domingo, 4 de dezembro de 2011

No dia da morte de Sócrates, Corinthians ganha seu quinto título brasileiro


Com um 0 a 0 que a Fiel considerará algo como "digno da tradição de sofrimento" do Timão, com direito à morte de um mito, Sócrates, que se foi justamente na madrugada deste domingo, dando a conotação dramática ao epílogo do espetáculo, o Corinthians sagrou-se campeão brasileiro pela quinta vez.

Sobre o Doutor, rendo aqui uma pequena homenagem, que é apenas uma lembrança. Não me lembro exatamente em que ano, eu estava no Morumbi num Santos x Corinthians que parecia um jogo de xadrez, equilibrado, estudado, bonito em seu equilíbrio. De repente, do nada, de costas para seu ataque, na intermediária, o Doutor deu um passe de calcanhar para Palhinha, que, na velocidade, sofreu pênalti. Corinthians 1 a 0 (acho que o jogo acabou 2 a 0). Num toque genial, o Magrão destruiu todas as possibilidades de equilíbrio. Assim era Sócrates.

Voltando a 2011, não há o que discutir sobre a justiça do título alvinegro, que terminou a competição após liderá-la por 27 rodadas. O que não se pode deixar de dizer, e eu não aceito a pecha de parcialidade por dizer isso, é que o time de Tite não deu espetáculo nenhum, é só a menos ruim das equipes que disputaram o título brasileiro de 2011. É um campeão sem brilho, sem craque, sem golaço, sem ginga e com um futebol pragmático que não empolgou nem os corintianos mais exigentes que entendem de futebol.

Apesar de ser considerado um campeonato muito emocionante, o Brasilerão de 2011 foi tecnicamente muito fraco.

Os méritos do título são todos de Tite, que, com sua pragmaticabilidade, colocado sob desconfiança desde sempre, manteve a toada sem estardalhaços, sem lantejoulas, e com humildade chegou à conquista mais sua do que de qualquer outro personagem.

Por fim, infelizmente este é um post de final de campeonato que não tem gols para linkar. O jogo do Pacaembu foi muito ruim e o resultado mais justo foi mesmo o triste 0 a 0. Ao Vasco da Gama, os aplausos por ter lutado até o fim pela inexpressiva Copa Sul-Americana e pelo título brasileiro, que, com o 1 a 1 com o Flamengo no Engenhão hoje, não teria conquistado nem se o Palmeiras tivesse jogado algum futebol e houvesse batido o Corinthians no Pacembu.

22 comentários:

Luciano disse...

repito.... quem eh VALDIVIA...... achava mesmo q o lixo do Palmeiras ia tirar uma campanha como a nossa?

JAMAIS....

#xupabambi
#xupaporcada

E o melhor de tudo..... a bicharada vai jogar a sulamericana.....kkkkkkkkkkk

PENTA CAMPEAO BRASILEIRO

Felipe Cabañas da Silva disse...

Quatro jogos espetaculares do Corinthians no Brasileirão 2011:

Corinthians 5 x 0 São Paulo
Atlético MG 2 x 3 Corinthians
Corinthians 2 x 1 Avaí
Corinthians 2 x 1 Flamengo

Você colocou o Tite fora do Corinthians e o Corinthians fora do então G4 no final do primeiro turno, disse repetidas vezes que o Corinthians só estava em primeiro por incompetência dos outros e agora só foi campeão porque foi "o menos pior".

Então o Fluminense no ano passado só foi "o menos pior", o Flamengo em 2009 só foi "o menos pior", etc etc. Todos esses times levaram o campeonato até a última rodada e ganharam por margem pequena de distância, e ganharam "sem dar nenhum show".

Desculpe, mas a belíssima campanha do Santos na Libertadores 2011 não teve nenhum show, teve momentos medíocres, e esteve à beira da eliminação por repetidas ocasiões. Mas o Santos tem Neymar, e mesmo quando o time joga um futebol medíocre, o gênio pega a bola e acaba com o jogo e vocês acham que o Santos "está dando show".

Acho a sua interpretação completamente equivocada e enviesada. Quantos jogos do Corinthians você assistiu??

Saudações.

Felipe Cabañas da Silva disse...

PS: O campeonato brasileiro está dando a falsa impressão de que se mediocrizou, porque os líderes perdem pontos para pequenos, a liderança muda constantemente, times medíocres podem chegar no topo durante parte do campeonato (caso do São Paulo e do Botafogo), e os melhores times às vezes jogam um futebol "medíocre e acovardado", como disse aqui do meu próprio Corinthians quando achei apropriado. Mas a verdade é que o campeonato brasileiro cresceu, se solidificou e se tornou um dos campeonatos nacionais mais difíceis do mundo, algo internacionalmente reconhecido.

O campeonato brasileiro de futebol não é mais o Robertão.

Saudações corintianas.

Salve Sócrates.
Salve o Corinthians.
PENTA CAMPEÃO

Leandro disse...

Felipe,
Eu também destacaria os jogos Corinthians 1x0 Internacional e Corinthians 2x1 Atlético Mineiro. O empate com o Vasco, dada a forma como o Corinthians encurralou os vascaínos no segundo tempo, também entraria nesta classificação se os atacantes tivessem acertado o pé naquele dia para garantir os três pontos, que também poderiam ter vindo por meio de um pênalti que não foi dado.
Fosse um pênalti para o Vasco, e agora estaríamos ouvindo ladainha parecida com a do mitológico pênalti no Tinga.
O Vasco está mesmo de parabéns pelo ano. Fez lembrar o Corinthians de 2002, pois não se acomodou com a Copa do Brasil no bolso e terminou 2011 como o time do ano se considerarmos o conjunto da obra, como eu tenho repetido aqui.
Mas o título do Corinthians, que há 76 rodadas figura no G4 (noves fora Tite e os sustos desnecessários que ele nos deu durante todo o campeonato, inclusive hoje contra dez palmeirenses, quando poderia ter matado o jogo), não só é justo como corrige a distorção do ano anterior, quando Fluminense e Cruzeiro se valeram de entregadas para ficar na frente do novel penta-campeão nacional.

Edu Maretti disse...

Felipe, vamos com calma, camarada. Como eu disse: "não há o que discutir sobre a justiça do título alvinegro, que terminou a competição após liderá-la por 27 rodadas". Ponto.

Eu não coloquei o Tite fora do Corinthians, eu critiquei o Tite como a maioria esmagadora dos corintianos, inclusive vossa senhoria, e achei que ele cairia. Não caiu, o que acabou se mostrando uma decisão acertada do clube. A torcida do Corinthians pediu a cabeça do Tite diversas vezes, por exemplo quando perdeu o título paulista para o Santos, que nem fez muito esforço para ganhar aquela final, que foi até fácil demais (aliás, no Brasileirão, o Timão tomou uma sova do Santos no Pacaembu lotado e não tomou uma goleada porque deus não quis:

http://fatosetc.blogspot.com/2011/09/santos-abate-o-timao-no-pacaembu-e.html).

Não vou falar da belíssima campanha do Santos na Libertadores 2011, porque de Libertadores entendemos nós! Pô, era só o que faltava, corintiano querer criticar a campanha do SFC na Libertadores - hahaha.

Vi vários jogos do Corinthians, sim, ou você quer que eu tenha visto todos pra emitir uma opinião? Em nenhum deles vi um time que encantasse, fazer o quê? Você mesmo cansou de criticar o futebol "medroso" do time do Tite.

Seja como for, como eu disse, o título é mais do que justo, até por falta de adversários suficientemente competentes.

E é isso que eu acho, o que posso fazer?

E, Leandro, na boa, essa insistência em dizer que o Vasco foi "o time do ano", desculpa aí, mas não cola. Vamos ser objetivos: o time do ano é o Santos, campeão da Libertadores e Paulista e com certeza o melhor time do país (dizer o contrário é só por paixão de torcedor); o segundo é o Corinthians, campeão brasileiro; o Vasco é só o terceiro, campeão da CB.

Sem nenhuma ironia, parabéns pelo título. O que importa é comemorar a conquista.

Saravá,
au revoir

Paulo M disse...

O jogo de ontem, que todos esperamos ansiosos durante a semana, foi, tecnicamente, daqueles a serem esquecidos. Título justo. Parabéns aos corintianos, em particular aos que sabem vencer, e não consideram o Palmeiras mais importante do que o Corinthians. Este ano resta o Mundial Interclubes. Ano que vem tem mais. Abrs.

Leandro disse...

Edu,
Essa insistência na furada tese do "menos pior" é que não cola e revela paixão de torcedor.
Se o seu Santos, grande time do país no primeiro semestre, enfrentou problemas internos, oscilou e levou o Paulistão e a Libertadores mais "fácil" dos últimos anos com dificuldades e sem brilho à altura dos craques que tem, imagine o Corinthians, sem a mesma simpatia da mídia e num campeonato infinitamente mais longo e inevitavelmente "cíclico", em que ainda teve que contar com um técnico que adora viver perigosamente e que por suas convicções evitou que levasse antecipadamente um campeonato em que, como diriam os marqueteiros do SPFC, foi soberano.
Você afirmou que o Vasco tem mais time que o Corinthians (afirmação com a qual eu concordo), e se tem mais time não pode ser o terceiro do ano agora, atrás justamente do Corinthians.
O critério que utilizo para afirmar que o Vasco foi o time deste ano é o mesmo que considero em relação ao Cruzeiro de 2003, o Corinthians de 2002…
Veja que seria muito fácil, como corintiano, incluir aqui o Corinthians de 2009, campeão paulista invicto e campeão da Copa do Brasil num torneio em que teve que matar vários leões, mas que meteu o pé no freio no segundo semestre para ser figurante no Brasileirão.

Edu Maretti disse...

Jamais, jamais e jamais! imaginei que fosse ouvir de um corintiano sobre seu time não ter "a mesma simpatia da mídia" que o Santos... Increíble!

Sobre eu dizer agora que o Vasco é terceiro do ano, é simples: agora, não se trata mais de eu, você ou quem quer que seja achar quem é melhor. Objetivamente, a temporada acabou (não ainda para nós santistas - hehe) e, se fôssemos elaborar um ranking brasileiro, em termos de conquistas, o Timão teria mais pontos, a menos que vc ache a CB mais importante que o Brasileiro...

Ah, e sobre o ano de 2002 prefiro nem comentar. Vou ficar por 2011 mesmo.

Abraços a todos os corintianos e mais uma vez parabéns pelo título.

Felipe Cabañas da Silva disse...

Eu não critiquei a campanha do Santos, pelo contrário, sempre que toquei nesse assunto aqui foi para elogiar. De Libertadores entendem vocês. Palmas para vós...

Eu só disse que o reputado "melhor time do Brasil" não está dando show. Quem dá show é Neymar...

O Corinthians não tem Neymar. Mas tem um time muito forte, marrento, raçudo e difícil de ser batido. Já que não posso falar de Libertadores, falo da história do MEU TIME: invariavelmente o Corinthians ganhou campeonatos com times exatamente assim: raçudos e desacreditados.

Ano que vem o Santos não terá tanta moleza. Isso se o elenco não for desmanchado...

É PENTA!

Mayra disse...

Gente, e ninguém falou daquela festa tão linda e emocionante da torcida no Pacaembu??!!! Tudo tão absolutamente corinthiano: no dia da vitória de um campeonato brasileiro a morte do grande ídolo. Eu, que infelizmente cumpro a triste saga feminina (antiga, porque as meninas não são mais assim ainda bem) de não gostar/entender de futebol, fiquei profundamente emocionada nesse domingo histórico. Desse dia, não esqueço não.

Edu Maretti disse...

Ótimo teu comentário, Mayra, pra quem não gosta/entende de futebol.

A singela homenagem deste blog com a bela foto do Doutor – no dia da sua morte, no dia do título –, foto tão simbólica, poética, no contexto do domingo de morte e título, mais importante do que qualquer opinião ou divergência sobre futebol em si, também ninguém comentou.

alexandre disse...

Bom, curintianos, resta-me parabenizá-los. O que vale é o título e admito, legítimo. E que lembremos ainda dos calcanhares mágicos de Sócrates. Valeu

Felipe Cabañas da Silva disse...

Bom, Edu, você colocou a foto do Doutor, linda imagem, e do lado uma mensagem de que fomos os menos piores. Acho que talvez o Doutor discordasse, ou concordasse, mas para os ânimos inflamados, a foto termina ficando em segundo plano...

Abraços!

Leandro disse...

Verdade. A imagem do Dr. Sócrates foi aviltada nesta postagem escrita com fígado anticorintiano.
E isso tem a ver com o que escrevi sobre a antipatia da mídia para com o Timão. Não deveria causar espécie nenhuma.
E nem estou nem falando de figuras cujo anticorintianismo é público e notório, como Milton Neves, José Trajano, Edmundo, Denilson, Flávio Prado ou Mauro César Pereira. Estou falando de atitudes muito mais sutis que as destes ou do tal Erick Faria, mais novo integrante da lista.
Juca Kfouri, por exemplo, se diz corintiano, mas leva mais em conta o aspecto pessoal de suas brigas com outros jornalistas, com a CBF e com os dirigentes do clube para falar abobrinhas e levantar suspeitas infundadas.
A comparação feita com o Santos no que se refere a uma certa predileção vale para qualquer outro clube. Podem escolher.
Bem sei que o blogueiro não está entre os que veem com os olhos do preconceito, mas provavelmente as razões deste anticorintianismo mais profundo ao qual me referi acima sejam de cunho sociológico, ou seja, bem mais profundas do que podemos imaginar.
Coisas daquele velho lema incutido aqui desde a invasão de 22/04/1500 e que ainda tem lugar no consciente ou subconsciente de muita gente. O lema de que lugar de "Zé Povinho" é no elevador de serviço, é pela porta dos fundos, é na senzala ou no "refeitório" deles, etc...
Logo, o time cuja história de formação está identificada com o grosso de seguidores destas classes e estamentos só poderia mesmo enfrentar estes mesmos estigmas de não merecer a porta da frente. Se está lá, é muito mais fácil afirmar ou supor que está de modo ilegítimo ou, no mínimo, por mera casualidade.

kidve3 disse...

Ô seus corintiano, pque vcs não vão pescar? Ouvir um som, namorar, ver filmes, passear, festejar o título. Olha que legal!!!Ceis foram campeão, mané, tá com algum problema? Posso ajudar? Leiam atraz da minha camisa- POSSO AJUDAR?

Gabriel Megracko disse...

Haha! Que ótima discussão. Fazendo várias associações juntas, os corintianos deviam ouvir o kidve3 e não ficar estragando o seu título discutindo com santista, porque não é um ano para se discutir com santistas. No mais, a pérola foi do Leandro! Esse negócio da mídia foi foda.
Eu também não gostei do time campeão do Corinthians, mas como dito no fim do jogo, "título alá Corinthians", cavocado, raçudo, e, nesse caso, merecido: são características... e é por preferir a magia que eu sou santista.

Leandro disse...

Caro Gabriel,
Nada pode estragar este título. Nem mesmo o recalque, as tergiversações ou conjecturas dos que torcem para outros times ou daqueles que não gostam do time mais perseguido do país, quiçá do planeta.
Mas o fato é que nós gostamos de prestigiar o blogue do Edu. Na vitória ou na derrota, na concordância ou na discordância.
E nisso não vejo mal algum. Pelo contrário, pois a idéia é confabular.
Que assim seja, então.

Felipe Cabañas da Silva disse...

"Mas o fato é que nós gostamos de prestigiar o blogue do Edu. Na vitória ou na derrota, na concordância ou na discordância.
E nisso não vejo mal algum. Pelo contrário, pois a idéia é confabular."

Concordo em gênero, número e grau.

E Gabriel, vocês santistas podem entender de Libertadores, mas quem entende de Magia somos nós, o único time do país capaz de transformar um simples paulistinha num momento histórico, épico, heróico.

Desejo que o Santos leve ao Japão a nossa sede de magia, e que o Neymito pinte e borde, mesmo vocês dizendo que somos "os menos ruins"... hahaha... Saudações alvinegras.

Leandro disse...

Nem vou ficar discorrendo aqui acerca das relações entre o corintianismo e a magia porque o número de caracteres não permite.
E os santistas, tão ciosos destas questões todas de magia, deveriam dar o braço a torcer e admitir que, pese embora o Timão seja o novo campeão brasileiro e o Santos o novo campeão da América, o grande time brasileiro no momento é o Vasco e o grande time do continente no momento é o Universidad do Chile. Estou falando em momento, na magia do futebol vistoso na qual tanto insistem, e não tem títulos.
No fundo eles sabem disso e concordam, embora insistam em desconversar e jamais admitam.
Mas momento não tem necessariamente tudo a ver com títulos, e por isso o Timão é campeão nacional e o Santos é, também merecidamente, campeão continental, e pode logo mais ser campeão mundial e mostrar para o pessoal das "Nazioropa" que o mundo não gira ao redor do umbigo deles, que acham que gente como Beckham, PipoKaká ou Kahn pode figurar entre os três melhores futebolistas do mundo (do mundinho deles), mas Neymar não pode.

Gabriel Megracko disse...

O que tem a ver não ter achado o time campeão brasileiro do Corinthians um time brilhante com prestigiar ou não o blog do Edu? Rs... Estamos prestigiando neste momento, não? Pelo que entendi, vocês corintianos estão fabulando entre vocês e eu estou fabulando com os santistas.
Leandro, por que você não diz que o Corinthians tem a torcida mais fanática e a segunda mais numerosa do país?, porque eu não sei como um time tão adorado pode ser assim só tão perseguido. O Corinthians está grande na CBF, É grande na mídia e na torcida e ganha muitos títulos importantes, por que caraio vocês seriam o time mais perseguido do PLANETA? Pelos seus critérios, acho que não tem nenhum time africano, em âmbito planetário, menos perseguido que o poderoso timão... O Corinthians é um time catimbeiro, embaçado, difícil, que dá qualquer coisa pra ganhar um título e alcançar a glória. É um time de massa, grande, forte (não chegamos ao assunto da magia ainda)... E todo time de massa brasileiro tem mais pobres e negros em sua torcida, o que faz a coisa ter uma conotação política mais acentuada. Mas você não acha que a rejeição ao Corinthians é só uma balança pro tamanho aliado a fanatismo da torcida e pro estilo de jogo do time? Ou você acha que os corintianos não dão nenhum motivo pra ser odiados? Ô bicho chato que é curintiano!
Agora, vou contar uma historinha: quando eu estava entre meus 0 e 18 anos, corintianos, palmeirenses e sãopaulinos diziam que o meu time era desprezível, que não fazia cócegas, que éramos viúvas do Pelé... que mais? Ninguém do trio de ferro do eixo paulistano aí lembra as piadas com o Santos? E o pior é que como o Santos é da baixada, não tinha, em Perdizes e Barra Funda, maioria para me defender. Quer dizer, nasci em 1984. Estava no Pacaembu em 1995, vi o gol dos restantes dez segundos do Ricardinho, vi o Santos ser assaltado ano após ano por causa da treta Pelé x CBF.

Por tudo isso, caros, um santista da minha idade é calejado, mais que qualquer corintiano da minha idade. O Santos é o único time grande brasileiro que não vem de uma capital: "porto", "baixada", "mar" são sinônimos de Santos, no Futebol. Nenhum time do Rio vem do mar, são times urbanos.
Então, vamos ao ponto: Felipe, todos os times têm a magia que envolve a todos nós, quero dizer, a magia está presente na vida. No entanto, da onde surgiu, pra um time tão inofensivo, aquele pretinho raquítico que passou 4 anos fazendo as mãos de vocês arrancarem os cabelos? E ele não precisava de esforço, ele só precisava jogar pra se divertir. O Santos é um time irreverente, que joga de forma descontraída, mesmo com o futebol pragmático do Muricy. E enquanto você acha que o Santos tá só batendo uma pelada, já tá 3. E aí vem um rumor da torcida cantando "uh tererê". É isso que é Magia de Feiticeiro, não esse escândalo que faz a torcida do timão, rs..., porque se fosse por isso, vocês ganhariam tudo, mas não é assim. O que você chama de magia é o alívio do sofrimento corintiano, com o que eu tenho até uma certa afinidade por questões políticas. Mas, não sendo partidário do sofrimento corintiano, nem da academia palestrina e menos ainda do jogo-de-resultado sãopaulino, eu gosto mesmo é da maior escola de futebol do Brasil, de onde saem e chegam muitos feiticeiros da bola e juntos fizeram do Peixe o melhor e mais boleiro time do Brasil, que joga "pescando" e arranca gargalhadas da sua torcida. O que pode fazer do Santos o que é se não é a Magia?
E, meu amigo Felipe, claro que não esqueço o belo título de 2009 de vocês com o gol do Ronaldo no Palco da Magia, rs..., mas acho que quem fez de um paulistinha um épico foi o Santos de 2010, no centenário do timão. E, de quebra, trouxe o paulistinha de 2011, porque em 2010 vocês faltaram na final.
E, Leandro, não vejo os corintianos prestigiando tanto na vitória como na derrota, às vezes a corintianada some como se estivesse nevando no Fatos Etc.

Brigados pela confabulação, blogueiros.

Leandro disse...

Gabriel,
Nenhum corintiano em sã consciência e que conheça a história do futebol vai negar que, se o Corinthians é sinônimo de fibra, raça, sangue, suor, lágrimas e comoção popular (que nada tem a ver com o que se processa na mídia burguesa e corporativista), o Santos é sinônimo de futebol bonito.
Estamos falando de magias diferentes, mesmo sabendo que nem todo o tempo o Santos conseguiu ser magia pura e nem todo o tempo o Corinthians foi "só" essa fibra. Os times de 1954/55, 1982/83 e de 1999 não me deixam mentir.
Respondendo sua pergunta, o que provoca essas idiossincrasias em relação ao Timão e que convencionou-se chamar antocorintianismo não é a "chatice" de seus torcedores. São os aspectos históricos, políticos e sociais aos quais me referi acima, e que não se observam de forma mais acentuada na realidade social nem no processo histórico de formação e de relações com o meio em nenhum clube na África, no Planeta, no Universo.
Sem dúvida, nenhum time africano ou de qualquer parte, em âmbito planetário, é mais perseguido que o Corinthians.
Você acha os corintianos chatos porque torce para outro clube. Se corintiano fosse, consideraria chatíssimos os carecas do ABC que se acha aos montes na torcida do Palmeiras, ou os aristocratas mantenedores do integralismo que se acha aos montes na torcida do SPFC, ou o pessoalzinho da lumpemburguesia carioca entusiasta de qualquer dos quatro grandes do RJ, especialmente do Fluminense e do Vasco.
Sou relativamente novo como leitor e palpiteiro neste blogue, mas tenho visto comentários do Felipe e de outros menos frequentes que nós dois em postagens para todos os gostos, sobre vitórias ou derrotas do Timão, sobre variedades, sobre política...
Não percebo este verdadeiro sumiço da corintianada.
E que sigam assim os corintianos apostólicos romanos que curtem este blogue e os que ainda hão de curtir.

Felipe Cabañas da Silva disse...

Pelo contrário, meu amigo Gá... Quando o Timão perdeu do rebaixado Ameriquinha Mineiro eu mesmo escrevi um texto aqui para o blog criticando o jogo pífio que o time tinha feito.

O Edu tinha me proposto escrever o texto antes de começar a rodada certo de que o Timão ia pular 3 pontos na frente. Perdeu e mesmo assim escrevi o texto, sem chorumelas.