sábado, 11 de agosto de 2012

Futebol fica só com a prata e Romário detona Mano Menezes: "a culpa foi dele pela derrota"


"O Mano é um bom técnico para o Corinthians, pra clube. Espero que ele nunca mais vista camisa da seleção porque ele é fraco e a culpa foi dele pela derrota." Esse foi Romário (ex-gênio da área e hoje deputado), comentando na Record, após a confirmação do estigma: o Brasil segue sonhando com uma medalha de ouro no futebol (masculino) nos Jgos Olímpicos. Não foi desta vez (veja vídeo da fala de Romário abaixo).

Reprodução
Zagueiro Thiago Silva consola o inconsolável Lucas

A mediocridade do time brasileiro ficou patente em vários aspectos. Taticamente, a equipe foi dominada pelo México, que, aliás, conquistou o ouro com toda justiça. Mano Menezes começou escalando errado: Alex Sandro, que no Santos sempre foi um sofrível lateral esquerdo, foi inexplicavelmente escalado para jogar no meio de campo, onde ficou perdido, sem saber onde e como jogar.

Os volantes Sandro e Rômulo são duas nulidades técnicas. Como o México jogou o tempo todo se defendendo, já que fez um gol aos 30 segundos de jogo, cabe perguntar por que ele continuou jogando com os dois volantes sofríveis, enquanto Oscar não conseguia sozinho organizar e vencer a forte marcação de um México fechado.

E também perguntar por que Mano Menezes não ousou antes, colocando Lucas, por exemplo, que entrou aos 40 do segundo tempo, quando já era tarde. Lucas teria sido mais útil do que Pato, que entrou no lugar do horrendo lateral Rafael. Pato, um jogador mais de frente, pouco pôde fazer e Lucas, vindo de trás, ajudando Oscar e Neymar, poderia ter causado danos à defesa mexicana, se tivesse entrado antes.

E o tal Rafael, tão arrogante quanto lamentável? Entregou o gol logo de cara e quase presenteou os mexicanos com outro no segundo tempo, quando o zagueiro Juan berrou com ele e os dois quase se pegaram dentro de campo. Quer saber? Deixando o politicamente correto, eu teria me sentido realizado se Juan tivesse dado uma bofetada nesse rapaz. E por que não jogou Danilo na lateral direita, posição em que conquistou a Libertadores pelo Santos? As escolhas de Mano Menezes são injustificáveis.

Em resumo, a seleção mexicana mereceu porque é mais time, mais bem armada taticamente, mais preparada e superior como time. O choro convulsivo de Lucas* após o jogo foi comovente e emblemático. Além da dor da derrota, deve ter passado pela cabeça dele que poderia ter ajudado a ganhar o ouro. Mas Mano não quis. Preferiu o touro Hulk, depois o centroavante Pato, dois volantes medíocres e um futebol sem criatividade e burro.



*Atualizado às 18:38: O choro convulsivo de Lucas, e não de Juan, como escrevi erradamente antes

8 comentários:

Felipe Cabañas da Silva disse...

Eu sou fã do baixinho. Ele teve coragem de dizer ao vivo o que todo mundo quer dizer. Esse sempre foi o Romário que eu conheço. O Romário que me fez ir ao delírio na Copa de 1994, quando, moleque de 11 anos em país alheio, torci pela seleção como torço para o Corinthians. Acho que foi a última vez. Todo ser humano tem suas contradições, mas acho que o baixinho, agora fora dos relvados, ainda tem muito a contribuir pelo esporte brasileiro. Embora a bem da verdade ninguém saiba para onde vai o socialismo no mundo, no Brasil ou no PSB, o Romário tem desempenhado um papel de respeito na política nacional. Tem mostrado que não é mais um oportunista aproveitando o nome construído no campo para beliscar uma boquinha na política.

Eu só discordo dele numa coisa: não, o Mano não é técnico para o Corinthians. Talvez para clubes menores. Talvez para a série B. Mas ele jogou uma libertadores no lixo porque justamente "não sabe escalar, não sabe convocar, não sabe mexer", e pôs o horrível Moacyr para jogar uma decisão contra o Flamengo. Ele fez aquele pênalti infantil no Maracanã e nós rodamos contra um time que se classificou na bacia das almas. Eu espero que ele não vista mais a camisa da seleção e muito menos a camisa do Corinthians.

Leandro disse...

O Mano é tecnico para o Brasil, e não para o Corinthians.
Desde que era do Grêmio eu criticava o Mané, e durante a passagem dele pelo Timão fui acusado de impaciente, injusto e intolerante até mesmo por uma parcela (pequena) de corinthianos, sem contar torcedores de outros clubes.
Colocar o corinthiano Lucas faltando dois minutos para terminar o jogo foi um crime. E eu também acho que ele, os jogadores e toda a nossa imprensa subestimaram a capacidade deste time do México, formado por uma geração que andou se destacando em torneios de base e que não é a mosca do cocô do cavalo do bandido que muitos fizeram parecer.
Mano foi mal, o time todo foi mal, e sem nenhum eufemismo podemos dizer que "pipocou" na hora H e contra o melhor time que pegou em muito tempo. O México teve seus méritos, e este é o resumo geral da coisa.
Mas é curioso ver o baixinho aproveitar a "deixa" para destilar todo o seu ódio contra o atual campeão brasileiro de futebol e sulamericano de várzea. Time que não tinha rigorosamente nada a ver com a bagaça, mas que acabou vitimado pela língua ferina e anticorinthiana do carioca.
Se Mano tivesse chegado à seleção vindo de um time do RJ será que o nobre deputado silenciaria em nome de uma cariocada? Aposto que sim.
Mas ele se lembrou do SCCP. E sendo o time mais perseguido do planeta, ignoremos, pois tomando como minhas as palavras dele: o baixinho calado é um poeta. E o que é mais uma flechada para São Sebastião, não é, Corinthians?

Felipe Cabañas da Silva disse...

Leandro, eu respeito a sua crítica ao Romário. O baixinho sempre foi assim: ou bem se ama, ou bem se odeia. Eu sempre fui da primeira opção, não somente porque é um ídolo de infância, mas porque sempre gostei das pessoas que falam o que pensam.

Mas o Romário não tem nada de anticorintiano. http://www.lancenet.com.br/corinthians/Romario-parabeniza-reforca-Timao-Libetadores_0_727727405.html

Se ele fosse mais um anti não torceria pelo Corinthians nem pelo "motivo nobre" de "ganhar dos argentinos em tudo". E ele também não precisaria ter dito que sempre teve simpatia pelo Corinthians.

Além do mais, eu assisti a declaração do Romário ao vivo, e ficou nítido que ele não teve intenção nenhuma de detonar com o Corinthians. Tanto é que frisou "é um técnico bom para o Corinthians, PARA CLUBE". O Romário detonou unicamente o Mané Menezes, e fez muito bem.

Leandro disse...

Dileto Felipe,
Entre outras "celebridades", o presidente do Santos FC também saiu com este clichê de "é contra argentinos", mas depois confessou que torceu descaradamente para o Boca.
Vindo de um político, então...
Admito que, pelo que vem fazendo até aqui, eu também votaria no Romário se fosse deputado por SP.
Mas considerando a qualidade (ou a falta dela) neste antro demo-tucanalha chamado SP, é até covardia comparar os políticos daqui com os de outros lugares.

Felipe Cabañas da Silva disse...

Leandro, uma coisa é o Laor e o Neymar declararem torcida pelo Corinthians. São nossos arquirrivais, foram concorrentes diretos, perderam. Realmente, só um completo basbaque acreditaria nos dois... rs... E acho que o objetivo foi esse mesmo, tentar nos fazer de otários... rsrs... Mas em relação à torcida do Romário, não vejo motivos para não acreditar... Considerando-se a hipótese remota do jogador estar fazendo marketing eleitoreiro, lembre-se que as torcidas de Vasco e Fluminense têm fortes tendências anticorintianas, e o Flamengo, nos últimos anos, apesar de ser um clube relativamente amigo (foi, por exemplo, o único clube grande que nos ofereceu os pesares quando caímos para a série B), tem demonstrado sintomas de que vai engrossando o coro do anticorintianismo. Acho que ele teria muito mais a perder do que a lucrar fazendo essa declaração por motivos oportunísticos. E, simplesmente, ame-se ou odeie-se, não é do feitio do Romário falar uma coisa e sentir outra. É preciso admitir que é um cara autêntico, que não joga pra sair bonito na foto. A gente precisa tomar cuidado também para não ver anticorintianismo em toda e qualquer coisa.

Edu Maretti disse...

Bom, eu tive o privilégio de ver Romário em campo, Brasileirão de 98 na Vila Belmiro (Santos 4 x 1 Flamengo, três gols de Viola - e Romário fez o gol do Fla, o primeiro do jogo). Antes (não lembro qdo, mas na mesma época) vi no Palestra Itália o Fla eliminar o Palmeiras da Copa do Brasil por 1 a 0, numa jogadaça de Romário que fuzilou pela meia direita, o goleiro Veloso deu rebote e Sávio só empurrou pras redes - hehe.

Bacana isso que diz Felipe: "Ele teve coragem de dizer ao vivo o que todo mundo quer dizer. Esse sempre foi o Romário que eu conheço"... e "é um ídolo de infância". Eu tive um ídolo do Flamengo na infância também!, Zico. E igual sou fã de Romário. Mas não sou dos que fazem a dicotomia Ronaldo ou Romário?. Gosto também de Ronaldo, o do Barcelona, do Milan e do penta. Mas prefiro o Baixinho - e tudo isso só falando de ludopédio.

Como deputado, Romário de fato tem surpreendido, fazendo um mandato melhor que muitos profissionais da política, inclusive da esquerda. Não sei se votaria nele, porque não conheço seu trabalho tão a fundo, até por não ser do RJ.

Já Ronaldo virou um empresário que vai ser gordo e poderoso no mundo do marketing.

Agora, sobre Mano Menezes, acho o seguinte: se a CBF não o demitir agora e preferir apostar no "trabalho já realizado", mantendo-o no cargo, o Brasil corre sério risco de protagonizar uma catástrofe em 2014. Faltam só dois anos pra Copa e o time não parece um time.

Leandro disse...

Só posso atribuir à paixão de um ultrafã esta determinada defesa que você faz do Romário, meu caro Felipe.
Não é possível que você não veja cariocada e anticorinthianismo neste rompante do baixinho.
Baixinho que, diga-se, é sim um bom parlamentar, considerada a média dos que temos à mão, mas também me lembro bem dele durante as Copas de 94 e 98, esperando ou indo na direção da nauseante figura de Pedro Bial BBB para conceder entrevistas exclusivas, escoltado por um pucha-saco/censor da CBF.
Eu cuspo para o Mano Meneses e concordo que ele deve sair para a vinda do Luxa, do Muriça, do Autuori, de qualquer outro. Mas esta do Romário não passou despercebida por mim, ainda que ele tenha bastante crédito como jogador e agora como deputado.

Felipe Cabañas da Silva disse...

hehehe... é, o baixinho teve os seus momentos bobais... "agora eu to na seleção da bobo", etc... rsrs

Como disse, que ser humano não tem suas contradições? Mas pelo menos, todos nós concordamos no ponto essencial: FORA MANÉ MENEZES!!! Com Mané Menezes no banco, corremos sério risco de um Maracanazzo versão século XXI, isso se chegarmos a jogar no Maracanã, que só alcançaremos em caso de final.