quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Futebol brasileiro em 2013 só valeu pela foto



Luiza já veste a camisa

Fim de ano é época de balanços. Começo uma pequena série antes do fim dos 12 meses pelo assunto que nesse período do calendário quase abandonei aqui no blog: futebol. E, nesse tema, pouca coisa realmente valeu a pena em 2013. Uma delas foi a foto que (entre outras) fiz na festa de aniversário da Luiza, minha sobrinha, filha do Alexandre. Como se vê, ela foi definitivamente conquistada para as hostes palmeirenses pelo pai, pelo tio Paulo e pelo avô. O tio santista aqui, isolado, nada poderia ter feito. Claro que na festa, dia 16/11, ela usou outras roupas (era festa!), trocou algumas vezes de figurino, o do Palmeiras foi só no fim, já à noite. Mas consta também que, dias antes de ganhar a camisa do Palmeiras de aniversário do tio, ela reclamou: "pai, minha camisa do Palmeiras já tá pequena". 

Por falar em criança e alegria, e também em Palmeiras, nasceu dia 30/11 a formosa Alice, que o pai Anselmo (do Futepoca) tem esperança de que se torne outra adepta da tradição de Ademir da Guia. Mas aí já são outros quinhentos, muita água vai rolar debaixo da ponte e o pai terá de se empenhar um pouco. A pequena sagitariana tem apenas dez dias de vida! Luiza já tem 7, tudo indica que já é palmeirense.

O Brasileiro de 2013

Bem, mas tirando as crianças e essas associações afetivas, de resto, o futebol brasileiro em 2013 deu tédio. No último fim de semana acabou o campeonato (para mim) mais chato de que me lembro. Este ano, aliás, quase não perdi tempo com futebol, e não só pelo meu time, o Santos, ter passado um ano em branco (com o perdão do trocadilho). O campeonato Brasileiro acabou como começou: com uma emoção similar à provocada por um torneio de vôlei. Sem contar com espetáculos sórdidos como o da pancadaria brutal entre torcedores de Atlético-PR e Vasco, na última rodada.

Eu, que passei um ano muito ocupado e cheio de coisas a fazer, só fiquei sabendo que o Cruzeiro tinha sido campeão dois dias depois, vendo uma notícia na Web. Meu desinteresse deve-se em boa parte a essa fórmula insossa, importada e chata de pontos corridos. A cada ano o Brasileiro fica mais e mais desinteressante, quase tanto quanto uma novela da TV Globo, que aliás é quem manda no calendário. O título virou uma coisa secundária. O que importa mesmo é a Libertadores.

Tive o privilégio de ver in loco meu time ser campeão no último Nacional disputado na antiga fórmula de mata-mata, quando o Alvinegro da Vila derrotou o Corinthians em duas partidas (2 a 0 e 3 a 2) e sagrou-se campeão brasileiro de 2002 depois de 18 anos sem um título considerado importante, na época. “Pontos corridos é mais justo”, dizem os defensores do atual sistema.

Mas quem disse que futebol tem de ser justo? Futebol é esporte e jogo, e jogo sem sorte e sem duelo, politicamente correto, só justo (e viva a justiça!), não tem graça. Quem gosta de jogo sabe disso.
Voltando a 2013, o destaque é do futebol mineiro, campeão brasileiro (Cruzeiro) e da Libertadores (Atlético). 

Paulistas decepcionantes

O futebol paulista deu vexame e, incluindo todos os torneios, não emplacou nenhum clube na Libertadores de 2014. O melhor time do estado no Brasileiro foi o Santos, em 7° lugar (57 pontos), seguido pelos medíocres São Paulo e Corinthians (7° e 8°, ambos com 50) e Portuguesa (12ª, 48). 

Para os paulistas, além do fracasso generalizado, foi um ano de lambanças. O Santos, que muitos consideravam candidato ao rebaixamento, surpreendeu muito, positivamente: ficou sete pontos à frente dos rivais da capital e, mesmo tendo perdido Neymar e passado por crise política, conseguiu 4 pontos a mais do que no ano passado com o milionário Muricy Ramalho. Mas, mesmo assim, demitiu o jovem treinador Claudinei Oliveira, oriundo da base do clube, que fez um trabalho excelente ganhando menos do que 10% do que era pago ao tosco Muricy, que tinha Neymar. Se contratar Oswaldo de Oliveira, me parecerá uma boa escolha, que eu achava (mesa de bar) que deveria vir para o Santos quando foi para o Botafogo em 2011. Mas a escolha certa por Oswaldo não apagará a injustiça (ah, a justiça) com Claudinei.

O Corinthians foi a maior surpresa negativa. Ninguém podia imaginar que o campeão mundial obteria míseros 50 pontos, cairia sem dar trabalho na Libertadores, não ganharia nada (a não ser o Paulistinha –dou a mão à palmatória– e ainda demitiria Tite. Vai entender.

O São Paulo passou o ano no limbo e não ganhou nem jogo de par-ou-ímpar. Foi salvo do rebaixamento por Muricy, que nunca deveria ter saído do São Paulo e poderia ficar lá para sempre, que assim não prejudicaria tanto o futebol, e de quebra poderia ajudar seu amado São Paulo, onde dá certo.

Entre os paulistas, destaque mezzo a mezzo para a Ponte Preta, rebaixada para a Segundona no Brasileiro mas que pode se sagrar campeã da Sul-Americana na quarta-feira e conquistar seu primeiro título em 113 anos, se superar o argentino Lanús no segundo jogo da final na periferia de Buenos Aires nesta quarta-feira (no jogo de ida, 1 a 1 no Pacaembu). E, se conseguir o título, rouba a vaga do Botafogo, 4° no Brasileiro, na Libertadores. E assim se completaria a urucubaca (que só o STJD, sempre essa entidade nefasta, pode amenizar, palmas à Justiça) do futebol carioca em 2013. 

E o Palmeiras... Bem, o Palmeiras já foi devidamente homenageado com a foto que ilustra este post e conseguiu seu segundo título brasileiro da segunda divisão em 2013, feito inédito entre os grandes de São Paulo. Mas os palmeirenses pelo menos tiveram o que comemorar em 2013.

Sendo assim, vai uma segunda foto, do tio Paulo-coruja, que deu a camisa para a sobrinha Luiza, com a própria.



E a Lusa...

A Portuguesa, time para o qual sempre torço para se dar bem, ou pelo menos não se dar mal, seria um destaque positivo, pois era tida e havida como certa ao rebaixamento e heroicamente se safou. Mas eis que acabo de saber que, por ter escalado um jogador suspenso, a Lusa pode ser punida com a perda de 4 pontos e aí seria rebaixada. E quem seria o beneficiado? Adivinhem? Fluminense!, que subiu em 2000 beneficiado pelo tapetão. O mesmíssimo Fluminense…

Mas, se o caso for juridicamente líquido e certo e a Lusa for punida, fica a pergunta: como um time profissional, que joga a série A do Brasileiro, poderia cometer um erro desse, digno de futebol de várzea? Francamente. Se o jogador estava mesmo irregular, onde estavam os departamentos de futebol, jurídico e técnico do clube? E onde estava o próprio jogador, Heverton? Seu pai, sua mãe, seu empresário, sei lá, alguém? Ninguém sabia da suspensão? Chega a ser estranho. Torço para que haja algum engano.

Pobre futebol carioca

Os times do Rio, Vasco, e Fluminense, caíram no campo, e assim o futebol da “Cidade Maravilhosa” foi ainda pior, mas muito pior do que o paulista. Bateu um recorde, com dois de seus “grandes” sendo degolados. O Flu, aliás, me parece ser o primeiro campeão brasileiro num ano que vem a cair no seguinte. O Flamengo, como o São Paulo, ficou no limbo. Palmas ao futebol carioca!

Menção aos gaúchos: como sempre, o Inter promete, promete, e não chega a lugar nenhum. E o Grêmio honra a tradição de um time que está sempre na disputa.

No ano que vem tem Copa do Mundo. Em termos de futebol, vai ser bem menos chato do que em 2013.

6 comentários:

Paulo M disse...

Curioso que, invariavelmente, nas últimas rodadas de competições, nacionais ou regionais, sempre haja motivo de polêmica. Neste final de Brasileiro/2013, o Papai Noel resolveu presentear o Vasco e o Fluminense com coincidências espantosas: em Joinvile, aquela briga de esquentar os sofás dos patrocinadores de TV veio a calhar, e fez com que o árbitro extrapolasse o tempo limite de 60 minutos de paralisação de um jogo e desse chance ao Vasco de "recorrer" da sova que levou do Atlético-PR dentro de campo. Dias depois, outra novidade: a Portuguesa colocara em campo, contra o Grêmio, um jogador, irregularmente, fazendo a alegria de outra quarta parte do povo fluminense. E, pra completar (ou tentar provar imparcialidade), dizem que o Flamengo também pode ser punido (sem consequências graves, óbvio) pelo mesmo motivo da Lusa. O advogado curinga pago pela CBF, e que defendia o jogador da Portuguesa no caso, que explique. Tudo isso sem falar nos rumores de que o mesmo Atlético-PR teria facilitado a final da Copa do Brasil para o Mengão em troca de um entendimento de patrocínio mais vantajoso com a Caixa, que investe nos dois clubes. Ora, por favor... Que o Palmeiras da Luiza jogue a segundona quantas vezes for preciso, mas que jogue e seja digno. Ou será, justo agora, a primeira vez na história do futebol brasileiro que um time põe em campo um atleta em condições polêmicas? Como disse Antero Greco, na ESPN, em comentário à violência no Paraná, é significativo o Dinamite ter dito que o que estava em jogo eram vidas, e que pouco importava jogar a série A ou a série B. "Pura retórica", disse Antero.
Bem, vamos ver o segundo tempo da Ponte contra o Lanus. Parece que o sonho ponte-pretano foi pro espaço, e o Fogão já está na Libertadores. Quem sabe não?

Edu Maretti disse...

1) As "coincidências espantosas" são fantasmas que assombram o futebol e tiram dele o que ele tem de espontâneo: a beleza do jogo, o prazer da disputa limpa. Vasco e Fluminense encarnam o que o futebol brasileiro tem de pior.

2) a Macaca não teve pegada de time campeão. O Lanús deitou e rolou.Como disse o Mauro Cezar Pereira no Twitter: "Derrota da Ponte é tão categórica que não há sequer como a turma da Macaca lamentar. Lanús absoluto o jogo inteiro. Botafogo na Libertadores"

Alexandre disse...

Lindas fotos...vamos comemorar o centenário do Verdão com arena e tudo de primeira.
E a macaquinha não suportou a pressão argentina, tadinha, realmente não é fácil.
O Santos já acertou com o Oswaldo de Oliveira. Só dizer que o Flamengo não fez bonito no Brasileiro, mas gastou todas as fichas na Copa do Brasil e está na Libertadores.
Tomara os cariocas Fluminense e Vasco cumpram a segunda divisão, mas contra essa corja do STJD vai ser difícil. Segundo o advogado da Portuguesa, essa teria cumprido a suspensão do Jogador Heverton por uma partida, sendo que não teria sido anotado a suspensão para duas partidas,que essa decisão pelo STJD teria sido tomada após o jogo, e sem notificação ao clube, numa "suposta suspensão" de dois jogos. Enfim, acho que a lusa vai ser "colocada" para a segundona". Lamentável.

Alexandre disse...

Esqueci de anexar

http://esportes.br.msn.com/futebol/stjd-explica-julgamento-e-diz-que-advogado-da-lusa-n%C3%A3o-apresentou-provas-materiais

Alexandre disse...

"Tribunal mantem rebaixamento do Vasco"
É a manchete do MSN. Um já foi.

Edu Maretti disse...

"Um já foi" - e que vá mesmo pros inferno!

A matéria a seguir do Uol é muito boa (pq mostra o problema sob vários ângulos). Acho que a Lusa pode estar sendo vítima de uma rasteira. Mas, ó raios, tinha que ter escalado o cara??? PQP!

http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/brasileiro/serie-a/ultimas-noticias/2013/12/12/portuguesa-entra-com-recurso-e-aposta-em-revisao-de-pena-de-heverton.htm