segunda-feira, 16 de setembro de 2013

A pentelhação do canto do sabiá – de novo



Postei há dez meses um texto sobre a natureza, em que falo, entre outras coisas, da irritação que me provoca às vezes certas espécies de pássaros cantando, sobretudo o sabiá. Como neste setembro de 2013, primavera chegando, parece que virou moda falar do assunto, reproduzo trechos do texto do ano passado.

Reprodução/Wikimedia Commons
Sou daqueles que nunca mataram passarinho quando moleque. Desse ponto de vista, sempre fui politicamente correto...

[Os passarinhos] São muito bonitinhos e tal, mas quando um sabiá dá de ficar cantando aquele som repetitivo (os sabiás começam a cantar no meio da madrugada, entre 3 e 4 da matina) que parece um relógio, é impossível dormir, quando por acaso sua hora de dormir coincide com o despertar deles.

E o joão-de-barro? Que passarinho incrível, essa criaturazinha que canta (meio caoticamente, mas canta) e constrói. Aqui onde moro tem ninhos de joão-de-barro. São incríveis. Mas de manhã são irritantes. Do nada, explode de repente um estardalhaço que mais parece um despertador. Dura alguns segundos.

Isso irrita (se é fim de semana ou feriado), pois não era pra você acordar, mas aí você lembra que é sábado e pode voltar a dormir, dá um suspiro, vira de lado, ajeita o travesseiro e... de repente, mais um bombardeio sonoro dos joões-de-barro. Os intervalos entre os bombardeios variam. Dá pra ter uma ideia do som que eles fazem neste link (é obviamente editado, pois os intervalos entre as explosões de canto na realidade são maiores): canto do joão-de-barro.

Mas o bem-te-vi é curioso. Ele nunca é chato.

E as baitacas, tão brasileirinhas? São verdadeiramente escandalosas e irritantes. Quando elas começam, você tem de parar de assistir ao filme a que está assistindo, de ler o livro que está lendo. Mas pelo menos são diurnas. Começam a cantar (gritam!) todas ao mesmo tempo, em bandos, voando ou nas árvores. Dura alguns minutos, e depois pára. Como o alvoroço das baitacas não dura muito, não chegam a irritar tanto. Mas as baitacas me parecem neuróticas. “Neurótico é você”, diria Freud talvez. Ok, reconheço que baitacas berrando em bando é melhor do que seres humanos buzinando com seus carros em todos os lugares de São Paulo.

Tirando essas coisas mais estúpidas como "cidadãos" (na verdade energúmenos) buzinando seus automóveis (ou seus cérebros), passarinhos às vezes são chatos, sim.

A natureza é a mata, as lindas praias, o canto dos pássaros e as aves de rapina, o lobo, o tigre, o barulho do mar e o próprio mar, mas é também às vezes a pentelhação do canto do sabiá.

5 comentários:

Alexandre disse...

Gosto do Tico-Tico, passarinho muito simpático, tem até um topetinho.
O canto melodioso do sabiá incomoda, realmente, mas se vc estiver acordado e do bom humor, o seu canto será parte das tardes de primavera. Caso contrário, pode fazer parte de nossa neurose, da qual ele não tem nada a ver. Com certeza, os passarinhos chegaram aqui há muito mais tempo e não podemos pedir a ele para mudar a música. "Sol de primavera, abre as janelas do meu peito"

Roseli Costa disse...

"[Os passarinhos] São muito bonitinhos e tal, mas quando um sabiá dá de ficar cantando aquele som repetitivo (os sabiás começam a cantar no meio da madrugada, entre 3 e 4 da matina) que parece um relógio, é impossível dormir, quando por acaso sua hora de dormir coincide com o despertar deles."
Ah, Edu, eu quse me matei de rir. Tu és doido, cara; quando tô de bom humor acho suas neuras de paulistano mal-humorado muito engraçadas! Hahahahaha!

Roseli Costa disse...

Muito bom, muito bom: "E o joão-de-barro? Que passarinho incrível, essa criaturazinha que canta (meio caoticamente, mas canta) e constrói. Aqui onde moro tem ninhos de joão-de-barro. São incríveis. Mas de manhã são irritantes. Do nada, explode de repente um estardalhaço que mais parece um despertador. Dura alguns segundos." Hahahaha! Você, ao lado da Rita Lee, é um estereótipo de Sampa. Adorei seu texto, Edu! Tecido (texto, em grego) bastante bom.Se um dia você me chamar de criaturazinha, eu vou sair correndo!

Edu Maretti disse...

hehe. Valeu, Rose, pelas palavras...

Anônimo disse...

Sabiá canta muito alto; não é como os outros; pode ser bonitinho, cantar bem, mas direto esse canto alto no ouvido e de madrugada incomoda, irrita; é enlouquecedor às vezes.