quinta-feira, 24 de maio de 2012

Léo, gigante, leva o Santos à semifinal da Libertadores


Clique na foto para ampliar
Divulgação/ Santos FC

Era inacreditável aos 20 minutos do segundo tempo o Santos ainda estar em campo com Juan, com seu estilo tricolor, e Adriano, que não tinha a quem marcar, estava nervoso, já tinha cartão amarelo e era apenas mais um volante. Muricy é de fato insuportavelmente conservador. Seja como for, a dramática vitória do Santos nos pênaltis contra o Vélez Sarsfield neste 24 de maio, após o 1 a 0 no tempo normal, com um gol de Alan Kardec, de nome espírita, foi mais uma das páginas espetaculares do futebol. O Peixe pega o Corinthians na semifinal da Libertadores.

Confesso que chorei (nunca chorei de tristeza por causa de futebol: a derrota me dá raiva, e a vitória me emociona). Porque foi uma catarse: teria sido injusto o Santos cair en la Vila Belmiro perante “los gringos de mierda” que fizeram uma brincadeira escrota com a morte do nosso Chico Formiga: usando a foto do caixão do velho comandante com a bandeira do Santos, o assessor de imprensa do Vélez usou a internet para dizer que talvez aquela fosse a imagem do Santos depois do embate com eles.

Perderam.

Perderam e engoliram as cinzas da derrota na Vila Belmiro.

Neymar fez o que pôde. Jogou quase sempre sozinho contra uma floresta de marcadores, diante de um time taticamente aplicado, que joga em bloco, marca a saída de bola e não deixa brechas no campo. Mas, mesmo assim, isaolado, marcado com grande eficiência, fez jogadas lindas.

O goleiro do Vélez foi expulso (acertadamente) por uma falta em Neymar que, é importante dizer, recebeu um passe magnífico de Elano, de perna esquerda. E o gol de Kardec foi todo construído com as canhotas: de Ganso para Léo, para Kardec e gol.


Por Santos TV

Neymar não fez uma partida assim brilhante, mas de tanto que brilhou antes, nos jogos anteriores, foi recompensado pelos velhos deuses do futebol e nem precisou bater seu pênalti. Cobrando o último, Léo, o gigante Léo, deu mais uma vez sua imensa contribuição para a história do Santos. Léo é incriticável. Quando ele entrou em campo no lugar do são-paulino Juan (de quem não sei por que Muricy Ramalho gosta tanto), o que entrou em campo foi o espírito do Santos, algo que talvez Muricy ainda não tenha entendido.

Agora vamos para a semifinal com o Corinthians. O campeão brasileiro contra o campeão da América. Um jogo de brasileiros, paulistas (os cariocas já eram), e seja o que Deus quiser.

Atualizado às 23:40

10 comentários:

Felipe Cabañas da Silva disse...

São-paulinos gostam de são-paulinos. Saca? rsrs

É. De tanto falarmos chegou a semifinal. O velho clássico alvinegro. Por tudo, essa libertadores já é histórica. O nível de futebol que os times estão jogando é realmente notável. Alguns jogando o futebol arte. Outros jogando o velho futebol pragmático, com notável eficiência e aplicação (esse time do Vélez é muito bom, conseguiu realmente frear o futebol do Santos). Grandes times em ambas as chaves. O temível Boca destruindo, e agora um clássico gigante em uma das semifinais. Ganhar essa edição da libertadores, para o time que for, será uma coroação de gala. Como vinha dizendo desde sempre, na semifinal alvinegra, o clássico mais clássico de São Paulo, o Santos é favorito e o Corinthians é franco atirador. Espero não morrer de enfarte até o final de junho.

Saudações.

Edu Maretti disse...

Eu também espero sobreviver até o final de junho, Felipe... Eu também! - hehe.

Gustavo Melo disse...

Clássico é sempre complicado, mas acredito que o Santos consiga passar pelo Corinthians. Maior problema será enfrentar o Boca na final, isso me remete àquela fatídica final de libertadores de 2003.
Mas dessa vez o Santos sairá triunfante, Santos Bicampeão!

Edu Maretti disse...

Gustavo, só que a diferença entre o Boca de 2003 do Carlos Bianchi e o deste 2012 é muito grande. Aquele era um timaço. O atual, nem tanto...

Paulo M disse...

Acho justo que santistas e corintianos torçam pra sobreviver até final de junho. O resultado do confronto é imprevisível, pra mim com 51% pro Santos e 49 pro Corinthians. Com o Neymar supermarcado e o Ganso pouco produzindo em jogos importantes depois da última contusão, o time da Vila ontem ficou devendo a quem está acostumado a vê-lo. O incrível Leo, pragmático, pode ser mais útil ao Santos, na armação, do que Paulo Henrique. Acho impressionante a categoria desse menino, o PH, que joga como van Basten mas me parece abalado depois de cirurgias e seguidos assédios de outros clubes.

Na Copa do Brasil, acho o Grêmio favorito ao título. Se o Palmeiras derrubá-lo, abre caminho. Seria bárbaro e merecido irmos à final. Vamos esperar.

Edu Maretti disse...

Paulo, só quero observar uma coisa: embora tenha sofrido com várias contusões, o PH Ganso sempre produz em jogos importantes: por exemplo na final da Libertadores do ano passado (o passe magistral de letra para Arouca receber, carregar, driblar e passar pra Neymar fazer o primeiro gol). Ontem, quando deu um passe improvável, e genial, para Léo, que tocou pra Kardec fazer aquele golaço. Só dois exemplos, mas teriam outros...

Aproveitando, uma observação necessária nesses tempos do politicamente correto. Falei no post de "gringos de mierda" carinhosamente (hehe), como carinhosamente chamo os amigos de "gambá", bâmbi" etc. Como se fala na arquibancada ou jogando bola na rua. Tenho alguns amigos (as) argentinos (as) e, com um deles, tratamo-nos assim, com esse carinho futebolístico. Acho que fazer troça da morte do Chico Formiga foi demais.

Segunda observação: acabo de atualizar o post substituindo os dois vídeos antes postados por um muito mais curto e sintético, da Santos TV, que mostra o gol por exemplo de um ângulo incrível, e sem a narração desagradável da TV.

Alexandre disse...

Muito bom jogo Santos 1x0 Velez. Fez valer a libertadores nessa edição. Já estava monótono até então. Cor x Vasco também, bom jogo. Com a classificação, o time do Santos enfrenta o Corinthians, muito confiante e motivado, contando com a segurança no gol do arqueiro Cássio, que fez uma defesa única e decisiva contra o Vasco, num chute colocado de Diego Souza. Santos x Corínthianns, clássico inédito em Libertadores.
Difícil arriscar um resultado final para a classificação, considerando que o time praiano é superior tecnicamente. Soma-se aí o jogo tático e a determinação dos dois lados. 'Simples e suave coisa'... boa sorte a quem tiver.
O Palmeiras ganhou bem do Atl Pr., vive um momento mais moderado, mas com muita espectativa e ainda com
leve tenção causada por algumas declarações de Felipão. O Felipão adora polêmica e isso sempre coloca o time em situações desagradáveis, causando insegurança no elenco. Depois que foi pra europa, talvez esteja perturbado ainda com as práticas desportivas do Brasil. Vamos lá, Felipão, aqui é o Brasil. Vamos ganhar, comandante. Duelo mais uma vez, Felipão e Luxemburgo, agora em lados opostos pela CB.

Victor disse...

Eu tb fiquei muito nervoso com o jogo porque o Peixe não passava pela defesa do Vélez. E o raro momento em que Kardec ficou cara a cara com o goleiro e errou, eu pensei, não é possível, esta não pode ter sido a única chance do jogo.
Quando entrou o Léo, parece que o time tomou uma B12 e ficou ligado novamente, e aí veio o gol. Maravilha, muita emoção...e nos pênaltis a incerteza novamente, mas deu tudo certo, ufa !! Entendi um pouco como se sentem os corinthianos, sempre com o coração na boca.
Léo,Neymar, Arouca, Rafael e Alan Kardec foram os melhores.
Acho que contra os gambás o jogo vai ser bem difícil, mas creio que vamos passar. Santos meu amor ! Vai pra cima deles !!

Gabriel Megracko disse...

Afirmo que não cometi qualquer equívoco, e vou dizer por quê. Primeiro, bom Leandro --- mais bom que o bom João, que ainda não se manifestou a respeito da minha resposta direcionada a suas palavras sobre minhas indolentes e humildes considerações reivindicadoras de um mínimo de poesia no analitismo futebolístico, e menos se manifestou (apesar ter-se igualmente não manifestado) quanto a seu time, que aparentemente não anda lhe proporcionando muitos inebriantes prazeres. Será que por ser sãopaulino e eu santista? Ou corintiano não tão convicto quanto vossas excedências? Não creio. Vascaíno? Não sei se aposto muito nisso, ou já teria dito coisas do tipo "tri-mundial", no primeiro caso, ou qualquer manifestação típica da etnia do alvinegro do pq. São Jorge, nº 777777777777777777777777777, no segundo caso ---, quero deixar claro que, devido às condições INEBRIANTES que o desmerecido sofrimento do triunfo da quinta-feira causou no meu discernimento "motoro"-virtual, seria uma inescrupulosa falta de polidez que o senhor continue a tratar tortuosamente o meu assumido descuido como um "equívoco" a ser, assim, tão explicitado. Sobre o segundo "equívoco", o transfiro imediatamente a seus próprios dizeres e mais!, digo ser isto um duplo equívoco, pois, como todo corintiano genuíno, atuou fanaticamente, sem notar, pela segunda vez, que não havia em seu discurso uma lógica sequer criacionista ao afirmar que "não cabem comparações nesta seara. Não cabem porque o Timão é incomparável, ora. (+ risos)". Novamente uma blindagem visual na projeção do próximo adversário do Timão na semifinal da Libertadores. Estranho dizer, em seguida, que o Peixe é favorito, sendo o Timão incomparável. Pois, assim, estamos no âmbito futebolístico ou "'religioso'-criacionista"?
Que o ajudem o Felipe e o Policarpo, que, após o Vaxco, concluo que devia ser flamenguixta!
Meus risos. Rs...

Edu Maretti disse...

Caro Victor, o mais incrível disso, o Santos que não passava pela defesa do Vélez, é que: com toda a marcação, o time argentino fez 13 faltas na partida, enquanto o Peixe fez 24... Peruzzi, de 19 anos, que marcou Neymar, fez duas faltas no jogo! E Neymar foi o que mais faltas fez: cinco. Esses números fazem pensar e mostram que o Vélez é um grande time. Acho que o Santos derrubou o time mais difícil de bater nesta Libertadores.