terça-feira, 16 de outubro de 2012

Serra e Kennedy Alencar na CBN: mais um capítulo da série tucano versus imprensa


Mais uma vez o tucano José Serra armou um barraco ao ouvir uma pergunta desagradável de um jornalista. Desta vez, o caso, mais um a demonstrar o comovente apreço de Serra pela liberdade de imprensa, se deu em entrevista ancorada por Fabíola Cidral, na CBN, na manhã desta terça-feira (16), e envolveu Kennedy Alencar, colunista da Folha de S. Paulo, titular da coluna "A Política Como Ela É", da CBN, e também da RedeTV!

Serra ficou muito irritado com a seguinte pergunta de Kennedy Alencar: “Nessa campanha de 2012 – a exemplo de 2010, quando o senhor apresentou o tema do aborto, com posicionamentos de modo moralista –, o senhor apresenta nesta campanha o apoio de uma direita intolerante, como o pastor Silas Malafaia, que disse que homossexualidade é doença e não orientação sexual. Eu pergunto ao senhor: a sua atitude é uma contradição por uma conveniência eleitoral ou o senhor se tornou um político conservador e mudou de ideia?”

Veja, ou melhor, ouça a reação do candidato do PSDB:



Leia mais:

Sem vergonha é a visão tucana do que significa liberdade de imprensa

Heródoto Barbeiro sai do Roda Viva após questionar Serra sobre pedágio

Os casos Serra versus jornalistas na eleição de 2012

9 comentários:

Mayra disse...

Não quero antecipar a alegria de estacada final no vampiro, mas... será lindo demais ver SP não eleger José Serra!!!

Luciano disse...

to vendo a agenda dele! vou agredi-lo com minhas bolinhas de papel!!!!! t levando uma folha de caderno pra eu usar como escudo.....vai q ele ta armado tbm....kkkkkkkkkkkkkkkk

Edu Maretti disse...

Invertendo, Mayra, será tb espetacular a cidade eleger Haddad, que, como eu disse em algum lugar, é um cara que mostra que se pode fazer política em alto nível...

E, Luciano, por vias das dúvidas, leve tb um crucifixo e uma cabeça de alho, beleza? hahaha

Felipe Cabañas da Silva disse...

José Serra, o terror das campanhas de marketing político...harharhar... Enquanto seus "pobres" publicitários fazem das tripas coração para dizer que o sujeito é legal, é bacaninha, é equilibrado e preparado, o genro com o qual toda sogra sonhou (rsrsrs) ele dá provas de sobra de que é destemperado, intolerante, arrogante, antipático e centralizador. O José Serra é um sujeito "engraçado": consegue ele mesmo ser seu próprio anti-publicitário. É o melhor marketing negativo dele mesmo. E o melhor de tudo, quando sorri mostra uma esbelta dentadura amarelada e as olheiras enrugadas...harharhar...

Felipe Cabañas da Silva disse...

Estou tomando cuidado com o "já ganhou", mas se esse cara se eleger de novo São Paulo merece mesmo é ir pro brejo!

Edu Maretti disse...

É, companheiro. Mas parece que ainda não vamos pro brejo, pelo menos não desta vez. O Ibope deu hoje 60% x 40% de vantagem para Haddad em votos válidos.

Acho que nem bala de prata, nem bala de ouro tiram essa.

Diante da realidade, por enquanto parece que o Datafolha desistiu da pesquisa que era pra ter saído ontem ou hoje... rs

abraço

Felipe Cabañas da Silva disse...

É. Eu vi essa. Meu medo era que a campanha suja do Serra entre a primeira e a segunda pesquisa pudesse tirar votos do Haddad, o que, numa campanha de segundo turno, é sempre "jogo de seis pontos" - tira de um e dá para o outro.

Mas, como tem sido a regra, o mar de lama e lixo da campanha suja típica dos tucanos novamente vai caindo na cabeça deles. O Haddad, pelo que tenho visto, está respondendo à campanha suja com uma posição dura, mas com o equilíbrio e a elegância de um líder que se preze, coisa que o sr. José Serra não é, não sabe ser, não será - é um mero gerente de assuntos públicos, não um líder digno do nome.

Fernando Haddad tem sido, para mim, uma grata surpresa, e uma esperança de renovação dos quadros do PT, uma voz que pode ser importante para manter o partido coerente com sua história e os ideais que o fundaram. Abraçar o Maluf, para mim, é imperdoável, mas creio que temos de elaborar e buscar superar certas contradições, tendo consciência de que as contradições podem ser reduzidas, mas não eliminadas.

Paulo M disse...

E parece que nós também ainda não fomos pro brejo: 1 a 0 no Bahia, he he. Nota do jornal "Hora do Povo":

"Torcida do Palmeiras na livraria: 'Serra, ladrão, larga o Marcão'

O candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, José Serra, se deu mal na noite de autógrafos do livro 'Nunca Fui Santo', biografia do ex-goleiro Marcos, do Palmeiras, assinada pelo jornalista Mauro Beting. Realizado na noite de terça-feira (7), o lançamento do livro arrastou milhares de pessoas à livraria Saraiva do shopping Eldorado, em São Paulo.

Uma nota no site Terceiro Tempo, do jornalista esportivo Milton Neves, relata que o tucano teve uma recepção nada amistosa por parte da torcida palmeirense. Ao se aproximar de Marcos e Mauro Beting, que davam autógrafos no local, foi recepcionado pela multidão aos gritos de 'Serra, ladrão, larga o Marcão!'.

José Serra ficou preso por um bom tempo dentro da livraria, que ficou pequena para a quantidade de pessoas que compareceram. Como só havia uma porta na livraria, que servia de entrada e saída, nem os seguranças dele davam conta de tirá-lo de lá. Enquanto permaneceu no local, todo suado, com cara de cansado, teve de ouvir os apupos da torcida palmeirense."

À parte, "o genro com o qual toda sogra sonhou". Muito bom.

Alô, torcida do Palmeiras,

aquele abraço...

Edu Maretti disse...

Bem, Felipe, o último parágrafo do teu comentário (de resto perfeito) é irretocável, na minha opinião.

Parece que, pelo menos do ponto de vista da renovação dos quadros, que vimos com tanta reticência, Lula estava certo. Tanto em relação a Dilma como em relação a Haddad...

O "sapo barbudo" não é fraco não.