domingo, 19 de setembro de 2010

São Paulo pragmático bate Palmeiras; quarta tem Santos x Corinthians na Vila

Pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2010, o “Choque-rei” no Pacaembu foi uma pelada no primeiro tempo, que acabou 0 a 0. Na segunda etapa, o torcedor viu mais futebol. Fechado na defesa como sempre, mas conseguindo encaixar contra-ataques fulminantes, o São Paulo bateu o Palmeiras por 2 a 0. Gols de Lucas, aos 11, e Fernandão aos 31.

Veja os gols de Palmeiras 0 x 2 São Paulo:



A vitória tricolor, conquistada com um plano de jogo defensivo, taticamente pragmático (e bem executado), foi incontestável. Sem criatividade alguma no meio campo, o Palmeiras viveu de esperanças. Esperança de Valdívia resolver, em uma jogada pessoal; ou de Marcos Assunção decidir numa bola parada. Mas Valdívia prova a cada jogo ser um jogador apenas mediano: a chance aparece, mas ele não decide (e o que esperar de um reserva da medíocre seleção chilena?); Assunção não teve sorte; e o fraco elenco alviverde (com o esforçado volante Márcio Araújo e no ataque os inoperantes Tadeu e Éwerthon, este substituído por Tinga) não conseguiu sair vivo da teia bem armada pelo São Paulo de Sérgio Baresi.

No São Paulo, o destaque do jogo: Lucas, aquele que era Marcelinho, desequilibrou. Fez o primeiro gol em jogada que, do pé de Rogério Ceni até o chute a gol, teve quatro toques na bola: Ceni-Fernandão-Jorge Wagner-Lucas e gol. Um contra-ataque espetacular, num momento em que o Palmeiras estava melhor na partida. No segundo tento, também em contra-ataque, Lucas colocou Fernandão na cara do gol e 2 a 0.

Santos e Corinthians
Em Campinas, sem Neymar em campo (mas no estádio, assistindo ao duelo das tribunas), o Santos não saiu do 0 a 0 com o Guarani. Não vi o jogo, mas, pelos comentários, foi uma partidinha de várzea. O Santos (6° colocado, 35 pontos) recebe o Corinthians na Vila Belmiro, quarta-feira. Corinthians que, óbvio, não tomou conhecimento do lanterna Grêmio Prudente no sábado, fez 3 a 0 e lidera o Brasileiro com 44 pontos, dois a mais que o Fluminense. O jogo na Baixada Santista é imprevisível. Uma vitória contra o Peixe será talvez decisiva para o Timão no caminho do título: sair vitorioso da Vila Belmiro sempre dá moral. Mas, se ganhar, o Santos volta à briga pelo título e o campeonato fica mais aberto (o Cruzeiro joga em Sete lagoas -MG- contra o Ceará. Se ganhar, a Raposa chega aos 44 pontos). Na Vila, a expectativa sobre qual será o final da novela Dorival Júnior vs Neymar.

No Rio, Flamengo 3 x 3 Fluminense neste domingo. Deve ter sido um jogaço. Não vi. O Flu de Muricy Ramalho fez dois gols (primeiro e terceiro) de bola parada, Conca batendo escanteio em ambos. Com esse jeito Muricy de ser, jeito muito manjado, o Tricolor carioca vai lentamente perdendo terreno. Se bobear, ficará fora da Libertadores.

Os times do G-6 continuam sendo os mesmos. Abaixo:

1. Corinthians* 44 pontos
2. Fluminense 42
3. Cruzeiro 41
4. Inter* 38
5. Botafogo 38
6. Santos* 35
*Times com um jogo a menos

A próxima rodada (para os times do G-6):

24ª RODADA
quarta-feira - 22/09
19h30 - Cruzeiro x Ceará
21h00 - Vasco x Botafogo
22h - Santos x Corinthians
22h - Atlético-PR x Internacional

quinta-feira - 23/09
21h - Fluminense x Atlético-MG

5 comentários:

Felipe Cabañas da Silva disse...

O Choque-Rei foi um joguinho de solteiros x casados. A capa do caderno de esportes da Folha, o diário mais tricoflor do Brasil, é justamente este: Joguinho! Se a Folha já está batendo no São Paulo, fica claro que as coisas não andam nada bem pelo lado do Cícero Pompeu de Toledo. E a torcida são-paulina, sem perceber, talvez, que desautorizava o próprio time, ao final do jogo resumiu muito bem a situação alvi-verde: "não é mole não, quem ganhar desse timinho não faz mais que obrigação". O que é verdade, e prova que futebol e Fórmula 1 têm muito em comum: não adianta colocar um Felipão no volante de uma Hispania. O cara não faz milagre. O destino do Palmeiras nesse campeonato com esse timeco é ficar oscilando entre a décima e a décima quinta colocação. Já o São Paulo talvez consiga ser o primeiro do resto, porque nas últimas sete rodadas só ganhou da parte de baixo da tabela. Duvido que esse time consiga chegar à Libertadores, até porque Cruzeiro e Botafogo estão jogando muito mais.

Anônimo disse...

Sim, jogo justo, o Palmeiras tem um time fraquíssimo, o
São Paulo jogoou mal mas executou bem os contra-ataques e mereceu a vitória. Tudo incontestável. Mas não acho, Edu, que o Valdívia seja mediano. O problema é que ele não tem com quem jogar. Dois anos atrás com D. Souza, Kleber e Alex Mineiro (bem melhor que o Ewerton) na frente ele jogava muito bem. No Chile, estava sem ritmo de jogo e o time tb era fraquíssimo. Como pretender decidir a partida sozinho num time que joga sem meia, com Fabrício (zagueiro) na lateral esquerda, quatro volantes (três ruins), um atacante péssimo, Maurício Ramos na zaga e o técnico expulso? He he. Aliás, diga-se de passagem, expulsão injusta, e o Felipão tem estrela e influencia muito o time lá do banco de reservas. Ele não falou com o juiz, falou com o Tadeu... Teve um baita prejuízo aí tb, hein...

Leandro Conceição disse...

Muito bom o comentário do Felipe, gostei muito da frase: "futebol e Fórmula 1 têm muito em comum: não adianta colocar um Felipão no volante de uma Hispania" rsrs.

Vivo batendo nessa tecla com os palmeirenses. Isso acontece graças a esquisita gestão de um presidente meio maluco.

Do que adiante trazer Valdívia, Kléber, Felipão sem ter uma defesa, um meio razoável, um companheiro de ataque a altura de Kléber?

Quanto ao São Paulo, não tenho aspirações nesse Brasileirão. Torço para que o campeonato acabe logo para essa turma de acomodados ir embora.

Dagoberto, Miranda, Cleber Santana, Jorge Wagner e cia podem até ser bons jogadores, mas o ciclo deles no São Paulo já acabou. Precisam de novos ares e o time precisa de gente com mais vontade.

Este ano a alegria vai ser terminar a competição pelo menos na frente do Guarani da capital.

Em 2011, o Tricolor volta a jogar a Copinha do Brasil, o que não fazia desde 2003. Mas, preparem-se rivais: em 2012 a gente volta com tudo!

Leandro disse...

Só um adendo: Não havia percebido que o Felipe havia chamado o glorioso São Paulo de Tricoflor.

Sendo assim, retiro meu elogio ao comentário dele. rsrs

xico santos disse...

Edu,

quero falar de coisa boa: da alegria de ver alguns jogadores atuais, que lembram muito meu tempo de criança...

Amigo, queria ser o Mano e "trená" a equipe de 2014!!!

Ontem, vendo aquele menino Lucas "Marcelinho", fiquei com essa vontade. Vai ser uma equipe de encantar qualquer um!!!