terça-feira, 19 de junho de 2012

Com aliança desastrosa com Maluf, PT de Lula ganha um minuto e meio de TV e perde Erundina


O “tiro no pé” que representou o efusivo encontro de Lula e Fernando Haddad com Maluf, com direito a fotos de capa na grande imprensa e largos sorrisos, foi um tiro de espingarda 12.

Agora deixa de ser relevante se a ex-prefeita e atual deputada federal Luiza Erundina (PSB) já sabia, antes, da aliança com Maluf e só resolveu abandonar o barco de Haddad por se sentir desprestigiada, já que, segundo o jornalista Renato Rovai, ela “considerou desrespeito” a foto de Lula estampada em todos os lugares enquanto o ex-presidente não foi prestigiá-la, e esperou um sinal público de Lula que não veio.

O que agora é relevante é que, na prática, o PT de Lula trocou os abraços de jiboia do Maluf e um minuto e meio na TV pelo importantíssimo apoio de Erundina e a enorme militância que viria junto. A deputada pelo menos se manteve fiel ao seu passado.

Curioso notar que a outra ex-prefeita petista, a senadora Marta Suplicy, tampouco parece disposta a entrar no barco da campanha petista com muito entusiasmo. Está distante e silenciosa desde que lhe foi imposta goela abaixo a vontade de Lula de lançar Haddad. Os efeitos dos atos de Lula de uns tempos para cá, francamente, são desastrosos para quem é considerado um gênio político até por gente da oposição a ele.

Com tudo isso, tucanos, kassabistas e asseclas devem estar estourando champanhe nos palácios e mansões. Não só pelo fato da adesão de Erundina ter sido rápida como um relâmpago, mas porque o desastre do episódio colocará o PT na defesa e vai dar munição à oposição e à mídia pelo resto da campanha. Com o perdão da pergunta, de que lado Lula está?

7 comentários:

Felipe Cabañas da Silva disse...

É, companheiros. Vinha hoje sacudindo nos trancos do transporte metropolitano de São Paulo, lá da ZL (Salve, Timão), onde trabalho, lendo o jornal e pensando nesses últimos bisonhos acontecimentos políticos (apesar de até o apito final de amanhã eu ser muito mais um troll boleiro que um ser pensante...rs). Mas a pergunta que está retinindo na minha cabeça é: o que catso eu vou fazer quando estiver de cara com a urna, só eu e ela, e a minha severa e ingênua consciência? Já não sei mais. Desde 2003, tem uma parte grossa da militância de esquerda que vem engolindo alguns sapos, de nome Sarney, Calheiros, ou coisa que o valha. Mas, Maluf???? Maluf não é um sapo. É um aligator. É símbolo daquela fatia mais abjeta da política nacional, que sustentou a ditadura e aproveitou a democracia para encher as burras de dinheiro. É um vigarista internacional caçado pela Interpol. E aí?

Pode ser que, históricamente, essa aliança se torne aquela última pá de cal que Lula jogou no PT, direitizando o partido de vez. Primeiro porque vai ser difícil sustentar um discurso progressista coerente a partir de agora. Segundo porque, como você bem sugere, Lula está selando o divórcio com uma parte expressiva da militância de esquerda. Não é só a imprensa e a oposição de direita que vai se refestelar a partir de agora. Esse é o argumento final também para a oposição de esquerda ao PT, que vem sustentando há anos que o partido, de esquerda, não tem mais nada. Os ecos para a próxima eleição presidencial podem ser fatais.

Felipe Cabañas da Silva disse...

PS: E o papelzinho ridículo do Fernando Haddad, hein?? Para quem dizia isso em relação à Dilma, esse sim está se saindo o perfeito "poste". Aparentemente, dirá amém a tudo o que Lula disser, fizer, impuser. Está se saindo um sujeito de pouca fibra, opinião fraca, e atitude indefinida. Até agora, ele é o fantoche do Lula. Vamos ver se o começo da campanha consegue mudar essa visão.

Paulo M disse...

"Tiro no pé" foi a primeira expressão que me ocorreu quando cheguei no trablho hoje e alguns, tradicionalmente contrários ao PT, me acusaram de malufismo. E tiro de "espingarda 12" mesmo. Mas pensei depois: "Que hipócritas, aposto que muitos deles já votaram no Maluf e agora querem posar de porta-vozes da moral da honestidade burguesa. Eles apenas reproduzem a mídia".
De qualquer maneira, de animadora, a aliança PT-Erundina virou trauma. A resposta da velha nordestina, que disse ontem em entrevista que tentaria convencer a Marta a apoiar a candidatura de Haddad, mesmo com Maluf nas entrelinhas, foi fiel ao que também penso sobre ética. Parece que a Marta virou o barco, e a Erundina se convenceu do contrário.

Leandro disse...

Vai pra cima deles, Giannazi!

marco a ferreira disse...

Erundina me pareceu adolescente. Tambem acho uma droga esta alianca ! Maluf, numdanemeu? pero... brasil brasileiro. Agora , eu nao vote em sampa.... mas sou mais haddad, sem marta ex sem erundina. Nao tinha gostado de Erundina de vice, ela e muita coisa pra ser vice, muita personalidade. Ela e pra ser prefeita, senadora, etc.
Nomais estou de acordo com a maioria, abracar o Maluf..arghh, pobre Haddad. marco

Mayra disse...

A discussão toda sobre a aliança espúria com o maluf e a desistência da Erundina tá sendo, acho, da maior importância pra gente pensar a condução da política brasileira hj. A gente por aqui - Edu e os frequentadores deste blog, bem como uma parte relevante das pessoas q conheço - vem apoiando e defendendo a condução da política federal, mesmo com os sapos todos engolidos ao longo desses anos - afinal, há diferenças, ainda, a gente acredita, e a gente vê, no nosso país, pelas quais vale a pena defender o "lulismo". Agora, a atitude da Erundina - diante da midiática adesão do Maluf ao PT ou o contrário como bem disse o Azenha? - merece todo nosso respeito: ela tá dizendo simplesmente q tem limite. Ela é uma baita personalidade da esquerda brasileira, e tem de ser respeitada dentre tantos motivos, tb por isso: pq ela é porta-voz nesse momento de um bando de gente q tem apoiado com garra, e luta militante, o governo Lula desde o princípio, mas nem por isso é capaz de sustentar "qq" tipo de aliança. A atitude da Erundina diz dela - discordo totalmente da visão malvada de q ela foi "individualista", pelamordedeus, olha quem é essa figura... - e diz tb de boa parte da esquerda q tem apoiado a política federal: não dá pra apoiar tudo, não dá pra apoiar qq coisa, não dá pra fazer aliança com o diabo a qq preço pq o diabo é sempre, sempre, sempre mais esperto - a foto histórica serve como uma luva aos interesses do bandido procurado pela interpol (ao lado de Lula em aliança, olha q bandido q nada!!!), serve ao político fascista q faz alianças espúrias com quem for mais conveniente no momento, mas não serve pra dar gás a uma campanha q começa pra lá de mal. Como disse o Azenha, os malufistas vão votar no Serra, e não sei não o q vai acontecer com boa parte dos votos da militância petista...

Edu Maretti disse...

Pois é, mas essa discussão é para lá de inconclusiva, todas as posições são passíveis de ser relativizadas, inclusive a minha. Não acho que Erundina seja um exemplo de santidade. Política não é feita por e nem para santos, e Erundina não é santa. Ninguém é santo em política.

A posição do Arrabal, no post de hoje:

http://fatosetc.blogspot.com.br/2012/06/por-mais-respeito-que-mereca-erundina.html

é semelhante a uma que li em outro blog:

http://contextolivre.blogspot.com.br/2012/06/etica-da-idealista-erundina.html

Não se pode esquecer, como lembram os dois posts citados acima, que Erundina aceitou ser ministra da raposa Itamar (o vice de Fernando Collor!) qdo o PT fechou questão contra esse absurdo. Um ato personalista, sim, por parte da ex-prefeita.

Minha opinião é que a aliança com Maluf foi feita de forma desastrosa e Lula está tomando posições caudilhescas e autoritárias. Ponto. Mas Erundina "foi fiel a seu passado", vírgula... e a vírgula vai por conta de sua vaidade e personalismo ao aceitar ser ministra do governo mais corrupto da história (Collor/Itamar), o que não é exemplo de ética, nem partidária nem moral.