sexta-feira, 7 de junho de 2013

Favoritos do cinema (7): Os outros



Nicole Kidman, exuberante no filme de Alejandro Amenábar

Quando era criança, havia uma sessão semanal de cinema na TV Bandeirantes, à noite, não lembro se às sextas-feiras ou sábados, chamada Cine Mistério. Eu ficava vendo aqueles filmes com minha avó Emiliana. Era imperdível. Drácula e lobisomem eram protagonistas frequentes. Eram exibidos "clássicos" no gênero ficção como O incrível homem que encolheu, A mosca da cabeça branca e tantos outros. Acabada a sessão, ia minha avó para o seu quarto e eu, olhando atentamente para as sombras da casa, para o meu; perscrutando o medo, deitava sob as cobertas que me protegiam. Como era bom aquele medo!

Faço a digressão para chegar ao cinema contemporâneo e falar que, no gênero terror, como a gente dizia, um dos filmes mais impressionantes é Os outros (2001), dirigido por Alejandro Amenábar, estrelado por Nicole Kidman. No filme, a grande atriz australiana interpreta Grace, uma mãe superprotetora que vive com seus dois filhos numa casa grande e isolada. Solitária, ela espera o marido, que é soldado e foi aos campos de batalha da Segunda Guerra Mundial.

Os outros tem uma proposta semelhante a O sexto sentido (direção de M. Night Shyamalan – 1999), outra ótima produção, que, além de ser um grande filme, mostra que Bruce Willis, embora tenha preferido trilhar o caminho das superproduções enlatadas, tem grande domínio da chamada arte de interpretar, assim como acontece em Pulp Fiction, de Tarantino. Mas, digressões à parte, o filme de Amenábar é superior ao de Shyamalan. Os outros inverte uma lógica que seria perverso eu contar aqui, pois tiraria a surpresa de quem não viu o filme (detesto críticos de cinema sacanas e "onipotentes" que contam as histórias e finais dos filmes).

O suspense de Os outros é um elemento muito bem trabalhado, assim como a direção de atores, fotografia e roteiro. A interpretação de Nicole Kidman é magnífica, como de resto é normal para ela. No transcorrer do filme, às vezes você tem a impressão de que o roteiro vai redundar num clichê. Parece mesmo, à certa altura, que você está assistindo a um filme banal. Mas quando você pensa que está de fato diante de uma história sem nenhuma pretensão é que entende a maneira pela qual Amenábar inverte a lógica e fica então claro o significado do título Os outros, título que a versão brasileira manteve do original em inglês, The others.

Há cenas muito bonitas e impressionantes. Como a da criada que olha pela janela e comenta sobre aquele dia spleen, cinza, em que não se ouve sequer o som dos pássaros. Ou soluções de roteiro como o papel das crianças, que não podem se expor à luz porque sofrem de uma doença estranha. Ou as cortinas... Esses e outros elementos se acumulam na história e só no fim esses enigmas que vão sendo lançados no decorrer do filme são esclarecidos. Os outros é um filme interessante de assistir mais de uma vez. Porque se pode entender melhor algumas soluções de roteiro e cenas que, ao ver pela primeira vez, passam despercebidas.

Assim como O sexto sentido, Os outros se vale de elementos claramente espíritas. Ou seja, ambas as películas não são construídas a partir de elucubrações tolas (o que é fatal para filmes do gênero), mas de conceitos estabelecidos na doutrina de Alan Kardec e suas ramificações. 

Mas não assista a esse filme em versão dublada. A observação faz sentido porque já ouvi algumas pessoas dizerem “ah, eu vi esse filme, mas vi dublado”. Com certeza, quem viu dublado perdeu tempo e a chance de mergulhar na atmosfera assustadora de um filme incrível. Se você viu dublado, reveja legendado.


Leia também, da série Favoritos do cinema:

"Quando explode a vingança", de Sergio Leone

Fargo (irmãos Coen)

Era uma vez no Oeste - Sergio Leone e o faroeste de cinéfilo italiano

Os Incompreendidos", de François Truffaut

Pasolini

Acossado, de Godard


*Publicado originalmente à 00:24 de 3 de junho de 2013

4 comentários:

Alexandre disse...

Muito bom esse filme. Interpretação sem comentários de Nicole Kidman, essa sim, uma bela e ótima atriz. Na minha opinião.
Encontrei esse filme, Os Outros, no youtube, na íntegra, pra que quiser ver.

http://www.youtube.com/watch?v=Mt2y-ZxD5OY

Alexandre disse...

Desculpem, mas melhor ainda legendado...
http://vimeo.com/51813633

Felipe Cabañas da Silva disse...

Eu assisti esse filme no feriado, com vários arrepios na espinha, por isso tomei um susto danado quando entrei no blog e dei de cara com a Sra. Grace Stewart. rsrs
Que coincidência arrepiante. Eu hein!

Mas é um filme realmente espetacular. Um dos melhores filmes de suspense/terror/mistério que já vi. E achei muito interessante que a personagem de Nicole Kidman no filme, interpretada de fato de forma magistral, leva o mesmo nome que a personagem do filme Dogville, também interpretada de forma magistral: Grace. Seria apenas coincidência?

Edu Maretti disse...

Que engraçado, não lembrava que ela era Grace no Dogville (um grande filme, aliás).

Seu susto ao ver o post se justifica... Que coincidência arrepiante! hehe.

Haja coincidências...