segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Crônica da 33ª rodada – Campeonato Brasileiro volta a embolar


Por Felipe Cabañas da Silva


Contrariando o bom senso, o Corinthians perdeu em Minas Gerais. Perdeu porque jogou mal. Jogou um futebol medíocre, acovardado e sem criatividade.

É bem verdade que foi mais uma vez prejudicado pela arbitragem, que anotou um pênalti em falta fora da área, e que perdeu Alex aos 15 minutos do primeiro tempo, jogador que tem crescido muito de produção e tem sido fundamental. Mas esses percalços não justificam a derrota.

Na bola, o instável Danilo teve mais uma atuação apática e, depois da saída de Alex, o time, que até jogava bem e sufocava o adversário, se perdeu em campo. O gol do América botou fogo na equipe, que foi atrás do placar e conseguiu um pênalti, bem marcado dessa vez, em cima de Emerson, que não fez uma partida excelente mas terminou sendo o único jogador “mais agudo”, como diz Tite, que rendeu em campo. Willian jogou mal, perdeu bolas bobas, errou passes, e terminou saindo para a entrada de Edenílson. Liedson jogou com raça, mas ficou aquém.

O primeiro tempo terminou empatado. A lógica dizia que o time que quer ser penta viria para o segundo tempo corrigindo os erros, com mais vontade e que anotaria pelo menos mais dois gols em cima do fraquíssimo time mineiro. Pelo contrário, o time voltou pior, não conseguia sair da marcação do América e, no final das contas, parecia satisfeito com um empate medíocre. E foi penalizado por isso. Chicão, outro que jogou mal e não fez por merecer a braçadeira de capitão que recebeu depois da saída de Alessandro (ainda que tenha feito o gol do time), fez uma falta desnecessária na entrada da área. Júlio César posicionou mal a barreira e Amaral soltou uma bomba no canto do goleiro, que engoliu.

Veja os gols:




A situação do Corinthians só não é pior porque o Santos não fez corpo mole e jogou seu melhor futebol contra o Vasco. Eu disse aqui neste espaço que o Santos não faria feio como Corinthians em 2009 e São Paulo e Palmeiras em 2010 e eu estava certo: meus respeitos ao Santos.

A escorregada feia do Corinthians e a derrota mais que previsível do Vasco embolam novamente a ponta do campeonato. O Flamengo, depois de tomar um susto (o Cruzeiro poderia ter aberto 2 x 0, mas perdeu um pênalti, que achei também mal marcado), goleou a Raposa por 5 a 1 e chegou aos 55 pontos, mesma pontuação do Botafogo.

Flu na briga

Mas o maior vencedor da rodada lá em cima foi certamente o Fluminense de Abel Braga, que venceu o Inter fora de casa (sempre dificílimo bater o Inter no gigante da Beira-Rio), e chegou a 56 pontos, entrando definitivamente na briga com Corinthians e Vasco pelo caneco. Se o Fluminense jogar nos outros cinco jogos o que jogou contra o Inter, e Corinthians e Vasco não reencontrarem o bom futebol, o Fluminense é capaz de aprontar o que aprontou o Flamengo em 2009 e comemorar o bi.


Deivid marcou dois nos 5 a 1 contra a Raposa
Degola

O Cruzeiro, após a goleada sofrida para o Flamengo, entrou pela primeira vez no campeonato na zona de rebaixamento. O time mineiro até deu pinta de que aprontaria pra cima do time da Gávea, mas terminou levando a virada e engolindo mais três gols depois, um deles numa patacoada absurda do excelente goleiro Fábio. As bruxas estão à solta na toca da Raposa.

O Ceará venceu o Avaí na Ressacada e mostrou força na briga pra fugir da série B. O Bahia fez um vira-vira espetacular pra cima do São Paulo e também respirou. O Atlético-PR venceu o bom time do Atlético-GO em casa e agora tem a mesma pontuação do Cruzeiro, 34 pontos. Ou seja, o Cruzeiro foi arrasado pelo Flamengo e ainda viu todos os seus adversários na briga pra fugir da B vencerem. A Raposa entra, assim, em situação dramática.

E o Palmeiras? O Palmeiras perdeu em casa para o Coritiba e está agora em 13º. Como muitos times da zona de rebaixamento venceram, inclusive o lanterna América, a degola chegou mais perto do Palmeiras. É improvável, mas os últimos resultados mostram que o Verdão precisa acender uma luzinha amarela na Academia. O próximo jogo do Palestra é contra o Grêmio no Olímpico. Diante do que vem jogando o time de Scolari, é difícil imaginar outro resultado que não uma vitória do Imortal. Dependendo dos outros resultados, o Palmeiras pode terminar a próxima rodada a apenas quatro pontos do Z4.

*Felipe Cabañas da Silva é autor do blog Versejar (poesia)

Atualizado às 20:18

4 comentários:

Paulo M disse...

Estou em greve por tempo indeterminado pra falar de Palmeiras rs.

O pênalti contra o Corinthians não foi. O pênalti a favor achei duvidoso. O Emerson foi seguro pelo braço, mas se atirou na área.
É bom lembrar também que o Vasco foi bastante prejudicado pela arbitragem hoje na Vila: o gol de empate anulado, pra mim incorretamente, e um pênalti não marcado a seu favor, depois de um santista pôr a mão na bola dentro da área.

A Raposa está com cara de rebaixado. Quando a falta de sorte bate à porta desse jeito, é sinal dos tempos rsrs...

Amanhã, como palmeirense, tenho de engolir mais umas gracinhas adversárias no local de trabalho.

Boa noite a todos, abrs. ao Cabañas.

Edu Maretti disse...

Paulo, concordo com o que você fala dos pênaltis do jogo do Timão. Mas discordo que "o Vasco foi bastante prejudicado".

Não teve gol anulado, porque claramente o juiz apitou no momento em que o Diego Souza subiu, portanto antes da bola entrar. E ele usou visivelmente o cotovelo nas costas do zagueiro pra subir, e cotovelo nas costas de zagueiro é falta.

Quanto ao suposto pênalti, concordo com você, mas porque tenho uma tese: mão na bola ou bola na mão que desvia o rumo da jogada de ataque tinha que ser penal sempre, mas hoje em dia tem a tal da "intenção" e raramente os juízes dão pênalti. Pra mim, a não ser que seja muito vivivelmente sem intenção, a mão na bola na área teria de ser pênalti. Mas o critério não é esse, então fazer o que? De acordo com esse critério, não seria penal, já que o zagueiro estava com o braço quase grudado no corpo.

De resto, o Vasco tomou um vareio (eu vi o jogo), tomou olé e tudo, e deve se dar por satisfeito por ter perdido só de 2 a 0.

PS: Repostando o comentário apenas pra observar: O Flamengo, que eu tinha colocado fora do baralho há várias semanas, ressuscitou, graças às derrotas dos times acima. Fico pensando se na hora agá o peso de um Luxemburgo não pode fazer a diferença contra Tite, um interino no Vasco ou o Caio Jr do Botafogo... O outro grande aí é o Abelo Braga.

São 15 pontos em disputa, e o time do Vanderlei está apenas a 3 pontos dos líderes. O Flu do Abelão, porém, que pega pega o lanterna no Rio na próxima rodada,tem mais vitórias (18) do que Corinthians (17), Vasco (16), Bota (16) e Fla (14), o que pode fazer a diferença...

Abraços

Felipe Cabañas da Silva disse...

Valeu, Edu. Obrigado pelo espaço. Abraços ao Paulo e a todos os convivas.

O lance do pênalti no Emerson ele forçou um pouco sim, porque o juiz demonstrou insegurança marcando o pênalti para o América. Nessas condições todo jogador pensa: vamos cair na área. Mas ele foi deslocado sim, e quando vieram mais uns três pra cima dele caiu.

Eu queria ter escrito mais sobre a arbitragem, que está muito ruim, todos sabem disso, já faz tempo e ninguém faz nada. Mas o post ia ficar muito longo. Além do mais, não queria que parecesse chororô de perdedor. O juiz errou, mas não perdemos por isso. Mas é preocupante: num campeonato tão equilibrado, a parada pode se resolver num erro de arbitragem, e quando isso acontece a água cai no chope e tudo vira uma porcaria. Abraços.

Gabriel Megracko disse...

Só quero dizer que se o Timão for campeão, vai ter que ir lá na vila beijar os dois pés do Rey!