente, há um "ódio" recíproco no Derby paulista, uma rivalidade extremamente forte que leva em 99,99% das vezes a que um torça contra o outro - como em toda rivalidade clássica e histórica que se preze, aliás. Fora que nós, corintianos, estamos escaldados demais este ano, porque no primeiro semestre o anticorintianismo se tornou a maior torcida do mundo, superando até a do Flamengo. É muito ódio e não há ponderação nenhuma: com o perdão da palavra, todo mundo quer mais é que o Corinthians se foda, em qualquer situação.

Mas por outro lado, creio que vai ser tristíssimo ver o Palmeiras cair pela segunda vez: salvo engano, excetuando-se o caso histórico do Fluminense, nenhum outro clube grande caiu duas vezes em tão pouco tempo. É um problema transcendental, saca? A lógica é a seguinte: todo clube paulistano, além de rival, é também meio "coirmão" do outro. Afinal, apesar do "ódio", você não quer que aconteça com um "coirmão" algo que pode acontecer com você. É um tipo especial de compaixão cristã, talvez. rs

Enfim, dito isso, meu sentimento ambíguo está mais para torcer pra cair do que pra ficar. Ninguém pensa nessas coisas "transcendentais" quando é o Corinthians que está pra se foder. E espero que domingo possamos apertar um pouco mais o torniquete em volta do pescoço do parmerinha... hahaha...

PS: E, Edu, a geração Neymar, "freguesa" do Palmeiras, pode se vingar despachando o time para a segundona, na Vila, e na última rodada (pois está claro que a situação do Palmeiras só vai ser resolvida nos estertores do campeonato).

Felipe Cabañas da Silva disse...

PS: Voltei aqui porque esqueci de fazer um comentário extremamente importante. rs

Eu senti, no dia em que o Palmeiras ganhou a Copa do Brasil, que o título poderia dar uma falsa impressão de tranquilidade, organização e renascimento ao Palmeiras - tão desorganizado, intranquilo e distante de sua verdadeira grandeza nos últimos dez anos - cuja dimensão eu não sabia avaliar. Ora, convenhamos que a Copa do Brasil desse ano foi abaixo do medíocre. Não que não seja um título importante: eu sempre costumo dizer que o Corinthians não tem 5 títulos nacionais, tem 8, porque tenho orgulho das nossas 3 copas do Brasil (uma delas ganhada em cima do inexpressivo Brasiliense). Mas, como estamos vendo, o Palmeiras continua um clube desordenado, sem comando, com elenco limitadíssimo, problemas de caixa, categorias de base medíocres, pouco atrativo para jogadores no mercado (frequentemente perde em concorrência na compra de jogador pra qualquer um dos 3 rivais), etc, etc, etc.

Como não sou palmeirense, graças a Deus, não posso falar muito, mas apesar da ilusória Copa do Brasil, tenho a impressão de que o Palmeiras continua afundado na crise mais extensa de sua história.

Alexandre M disse...

Nós, palmeirenses, agradecemos a solidariedade alheia dos nossos queridos adversários. Palmeirense na alegria e na tristeza, na primeira e na segunda. O que nós, torcedores, podemos fazer, é apenas torcer por nossos times, que sejam bem sucedidos, que ganhem e conquistem títulos. Nota-se que a cada brasileiro, ao menos um clube grande corre para não cair. Ano passado, se não me engano, o Fluminense custou a se reerguer, correndo sérios riscos de cair. Mas vc tem razão, Felipe, a desorganização do Palmeiras não é de´agora, é de sempre. É um clube em constante desequilíbrio emocional, mal administrado, disputa de poder, oscila em quase todos os anos. A última nota é que o Felipão não é mais técnico do Palmeiras. Não acho que isso seja a melhor solução no atual conjunto das coisas. O time do Palmeiras não é tão ruim. Acho que está desgastado em função da CB. O Brasileiro é difícil e para se recuperar com reservas que tem, fica mais difícil ainda. Esse goleiro Bruno é um que deveria ser cortado imediatamente, um goleiro que deveria pegar no gol do Araçatuba, Náutico, Vila nova, acho que nem isso. O Palmeiras não vai se recuperar e irá´para a segunda divisão. O pior é que dessa vez não teremos nem a Portuguesa para fazer um clássico na segundona. Paciência. Dias melhores virão. Espero. Já que vc tocou no assunto, Felipe C., se o Corinthians não tivesse mudado de goleiro na Libertadores, não teria sido campeão. Não que esse Cássio seja grande goleiro, não é, mas aquele Júlio Cézar é muito ruim. Um bom goleiro funciona e o goleiro do Palmeiras é ridículo.
è isso.

Felipe Cabañas da Silva disse...

É. Acabei de abrir a Internet e fiquei surpreso com a saída do Felipão. É típico de diretoria desorganizada e desesperada que usa o técnico de bode expiatório pra esfriar a pressão. Como sabemos, a "solução" tem prazo de validade curto. Ou então o Felipão deu uma pipocada e pulou fora desse Titanic desgovernado antes do barco afundar... rsrs... Nessa última hipótese, não acredito, porque convenhamos que ame-se ou odeie-se o Scolari, pipocar não é do seu feitio. Enfim, tudo indica que até o final do ano o Palmeiras vai viver um drama diário e infinito. Bom, eu só sei que eu não vou chorar...

Leandro disse...

Nos últimos doze anos, o período em que mais vi torcedores do Palmeiras despojadamente vestindo a camisa do time foi na semana que antecedeu a última rodada do Brasileirão do ano passado.
A possibilidade concreta de contribuir diretamente para o malogro do arquirrival na derradeira jornada quase levou à loucura os torcedores do alviverde.
Carência? Ódio do SCCP?
Creio que foi por ambos, misturados com muito gelo e limão.
Mas as esperanças de dias melhores para o pessoal da Pompeia residem no fato de que o Corinthians vem sendo o Robin Hood deste Br/12.
Ressuscitou Figueirense, Atlético GO, Santos, SPFC e Bahia (noves fora o apito amigo em três destes cinco jogos), e por outro lado, só não venceu os dois melhores times do campeonato numa mesma semana (Fluminense e Atlético MG) por causa de uma burrada (mais uma) do Tite no jogo do Engenhão.
Ademais, como "clássico é clássico", embora o Palmeiras venha se esforçando nos últimos anos para apequenar um dos dez maiores dérbis do mundo, vou dar o benefício da dúvida aos verdes para o embate de domingo, embora não seja hipócrita a ponto de negar o favoritismo corinthiano.
Sobre a disputa pelo título, não vou atribuir a condição de intermediário do Corinthians à ressaca pós-Libertadores e pré-Mundial, torneios e alegações a respeito dos quais quem acompanha este blogue conhece bem minha opinião.
O fato é que alguns vacilos com time completo ocorridos antes e depois do título de julho também contribuíram para o Timão não estar tão próximo de onde seria natural estar.
E também me agradaria ver o Atlético campeão. Não por estas questões de futebol feio ou bonito. Basta lembrarmos que o Chelsea eliminou o Barcelona jogando muito feio e o dileto blogueiro, acompanhado por muita gente, amou aquilo. (risos)
Me agradaria ver os mineiros campeões porque há tempos não ganham um título nacional, ao contrário do arquirrival Cruzeiro e dos outros times que estão disputando diretamente o título.
Sem contar que o título picareta do Fluminense e o vice-título picareta do Cruzeiro em 2010 não podem ser esquecidos.
Não tivesse sido o SCCP o único prejudicado direito com aquele escândalo que deu, de forma ilegítima, o título aos cariocas e o segundo lugar aos mineiros, teríamos tido um dos maiores escândalos do futebol mundial em todos os tempos.

João disse...

kkkkk
maior escandalo do futebol mundial de todos os tpos foi o titulo dos gambás de 2005.
domingo sem Felipão vai ser melhor... vamos de Narciso interino, aquele do time da praia. vai ser melhor... ninguem dava mais conta desse gaucho e os gauchos são a desgraça do futebol brasileiro se a gente pensa em futebol brasiileeeeeiro.
ateh domingo gambazada...

Edu Maretti disse...

Leandro, como santista eu naturalmente sempre tendo a torcer pelo futebol mais bonito de se ver. Está no meu DNA...

O Barcelona, que vc cita relativamente ao Chelsea, é um caso à parte. Coisa de torcedor, e coisa de torcedor muitas vezes é irracional. Primeiro, me deu muito bode a babação de ovo da imprensa tupiniquim diante do adorado Barça, eu não aguentava mais ouvir falar desse time e adorei quando ele caiu. Depois pq sou santista e aqueles 4 a 0 da final do Mundial obviamente me deixaram (e a quase todos os santistas) muito a fim de ver o time do deus Messi se fo**. Um santista me disse ao telefone durante Chelsea e Barça: não importa que o Chelsea vai ser mais fácil pro Corinthians, o que importa é que o Barcelona se fo** o quanto antes. Achei perfeito.

Em segundo lugar, o futebol do Barcelona é envolvente, competitivo, taticamente quase perfeito, mas não acho tão bonito assim. Chega a ser enfadonho às vezes. Bonito era a Holanda de 74, o Palmeiras de Luxemburgo, o Brasil de Telê (menos por causa de Telê do que pelos craques do time), a seleção de 70, o Santos de Pelé, o Santos de Neymar de 2010 etc.

E como eu disse à época, é bonito tb ver um time como o Chelsea com aquele aguerrimento detonar um superfavorito e chato Barcelona. Assim como é bonito que o teu time analogicamente tenha conquistado a Libertadores jogando "feio", e olhando hoje para trás não vejo nada mais justo do que o título corintiano.

Futebol é assim. No fim das contas, o que é bonito de fato é o futebol em si. Apesar de eu estar meio de bode desse campeonato brasileiro cada dia mais esvaziado e chato.

Felipe Cabañas da Silva disse...

O Palmeiras afundando, eu achando que o jogo de domingo seria em Presidente Prudente, e eis que descubro que será na nossa casa, o Pacaembu. Tanto faz, afinal, que tenha 35.000 palmeirenses e 2.000 corintianos: não é nossa propriedade, mas é nossa casa (morar de aluguel não torna o seu teto menos seu...rsrs). Lá, destruímos o todo poderoso Boca Juniors, lá vencemos o Palmeiras no último Dérbi em mata-mata, lá Romarinho fez dois gols mágicos no Dérbi do primeiro turno, que deu confiança para o Tite colocar ele para jogar na incendiária Bombonera três dias depois e fazer um gol mais mágico ainda. Lá, como disse Leandro Castán, o time do Corinthians "conhece cada buraco do gramado". A diretoria inepta e acéfala do Palmeiras está mesmo afim de transformar os próximos 14 jogos dos porcolinos num réquiem rumo à segundona. Boa viagem, Guarani da Pompéia!

Leandro disse...

Dileto Edu,
Quando o Chelsea eliminou o Barcelona ainda faltava muito para a definição da Libertadores.
Este seu amigo santista deve ter bola de cristal.
E que papo é esse dele quanto à maior facilidade de se enfrentar o Chelsea?
Quer dizer que, não bastasse ele ter adivinhado o título corinthiano na Libertadores bem antes da final, também adivinhou que vai rolar uma final Corinthians e Chelsea, e que vai dar Corinthians na tal da pelada da FIFA?
Sobre o Brasileirão andar esvaziado, eu discordo parcialmente.
É sempre um certame muito vibrante, um dos mais disputados do mundo, e a grande culpa não é da (porcaria) da seleção, que neste aspecto tem uma espécie de culpa reflexa.
Reflexa porque, mesmo times sem estrelas na seleção canarinho sofrem, já que o grande problema está em termos rodadas em datas reservadas à FIFA.
Veja o exemplo do Entregacional do RS, que foi muito prejudicado com várias ausências importantes de jogadores de outros países e que, muito por isso, perdeu em casa para o Fluminense, que foi altamente beneficiado diante destas circunstâncias.
Não que o Internacional (no momento, melhor no papel que na prática) seja invencível jogando em seus domínios, mas quer me parecer que o Fluminense foi sim beneficiado nesta, e também por isso lidera o Br/12.
Outro exemplo é o do Corinthians de 2005. Tinha o melhor jogador do futebol brasileiro naquela ocasião, mas volta e meia o cara ia jogar por sua Argentina em datas da FIFA, e o campeonato rolando...
Exigir que não tenhamos rodada nestas datas é lógico, óbvio e ululante. Mas o são-paulino Marin, pelo visto, vai manter o que o carioca Teixeira vinha fazendo. Não fazendo, a bem da verdade.
Sobre o time da CBF, um dos comentários mais lúcidos que eu li recentemente veio do crítico musical e de variedades André Barcinski, que também curte e acompanha bastante futebol. Concordo com quase tudo que ele escreveu a respeito. Vejam em: http://andrebarcinski.blogfolha.uol.com.br/2012/09/11/essa-selecao-e-o-jonas-brothers-do-futebol/

Edu Maretti disse...

O implacável e arguto Leandro... não deixa escapar nada. Leandro, qdo o Chelsea eliminou o Barça o Timão já estava entre os oitavofinalistas. Muita gente achava depois do título brasileiro que teu time era forte candidato à Libertadores com aquele esquema impressionante armado pelo Tite.
Então, ali já se sabia que poderíamos estar perto do fim de um dos tabus que mais geravam e geraram piadas na história do futebol, vc sabe qual é. Talvez (quem sabe?) no inconsciente coletivo (Jung explica) de certa maneira já se soubesse quem seria campeão da Libertadores...
O santista não tinha bola de cristal, mas como muitos desconfiava da possibilidade de o Corinthians ser campeão... Em papos de boteco, um grande amigo meu palmeirense já dizia ANTES de terminar a fase de grupos que para ele o Curintia levaria a Copa. De maneira que quem entende um pouquinho de futebol já aventava (gostou?) essa possibilidade. É simples.

Leandro disse...

Bom, a julgar por todas estas prematuras conjecturas de palmeirenses e santistas, vejo que o título do Timão vinha causando preocupações e insônia há muito mais tempo e em muito mais gente do que eu poderia imaginar.
Realmente, a preocupação não foi só de parcela modernosa da nação corinthiana...

Felipe Cabañas da Silva disse...

Edu, e mesmo com todos esses presságios, suspeitas e conjecturas das mais respeitáveis mesas de boteco da vida, você ainda teve coragem de prever, logo após o confronto entre o meu Timão e o Vaxxxxco em SJ, que "nenhum dos dois times ia ser campeão jogando aquele futebolzinho" - ainda por cima declarando, antes do confronto, o Vaxxxxco como favorito??? E depois, novamente, colocando o Santos como favorito e posteriormente o Boca como favorito???... hahahahaha... Isso é o que eu chamo de "não arredar pé", anticorintianismo emperdernido, sacrilégio peixeiro contra as vibrações de Ogum!...hehehe...

PS: E, finalmente, o escriba reconheceu que Tite faz esse time (que é bom pra cacete, e portanto não é só mérito do Tite), jogar um futebol "impressionante". No meio do campeonato brasileiro do ano passado você por repetidas vezes anteviu uma "queda iminente" para o Tite e o time... hehehe... Eu tenho esse dom (ou defeito) de ficar guardando as coisas... rsrsrs