quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

A unificação dos títulos do futebol brasileiro: justiça seja feita

Segundo a TV Globo (que parece ter readquirido a exclusividade de informações em primeira mão) e o site Globoesporte.com, a CBF vai oficialmente unificar os títulos brasileiros de 1959 (início da Taça Brasil) a 1970, ano em que o Fluminense sagrou-se campeão nacional ganhando o Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Robertão), antes da criação do Campeonato Brasileiro em 1971, conquistado pelo Atlético-MG.

Santos F. C. campeão da Taça Brasil/1965

Santos, Palmeiras, Fluminense, Bahia, Botafogo e Cruzeiro reivindicavam a unificação. O Alvinegro da Vila Belmiro e o Alviverde de Palestra Itália passarão a ser os clubes mais vezes campeões brasileiros (oito cada). São Paulo e Flamengo, com seis títulos, vêem em seguida, e depois Corinthians e Vasco da Gama, com quatro.

Na minha opinião, se a informação for confirmada, será feita justiça. Afinal, é inadmissível concordar que a história do “melhor futebol do mundo” tenha começado em 1971! Lembro de um comentário do Antero Greco às vésperas da final do Brasileiro de 2002 (Santos x Corinthians), quando ele disse que, se ganhasse, o Santos seria naquele ano campeão nacional pela sétima vez. “É preciso acabar com essa bobagem de ignorar os títulos nacionais antes de 1971”, disse Antero na época, com palavras que, se não são exatamente essas, são quase as mesmas. 

Palmeiras levantou taças Brasil e de Prata em 67

Como a informação ainda não é oficial, faltam alguns esclarecimentos. Por exemplo, nos anos de 1967 e 1968, quando a Taça Brasil e o Robertão coexistiram, vão ser considerados os dois títulos (como se fossem o Clausura e o Apertura na Argentina)? Em 67 o Palmeiras ganhou a Taça Brasil e o Robertão (Taça de Prata); em 1968, o Botafogo foi campeão da primeira e o Santos do segundo.

Taça Brasil – foi criada pela CBD (antiga CBF) em 1959 com o objetivo de indicar os representantes brasileiros para a Copa Libertadores da América. Participavam os campeões estaduais de todo o país. Mas os times mais tradicionais só entravam nas fases finais.

Roberto Gomes Pedrosa (Robertão/Taça de Prata): é o antigo "Torneio Rio-São Paulo", criado em 1954. Em 1967, foi ampliado, virou Taça de Prata e incorporou os principais times brasileiros, considerados os de Rio-SP mais Internacional e Grêmio (RS), Cruzeiro e Atlético (MG) e Ferroviário (PR). Em 1968, entraram Bahia, Náutico (PE) e Atlético Paranaense.

Títulos a serem unificados

Taça Brasil
1959 – Bahia
1960 – Palmeiras
1961 – Santos
1962 – Santos
1963 – Santos
1964 – Santos
1965 – Santos
1966 – Cruzeiro
1967 – Palmeiras
1968 – Botafogo

Torneio Roberto Gomes Pedrosa / Taça de Prata
1967 – Palmeiras
1968 – Santos
1969 – Palmeiras
1970 – Fluminense

Publicado originalmente segunda-feira, 13 de dezembro de 2010 - às 23:08

13 comentários:

Luciano disse...

Edu,

Vi ontem o Bem Amigos no Sportv e concordei totalmente com o Alberto Helena Jr.

Não podemos considerar a Taça Brasil um campeonato Brasileiro... Taça Brasil é o equivalente hj a Copa do Brasil. Basta ver o formato de disputa.

Torneio Gomes Pedrosa... pelo amor de Deus né... isso não é um Torneio Nacional... é apenas a Taça Rio-SP... nada mais q isso.
(se vamos considerar o Rio SP um torneio nacional temos q ampliar essa lista ai)

Fluminense não merece meu respeito... um clube que pula da série C para a série A na base do tapetão tem q ser considerado somente um "porra nenhuma".

Paulo M disse...

Parece que o Timão e o Tricolor vão ter de cavalgar mais um pouquinho pra chegar ao oitavo. Acho justo, sim. É uma forma também de reverenciar o passado numa cultura que não o reconhece. O SP e o Corinthians só foram saber o que é ser campéão brasileiro nos anos 80/90, enquanto Palmeiras e Santos conquistavam títulos relevantes 20, 30 anos antes. Por que não ganharam, então? Demorou essa unificação...

Edu Maretti disse...

Luciano, discordo do vc. O Roberto Gomes Pedrosa era Rio-SP ATÉ 1966. Depois virou um campeonato nacional, chamado Taça de Prata. Por exemplo, participaram em 1968 os grandes clubes de SP e Rio, os dois do Rio Grande do Sul (Grêmio e Inter), os dois de Minas (Cruzeiro e Galo), Atlético-PR, Náutico e Bahia, num total de 17 clubes representando todo o Brasil.

A Taça Brasil, que, como dito no post, foi criada para indicar os representantes brasileiros à Libertadores, podia até ter a FÓRMULA semelhante à Copa do Brasil. Mas tanto era o campeonato nacional que as manchetes da época diziam: "Palmeiras (ou Santos, ou Bahia, ou Cruzeiro) é campeão brasileiro".

Se é para discutir fórmula de disputa, francamente, esse campeonatinho mundial de clubes hoje vale o quê, com esses timaços como Al-Wahda, Mazembe, Seonogam... Fala sério. É um torneiozinho medíocre criado para vender cota$$$ de propaganda e eleger políticos.

Na época dos torneios que vc contesta, aliás, a Libertadores era MUITO mais difícil do que hoje, quando tem uma porrada de timecos com o mesmo objetivo político-financeiro. Na época eram os campeões que disputavam, os bons, os grandes times do continente.

Enfim, Luciano, se o seu argumento for válido, o que você diria se, hipoteticamente, suponhamos, daqui a alguns anos surgisse uma ideia de que o Campeonato Brasileiro oficial só valeria a partir dos pontos corridos, pois o mata-mata até 2002 não seria de fato digno de mostrar o campeão?

Opinões há de todo tipo. Se tem a opinião do Alberto Helena Jr, um cara respeitável, também há a do Antero Greco, um jornalista também respeitável.

Como disse o Paulo acima, "Demorou essa unificação". Só espero que seja oficializada.

Abraços

Luciano disse...

Edu,

Olha ai vc criticando os times africano meu brother....

http://www.lancenet.com.br/internacional/Internacional-perde-Mundial_0_389961086.html

ITERNACIONAL ELIMINADO

Anônimo disse...

Opa, peraí, eu não critiquei os times africanos, eu citei alguns times que para mim não significam nada para o futebol, um árabe (Al-Wahda), um africano (Mazembe) e um coreano (Seonogam) e poderia ter citado outros, deste ano ou de anos anteriores. Agora, se o Inter perdeu para o poderoso Mazembe, isso só mostra como é fraquinho esse time do Colorado. Vexame.

Não tiveram nem o gostinho de enfrentar a Inter de Milão. Desprezaram o Brasileirão, foram até Abu Dhabi pra fazer um jogo, nenhum gol e voltar para casa. Chega a ser cômico.

Luciano disse...

Edu,

Sou extremamente a favor desta formula para o mundia de clubes.

O mundo não se resume em EUROPA E AMERICA.
______

Aproveito a oportunidade para dizer que o Fluminense não ia conseguir subir da serie B para a serie C, sabe pq?... Por causa dos timinhos... (meu brother... timinhos são fodaaaaa)...

Edu Maretti disse...

PS: como se percebe, o Anônimo acima sou eu... Esqueci de preencher o campo como meu nome...

Luciano disse...

huauhauhahuha Eu já ia dizer.... quem é o pilantra q postou anonimamente.....ahhuauhahuauh

Ps.: vou me lembrar no seu proximo "cinquentenario" o q vc disse a respeito dos timinhos viw...


Abs...

Paulo Rogerio disse...

Hahaahahh pra onde vai a taça das bolinhas rsrsrsr, já que o fla não consegui tomar do são Paulo,que foi uma pena . Tem ser levada para o clube de direito . Olha a zona que os caras tão fazendo,Primeiro dão um título mundial pros doentes agora isso,que zona chega ser medíocre. Cada campeonato tem seu nome sua história não podem ser misturadas .só porque um historiador de ;@&$:" acredita poder mudar o passado.

Felipe Cabañas da Silva disse...

Palmeiras: o único time do mundo a ganhar duas vezes no mesmo ano o mesmo campeonato... rs

Eu até não sou contra essa unificação, mas é preciso admitir que a partir de 1971 é que o formato de disputa passa a ser efetivamente NACIONAL, buscando abranger todo o país. Não é uma mera questão de nomenclatura.

Bom, uma coisa é boa nessa mudança: se o Robertão passou a ser contado como título brasileiro, ninguém mais vai poder menosprezar a copa do brasil, que, convenhamos, é muito mais difícil que esse tal robertão ou até que a taça brasil.

Tanto é que grandes times passaram por fiascos históricos na Copa do Brasil. Nem sempre é fácil ir lá pra Arapiraca e sair com a vitória... hehehe

PS: Com essa mudança, o Palmeiras nos últimos dois anos conseguiu ser tetra-campeão brasileiro e campeão mundial. Tornou-se o maior campeão de tapetão da história do futebol mundial. he he

Edu Maretti disse...

Mas, Felipe, se "a partir de 1971 é que o formato de disputa passa a ser efetivamente NACIONAL, buscando abranger todo o país", em 1968 participaram [da Taça de Prata] os grandes clubes de SP e Rio, os dois do Rio Grande do Sul (Grêmio e Inter), os dois de Minas (Cruzeiro e Galo), Atlético-PR, Náutico e Bahia, num total de 17 clubes representando todo o Brasil, como eu disse no post.

Legal que vc diz não ser contra a unificação, afinal a discussão não pode ser só sobre "formato"!!!

Os maiores times do futebol brasileiro nos anos 60, base da nossa seleção (Santos, Palmeiras, Botafogo e Cruzeiro - quando o futebol do país era o mais maravilhoso do mundo) não ganharam nada?

Repetindo: a história do futebol brasileiro começou em 1971? Não, não começou em 1971.

Sobre o Parmera ganhar 2 vezes no mesmo ano, isso pode acontecer na Argentina em qualquer temporada... lá tem o Clausura e o Apertura...

Legal que você reapareceu... andava meio sumido, feito Indiana Jones - hehe

Felipe Cabañas da Silva disse...

A Taça Brasil dava regalias aos clubes paulistas e cariocas. O Santos, por exemplo, entrava na semifinal. Quatro jogos somente para ser campeão. O Santos nos cinco títulos da Taça Brasil jogou apenas 20 jogos. Não dá nem um turno do campeonato brasileiro atual. Não estou discutindo formato, estou discutindo abrangência e isonomia de tratamento. O que acontece no mundial interclubes também é ridículo. Tão ridículo que os europeus sempre menosprezaram o mundial e nós, latino-americanos com complexo de vira-latas, gostamos de qualquer merda que seja internacional.

A história do futebol brasileiro não começou em 1971, mas o campeonato brasileiro com alto grau de dificuldade e abragência sim.
Taça Brasil é Taça Brasil e Campeonato Brasileiro é campeonato brasileiro. Sinto muito santistas e palmeirenses, mas vocês ganharam um presentão de natal no tapetão.

João disse...

engraçado q as pessoas q são contra nao enxergam que nos anos 60 o brasil era outro. o brasil de 8 milhoes e meio de km2 não podia fazer um camp. brasileiro como se fosse uma pequenina itália. hoje pode... mas 50 anos atras podia? tinha avião, tinha aeroporto, tinha infra, tinha grana pra mandar time de lá pra cá? é isso aí meus amigos, o parmera e, ta bom o santos, é o maior vencedor e em breve a gente ganha o nono titulo!!!!!!!!! kkkk