quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Caetano Veloso e o Brasil de Bolsonaros e linchadores


Reprodução/Youtube
Caetano em São Bernardo, sem poder cantar

Cansei de ver, nos últimos anos, gente de esquerda atacar Caetano Veloso. Agora Caetano virou herói, por conta da decisão absurda de uma juíza que impediu seu show em São Bernardo. Desse episódio, segue o seguinte:

1 - a esquerda brasileira nunca entendeu Caetano;

2 - a obra de Caetano é magnífica, está além de reducionismos e simplismos maniqueístas, e quem o atacou e agora o eleva a herói nunca entendeu nada. Nunca entendeu por exemplo que ser de esquerda não significa rezar cartilhas. A obra de Caetano Veloso é subversiva intrinsecamente;

3 - não é tão fácil entender Caetano, sua obra. Por isso, as pessoas costumam preferir Chico Buarque. Porque Chico (que eu adoro) é mais fácil de entender. Bem mais fácil;

4 - a esquerda brasileira precisa tratar sua bipolaridade. Ou entende Caetano ou não entende. Ou Caetano é vilão ou é herói.

***

No álbum Circuladô, de 1991, 26 anos atrás!, podemos ouvir, na canção "O Cu do Mundo":

"A mais triste nação
Na época mais podre
Compõe-se de possíveis
Grupos de linchadores"

Considerando o que é este horrível Brasil de 2017, alguém poderia dizer que Caetano foi profético na canção. Mas não se trata disso. Não existe profecia. Caetano apenas conhece profundamente a cultura e a alma deste pobre país de Bolsonaros e linchadores.


Ouça a canção "O Cu do Mundo"

Nenhum comentário: