sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Meteoro cai na Rússia e asteroide passa raspando na Terra





O vídeo acima mostra um meteoro que caiu hoje na região de Tcheliabinsk, nos Montes Urais, na Rússia, ferindo cerca de mil pessoas. Coincidentemente ou não, as agências espaciais mais importantes do mundo observam a rota do asteroide de 45 metros, batizado de 2012 DA 14, que passará justamente hoje a uma distância ínfima de 27,7 mil kilômetros da Terra, às 17:24 desta sexta-feira (horário de Brasília), 15 de fevereiro. 27 mil quilômetros equivale a 27 vezes a viagem São Paulo-Brasília, ou seja, em termos cósmicos é nada.

Bem, a NASA diz que o meteoro da Rússia e o asteróide que passará raspando não têm nada a ver um com outro. Esperemos que não mesmo, embora, se tiver relação, só vamos ficar sabendo depois...

PS (à meia noite e meia de sábado, 16/02/2013):  Não aconteceu nada. Hoje já é amanhã. 'Tamo junto.

Leia tambémMelancolia, o filme de Lars von Trier – o apocalipse como ficção ou metáfora

13 comentários:

Ale.maretti disse...

É, meus amigos, sou feliz por um triz, diz o mestre Gilberto Gil.
Vamos no gingado, no desvio que dá, no achado de um desvio.
A NASA diz que não é possível prever colisões de meteoritos, como esse que caiu na Russia, por serem muito pequenos. Um meteóro ou meteorito são partes de poeira cósmica, com menos de 10 mts de diâmetro. Acima disso é um asteróide. Por serem maiores, dão mais condições de estudos e previsões, e por tanto, com maiores probabilidades de serem detectados.
Vai saber.
Obs: Edu, o vídeo não está funcionando.

Edu Maretti disse...

Valeu o toque... Troquei o vídeo lá. Vamos ver se dura...

Tecnicamente, o que caiu nas Rússia é um meteoro. O que sobra do meteoro após a explosão são meteoritos.

"sou feliz por um triz" !! Grande associação, muito oportuna a lembrança do verso do camarada Gil.

Paulo M disse...

Cheguei no trabalho de manhã e ouvi os comentários: "Caiu um meteoro na Rússia, 500 feridos." E houve quem dissesse: "Parece que não era meteoro, era um 'teste' americano com mísseis em território russo!" Mas vi essas imagens incríveis na internet, com o estrondo que me doeu nos tímpanos ao fone de ouvido. Prefiro que os meteoros sobre a Rússia sejam pedaços do asteróide anunciado mesmo. Se forem dois eventos independentes, pode significar que algo em nosso sistema solar está dando errado.

Edu Maretti disse...

Só se for "dando errado" para nós, seres humanos. A Terra seria muito mais feliz sem o homem, essa formiga inteligente. Sem nós, os tigres, as águias, os golfinhos, as baleias e as borboletas viveriam em paz.

Se forem eventos cósmicos, não se trata de dar errado ou não. Simplesmente são.

Não creio, ou não quero crer, em teorias da conspiração... " 'teste' americano com mísseis em território russo!" ... Pô! - hehe

Paulo M disse...

O que diferencia o homem dos outros animais é a capacidade de formular conceitos. Não acho que eventos cósmicos "simplesmente são", de forma alguma. Dizer isso também é atribuir conceitos. "Os tigres, as águias, os golfinhos, as baleias e as borboletas" não sabem conceituar racionalmente sua própria natureza, mas certamente não iam gostar nem um pouco se algo mudasse da noite pro dia o ciclo "natural" da vida na Terra rsrs.

Edu Maretti disse...

Não sei se me expressei bem. O que eu quis dizer é que não existe (na minha opinião) isso de as coisas darem certo ou errado no cosmos. As coisas obedecem a leis da natureza. Por isso simplesmente são. Não dão certo. Não dão errado. São leis que, ao contrário do que se diz, provocam fenômenos nem perfeitos nem simétricos, como defende o físico Marcelo Gleiser no livro Criação Imperfeita.

Se um asteroide, um meteoro ou um planeta bater na Terra será apenas um evento natural, normal, que acontece aos trilhões a todo instante. Por isso é que eu disse que "so se for dando errado pra nós".

Quanto aos animais, com certeza não iam gostar nem um pouco se algo mudasse da noite pro dia no ciclo "natural" da vida na Terra. Mas até isso é natural (as mudanças brutais e os cataclismas).

Mas sem dúvida o homem é a criatura mais perniciosa à vida na Terra e à "felicidade" dos animais...

Alexandre disse...

Sem querer me meter, mas já me metendo, ...acho que o universo não depende de conceitos.
Aliás, não sabemos ao certo de onde viemos. Talvez a passagem de um segundo sistema pelo nosso, possa elucidar uma das dúvidas que temos sobre a própria existência humana na Terra. Se isso for possível. Errare humanum est, diria Jorge Ben. Mas a própria existência depende de combinações perfeitas para ela. Faz parte do ciclo natural, não só da Terra, mas de tudo. Vivemos na superfície de um planeta. Qualquer detalhe do cosmos, o qual nos permite viver, é fator determinante, como sempre será. Os animais, os mais belos, estão nas constelações, e podemos vê-los, vivos, como se fossem deuses encarnados. Nenhum ser humano são, teria coragem de se pôr a frente de um tigre selvagem, sem nenhuma arma. Quando sim, não há regras, não há conceitos, não há nada que não a covardia e a pequenez e o egoísmo para vencer o belo, um deus encarnado, o poder sem palavras. Um tigre não precisa de poesia, ele é a poesia.
Ele não precisa de mim.
A Terra não precisa se conectar a nenhuma tomada.
da. Ela mesma tem sua própria eletricidade. Isso é incrível.
Então, vamos com a rima
Só de brincadeira
Sem conceitos
Sem preconceitos
Dos cometas, às facetas
piruetas
mutretas
Minhas queridas ninfetas
pretas
As tetas, as setas
retas
Às metas
Lambretas, pernetas
Canetas, êta
Tieta
não sou um poeta

um abraço


Gabriel Megracko disse...

Sobre o janota afetado da Nasa que disse que o meteoroito que caiu na Rússia não tem nada a ver com o meteoro que saiu pela culatra há dois dias, devo dizer que, como não é meu costume, guardo certo rancor desse tipo. Não acho que haja qualquer espécie de conspiração, nem humana, nem cósmica, nem nada, acho que o que acontece é que tem um bando de babacas tecnicistas bancando os sabichões e dizendo o que sua lógica fragmentada consegue ver. Não há qualquer distinção entre o fato de encontrarmos um bando de babacas num ônibus lotado de trabalhadores e o fato de encontrarmos um monte de babacas operando telescópios gigantes. O mais certo é que estes (os babacas) não estão em seus postos por competência, mas por qualquer circunstância nepotista aleatória. Cansei de ver engenheiros ouvindo música ruim, médicos assistindo UFC e psicólogos ingerindo antidepressivos em vez maconha. Não confio mais nessa gente. Posso confiar num médico, ou num astrônomo, mas não por outro motivo que não o que é(aparenta ser) casual. Desde os tempos de escola, públicas e privadas, aprendi a não acreditar em fantoches, porque os fantoches não têm movimentos próprios. "Aí vêm os aviões..." ops, os meteoros, ops, os asteroides, ops, os cometas, ops, os planetas, ops, as estrelas, ops, a vida. Prefiro acreditar na Laurie, no Carlos, no Vincent, no Mick, no Abaji... São os observadores do cotidiano cósmico, que vai de impossíveis planetas originários à poeira varrida por uma vassoura cansada.
Sim, pra Terra, organismo consciente, coletivo e individual, o único "problema" é o homem. Não que sejamos, pra Ela, grande coisa, mas de qualquer forma somos um corpo intruso, um "eterno errante" insatisfeito o tempo todo porque não conseguimos entender de onde caralhos viemos e pra onde diabos vamos. Não vejo qualquer leão ou larva com esse problema.
"A culpa é do hipócrita, canalha, falsário, que joga o meteoro e esconde o telescópio" (Estamira)

Gabriel Megracko disse...

E, se esses homenzinhos da Nasa sabem de alguma coisa e escondem, não há qualquer problema, eu já descobri o que eles escondem: não passa de poeira cósmica! Hahahhhaha otários... Tanto trabalho pra esconder poeira... pura falta do que fazer! Se não escondem nada, maldita ignorância! De qualquer forma, é uma inutilidade científica, não serve pra nada, só umas "fotinhas" de uma inútil e maravilhosa galáxia distante. Se DEUS quiser, um bando de meteoros virá assustar o bando de idiotas projetistas de exércitos de homens biônicos e expedições espaciais absolutistas! Abençoado seja a cerveja e o verso, o cometa ("comandante") e o pedaço de Terra onde ele vai cair um dia. O primeiro-ministro da Tanzânia (se é que há primeiros-ministros na Tanzânia) disse que a termoeconomia do país está evoluindo para uma estratégia de mercado mais elaborada, que favorece os baixos e conserva os médios, desfavorecendo os agudos, os tons dissonantes e... BUM! (Decibéis inaudíveis)

Edu Maretti disse...

Espera aí. "Nem tanto ao céu, nem tanto à terra", costumava dizer minha avó Emiliana.

Com isso quero dizer que não acho que a ciência e os cientistas e astrônomos (da Nasa ou não, mas também da Nasa e outras agências espaciais, faculdades, comunidades científicas de modod geral) devam ser menosprezados (muito pelo contrário). Nem superestimados. A ciência é uma das formas da poesia e uma das principais. A física quântica, um manancial de conhecimento inesgotável, como o cosmos, como a natureza, existem desde sempre e independem de nós. Mas é incrível que nós as tentemos desvendar incessantemente.

A dúvida, e não as certezas, é que levam ao conhecimento. O conhecimento é buscado sobretudo a partir do não-saber, portanto da necessidade humana de saber (portanto da humildade). Não considero babaca nem otário quem se dedica à busca do conhecimento. Se não fosse essa busca, não teriam existido Copérnico, Kepler, Einstein, Sabin, Da Vinci (que era artista e cientista) e incontáveis outros gênios conhecidos (populares) ou não, na Nasa ou não, movidos pela necessidade de conhecer. Acho incrível, maravilhoso mesmo, os cientistas terem enviado o Curiosity a Marte (http://fatosetc.blogspot.com.br/2012/08/reflexao-sobre-o-robo-curiosity.html).

Sou adepto da sentença de Sócrates: "Só sei que nada sei". Preciaamos da dúvida, e não das certezas.

A etimologia da palavra ciência vem do latim scientia ("conhecimento"), o mesmo do verbo scire ("saber"), nos diz a universal Wikipedia.

Recomendo a leitura do livro já citado acima, Criação Imperfeita, de Marcelo Gleiser.

Alexandre disse...

Também vou por essa..sei muito pouco sobre as coisas. Algumas coisas sei muito menos que outras, outras sei menos ainda. Outras quase nada, e outras absolutamente nada...por isso existo. Por isso busco o eterno. Talvez o eterno não seja o suficiente para que eu saiba de tudo. Muito menos ser capaz de tudo. Impossível. Tenho que considerar o todo pouco que sei, mas não quero achar que isso seja o suficiente. Nem posso.
Sobre "fotografias inúteis", não diria dessa maneira, pois tudo que possa ser novo às minhas curiosidades, sejam elas terrenas ou siderais, será muito bem vindo para meu conhecimento e vislumbre, desde que isso me seja bem informado, em textos ou imagens. Não posso negar informações que buscam uma precisão. A curiosidade busca os detalhes e esses, a precisão.
Aliás, os primeiros equipamentos fotográficos digitais foram usados pela própria NASA. Hoje temos em qualquer esquina e de fácil aquisição.
Valeus e abraços.

Gabriel Megracko disse...

Confesso que não estava na mais plena condição emocional quando escrevi isso. Admito que olho catatonicamente pras fotogênicas galáxias e pros planetas modelos. Assumo que penso muito nas interações quânticas da matéria (viva e morta), da sociedade, do cosmos. Gosto muito de umas fotos etc. e tal. Mas, uma coisa que não me desce são esses especialistas que dizem que (parece que outros meteorinhos andaram caindo por aí) esses meteorinhos não têm nada a ver um com o outro. Pra eles, nunca nada tem a ver com nada e tudo fruto do incomensurável universo infinito fantástico de que só eles entendem. Convenhamos: quando eles dizem que um meteorinho não tem nada a ver com outros que caíram quase ao mesmo tempo - desculpem o clichê: das DUAS, UMA: ou eles são muito estúpidos, ou querem enganar alguém. Acredito, sem dúvidas, que há scientistas sérios, comprometidos com o conhecimento, mas não posso dar o braço pra torcer e afirmar que a NASA é um órgão sério. É como a polícia: gente séria lá não dura; acabam se transferindo para organizações menos dependentes do controle midiático de informações e do direcionamento tendencioso de pesquisas. Vocês sabem do meu gosto por temas de que a scientia trata, mas não consigo levar a sério esses homens enfadonhos. E confesso que não tenho muita curiosity pela superfície tediosa de Marte, a não ser por umas imagens que vi outro dia que, supostamente, são imagens não divulgadas de Marte: parece que há umas coisas realmente curiosas lá, como construções zilhonares, parecidas com pirâmides. As imagens são bem interessantes, mas não sei onde elas estão. (uma busca refinada no Google é capaz de encontrá-las, mas não sou capaz disso agora)
Outra coisa: Copérnico, Kepler, Einstein, Sabin, Da Vinci não são sujeitos que se dariam o desgosto de vender o sangue que alimentava os seus cérebros pro bando de vampiros que compõe essa porcaria de NASA. Não acredito em nasa disso, acredito em gente séria, comprometida com o conhecimento e com o conhecimento do conhecimento, e isso é outra coisa.

Raimundo Testulino disse...

como meu pai trabalha na NASA ,eu perguntei pra ele se era verdade se esse meteoro caiu. meu pai me disse q não é verdade, foi um foguete q foi lançado por nome TAIKLUAN, mas deu errado pq ele explodiu encima da atmosferia,e nessa hora caiu o pistão diretamente na RUSSIA.
a NASA ficou comedo de ser processada e inventaram esse negocio de METEORO mas na verdade foi só o pistão q caiu. inclusive ele me pediu sefredo. conto com a comprieeção de tdos vcs q nem um de vcs espalhe essa conversa por aí.
papai falou q vai cair outro mas não é agora, provavelmente dia 28 de Novembro desse ano ainda,marcado para cair ás 14:47 minutos, dessa vez vai ser a VÁUVULA DE COMBUSTÃO COM CORRENTE DE COMANDO. Vou finalizar.
papai me falou mais coisa,mas vou fik na minha.
Raimundo Testulino